Chris Webber e Ben Wallace são destaques entre finalistas do Hall da Fama 2019

Chris Webber e Ben Wallace são dois dos ex-jogadores da NBA que poderão ser eternizados no templo máximo do basquete neste ano. A dupla é destaque na lista de 13 ex-astros, treinadores e árbitros finalistas a uma vaga na classe de 2019 do Hall da Fama. O Naismith Memorial deverá confirmar os eleitos em uma cerimônia no início de abril, durante o Final Four da NCAA.

“Ser indicado para o Hall da Fama é uma tremenda honra e estamos orgulhosos de reconhecer um grupo extraordinário de homens e mulheres que impactaram o jogo que amamos. Nós damos parabéns para cada um dos finalistas e estamos ansiosos para revelar os integrantes de uma nova classe de eleitos nos próximos meses”, declarou o diretor do Hall da Fama, Jerry Colangelo.

Além de Webber e Wallace, outros oito profissionais do basquete masculino foram lembrados pelo Naismith Memorial: cinco ex-jogadores (Marques Johnson, Bobby Jones, Sidney Moncrief, Paul Westphal e Jack Sikma), dois ex-treinadores (Eddie Sutton e Bill Fitch) e um ex-árbitro da NBA (Hugh Evans). Johnson, Westphal, Sikma e Wallace estão entre os finalistas pela primeira vez.

Duas das omissões mais sentidas na lista masculina, que foi composta por mais ex-jogadores, foram o ex-técnico Rudy Tomjanovic e o ex-armador Chauncey Billups, ídolo do Detroit Pistons ao lado de Wallace.

As outras três finalistas fizeram história no basquete feminino: uma ex-treinadora (Leta Andrews), uma técnica ainda em atividade (Barbara Stevens) e a ex-atleta Teresa Weatherspoon. Todas já foram indicadas como finalistas anteriormente e, caso siga uma escrita recente, somente uma das três lendas do basquete deverá estar entre as eleitas anunciadas em abril.

Os 13 finalistas pelo comitê norte-americano de honra agora vão ser submetidos à votação derradeira da comissão, um corpo de 24 votantes que selecionam, a cada ano, os integrantes das classes de eleitos. É preciso receber 75% de aprovação dentro desse comitê – ou seja, aprovação de 18 dos 24 membros – para ser um dos novos “imortais” do basquete.

Além dos eleitos entre os 13 finalistas, o anúncio de abril também incluirá o nome dos selecionados para estarem no Hall da Fama diretamente pelos cinco comitês especiais: dos pioneiros afro-americanos, internacional, dos contribuintes do jogo, dos veteranos (que incorporou o antigo comitê da A.B.A) e das veteranas (uma novidade deste ano). Cada um deles tem uma vaga garantida entre os eleitos.

A cerimônia do Naismith Memorial para introdução dos novos “HoFers” acontece em 07 de setembro na sede do Hall, na cidade de Springfield (Massachussets). Será o ponto final de um fim de semana de festividades para celebrar a carreira de todos os eleitos. Conheça em mais detalhes, agora, cada um dos 13 finalistas do comitê de honra norte-americano do Hall da Fama 2019:

 

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Felipe ASM

    Ben Wallace é a prova viva de que o planejamento dos times precisa incluir uma análise mais profunda entre os undrafters. Um baita talento. Um cara que sabia da sua importância e do seu papel naquele Detroit, além de não se esconder em jogo grande. Vale sempre lembrar aquele jogo 5 das finais de 2004 em que o Big Ben ofuscou o Shaq.

    • Weezy

      Só o fato dele ter conseguido “ofuscar” o shaq já mostra o quão bom defensor esse homem foi.

      • Felipe ASM

        Com certeza, respeito demais ele. Um cara que ninguém tinha grandes expectativas quando surgiu e virou uma lenda, independentemente, de ser eleito para o Naismith ou não. Pra quem nunca viu, segue uma intro épica na última temporada do Ben Wallace.
        https://www.youtube.com/watch?v=FWtj3C02nOg

  • Marcelo Desoxi

    Big Ben, ídolo máximo.
    O provável melhor defensor que já pisou nas quadras da NBA.

  • Mathias

    Na NBA atual, se o Big Ben peidasse em quadra, seria falta….

  • Rafael Victor

    Aí sim!

    Grande Ben Wallace!

    Era um MONSTRO!

  • Ser_Humano_Vivo

    Brbara Stevens é mãe de Brad Stevens ?

  • vsr.snake

    Sidney Moncrief tem sido esnobado há um tempão, tomara que ele entre agora.

  • Dudu Ferrero

    Ben Wallace muito montro defensivamente mas nao sei se é pra Hall da Fama… eu sempre olhei pro Hall da Fama com lendas… nao considero ele uma…

    • Elias Ferreira

      Dennis Rodman entrou graças a sua excelente defesa também, igual o Wallace. Só porque Wallace não é tão badalado não significa que ele não possa ser HOF.

      • Igor Neves

        Mas Rodman foi um dos nomes mais lembrados da geração 90. Isso ajuda e muito.

        • Elias Ferreira

          Boto fé, o time Bulls ajudou também divulgar os feitos dele como defensor.

      • Ricardo Stabolito Junior

        Rodman foi o maior reboteiro da história moderna do jogo e uma figura muito mais impactante para o esporte também.

        • Elias Ferreira

          Falei defesa mais inclui rebotes também. Parece que anos 90 valorizavam mais a defesa do que hoje em dia. Até hoje falam que Pistons foi azarão, teve foi é “sorte” contra Lakers, isso que tinham que falar da defesa do time que só tinha monstro lá, um exemplo que quase ninguém fala é Lindsey Hunter, armador que defendia pra caramba..

  • Ramon

    Me surpreendi que o Moncrieef já não seja HoF, em minha visão ele é o melhor jogador entre os finalistas.

  • Michel Moral

    C-Web foi mais jogador do que o T-Mac.

    Foi um jogador que, desde o basquete universitário, sempre teve muita personalidade.

    Aliás, acho que esse sempre foi o maior (e sério) problema de McGrady, a fraca personalidade dentro de quadra.

    Webber fez história e era o grande líder na melhor fase daquele time do Sacramento Kings. No melhor momento da equipe, que era candidato a título e foi vice-campeão do Oeste, ele estava à frente de Stojakovic.