Cinco atletas da classe 2018 do basquete colegial para você ficar de olho

Abaixo vamos mostrar quais atletas devem se destacar nessa temporada do high school ou ter um rendimento abaixo do esperado. Veja o resultado:

Líder Absoluto

 

Rowan Barrett Jr. é a grande estrela da classe de 2018 e deve se manter assim até o final da sua temporada como sênior. O ala vem evoluindo a cada temporada que passa, e mostra que sua habilidade e atributos físicos devem ser determinantes para continuar sendo a melhor escolha da classe.

Mas antes dele aparecer para o grande público, ele já vinha chamando a atenção dos scouts desde o seu ano como calouro, muito por conta do seu condicionamento físico e pela qualidade em que finaliza as jogadas na transição defesa-ataque. Ele faz muito bem o step back, é um finalizador nato e no um contra um é difícil de ser parado. Barrett é um jogador que entrega muita intensidade em quadra. Além disso, seu arremesso de média distância é consistente.

O ala faz muito bem a infiltração no garrafão adversário, principalmente pelo lado direito. Barrett ainda contribui com rebotes, tocos e faz muito bem a defesa do perímetro. O interessante nele é que ele pode atuar em diversas posições na defesa, pois tem um alto QI de basquete.

Barrett é extremamente versátil jogando dentro e fora do garrafão. Além de ser um cestinha nato, ele consegue defender muito bem no um contra um e faz uma ótima compactação defensiva.

Pela equipe de Montverde Academy (FL), na temporada passada, Barrett teve médias de 14.1 pontos, 3.9 rebotes, 2.4 assistências e 1.3 roubo de bola. Ele foi determinante para que a equipe conquistasse o Hoophall Classic, City of Palms e chegasse à final do Dick’s Nationals, onde perdeu para La Lumiere. A equipe só não conquistou o título estadual, pois não disputa.

Então, acredita-se que nenhum atleta desta classe consiga superar o seu jogo.

Queda Livre

Javonte Smart começou a temporada passada como um dos grandes prospectos para a classe. Depois de fazer uma ótima pós-temporada na seleção americana, era esperado que se destacasse cada vez mais em jogos da temporada regular e de grandes eventos, mas isso não aconteceu. Ele começou o ano no Top 10 da ESPN e hoje caiu para a 24° posição.

Ele não conseguiu ter um grande papel de destaque neste ano e se mostrava apático em determinados jogos. Smart não deixa de ser um bom armador, e tem como qualidades principais o alto QI de basquete e a facilidade de ser playmaker. É muito atlético e possui altura ideal para a posição de armador, mas para subir nos rankings de diversos scouts, ele precisa ser um líder em quadra.

Do Hype à Realidade

Zion Williamson foi o atleta que mais chamou a atenção das pessoas no mundo nesta temporada por causa das suas jogadas explosivas e sua intensidade em quadra. No fim da temporada regular, ele apareceu pela primeira vez na segunda posição do ranking da ESPN, “roubando” o lugar de Romeo Langford.

Veja abaixo as estatísticas das três temporadas dele no high school:

Temporada Jogos Pontos por jogo Assistência por jogo Rebotes por jogo Roubos de bola por jogo Tocos por jogo
2016/17 23 36.1 2.9 12.5 1.6 2.0
2015/16 26 28.3 2.5 20.4 2.7 3.9
2014/15 20 24.4 2.8 9.4 3.3 3.0

Ele é um ala/ala pivô que tem uma boa mobilidade, agilidade e bastante rapidez para executar jogadas próximas da cesta. Também possui uma boa capacidade para criar seus próprios arremessos. Possui excelente QI defensivo, tem um bom arremesso de média distância e é um bom passador.

hype está tão grande que a primeira comparação com o jogo dele foi em relação ao último maior jogador que passou no high school… LeBron James. Meses atrás, perguntei a um scout americano se ele achava que Zion lembrava LeBron fisicamente e a resposta foi a que todos imaginavam.

Zion claramente deve continuar aparecendo nas redes sociais por causa das suas jogadas, mas o seu nome já não é uma novidade para as pessoas que acompanham o high school.

A Ascensão

A equipe de IMG Academy (FL) foi uma das mais talentosas na última temporada. O grande destaque do time sempre foi o armador cinco estrelas, Trevon Duval, mas outro atleta também conseguiu mostrar o seu valor: o ala-pivô Emmitt Williams. Atualmente, ele se transferiu para Oak Ridge (FL) buscando ser o grande destaque da equipe.

Ele é um atleta de 6’8 (2,03 m) de altura, com boa habilidade de jogo dentro do garrafão. Emmitt se sente mais confortável jogando na posição 4, mas tem evoluído muito bem como arremessador de média distancia e, com mais treinos, pode ser utilizado como ala. Ele é muito eficiente finalizando jogadas próximo à cesta, muitas vezes sem um drible. Defensivamente, tem um grande potencial para ser trabalhado.

Emmitt vem em uma crescente absurda e, após o fim da temporada regular no high school, entrou no top 10 do ranking da ESPN pela primeira vez. Do jeito que ele vem evoluindo e crescendo em quadra, a tendência é ele chegar ao top 5 da classe.

 Fique de Olho

O filho de Manute Bol, ex-pivô da NBA, tem tudo para fazer uma ótima temporada neste ano. Na ano passado, ele ficou um tempo inativo por causa de uma transferência escolar. No meio da temporada regular, Bol Bol conseguiu se juntar à forte equipe da Mater Dei (CA).

Na temporada regular no high school, o pivô teve boas médias, mesmo chegando um pouco depois da metade do campeonato. Veja abaixo:

Jogos Pontos por jogo Assistências por jogo Rebotes por jogo Tocos por jogo
9 18.9 0.8 7.5 3.2

O atleta de 2.18 m de altura chegou em janeiro e logo foi importante para a equipe desbancar a badalada Chino Hills (CA).

No circuito da Nike EYBL (AAU), ele teve médias de 24.1 pontos (3º), 10.0 rebotes (7º) e 4.5 tocos(1º), e um aproveitamento de 65% nos arremessos de quadra, jogando na California Supreme Elite (CA), em 16 partidas disputadas.

Poucos analistas incluem Bol Bol como um atleta que pode se destacar muito na próxima temporada, mas não é absurdo acreditar que ele pode chegar ao Top 10 da classe. Desta vez, ele entra em uma temporada desde o início com a equipe de Mater Dei.

Felipe Souza
Felipe Souza
Felipe Souza é o criador do site HSBasketballBR e co-criador do Live College BR. Ele escreve para o site americano D1Vision. Faz trabalho de Scout nas horas vagas e acredita que o estudo diário do basquete, faz dele um profissional melhor.
  • Marcelo Desoxi

    Bol Bol já está com 2.18, minha nossa.

    Zion no auge dos seus 38 anos ainda joga muita bola.

    • Chimbinha

      Zion é parente daquele jogador da Lazio com ” carinha de neném ” ?

    • Thiago Pinto

      hahahahahaahha mo cara de velho mesmo

  • “KOBE” -Thank You Kyrie.

    No Bol Bol eu não levo tanta fé. Nem é por questão de talento, mas.. pela questão física. Olha o tamanho do cara! Se chegar na NBA… ela não aguenta o ritmo por mt tempo, e as lesões não devem demorar a aparecer, principalmente nos pés. É uma situação q acho q pode ser parecida com a do Yao Ming.
    Esse Zion, eu vi ele jogando pela 1° vez ao vivo naquele torneio da equipe dele contra a do LaMelo Ball, q teve superlotação e estava bastante hypado (tanto q o LeBron quase foi na arena, para ver de perto). Rapaz… o cara é largo ein? Parecia um Charles Barkley jogando, ia trombando e infiltrando em quem ele via pela a frente.
    O filho do Shaq, Shareef O’Neal pelo jeito não está bem rankeado né? Ou então, deve ser de outra classe.

    • TRUETHIAGO

      Shareef é da classe 2018, sim. Seria um nome para o Draft de 2019 em diante.

      Da última vez que vi a lista, estava ainda dentro do top 25, considerado um cinco estrelas e se não me engano está apalavrado com Arizona.

      • Felipe Souza

        Sim, ele é comprometido com Arizona.

    • Felipe Souza

      O Bol Bol é um atleta que esperamos muito nesse último ano. Pois tem tudo para evoluir o seu jogo e mostrar de vez que pode ser um grande prospecto. Por isso o “fique de olho”. Ele pode não vingar, mas vale ver como ele se sai.

      Sim, o Zion jogou em um evento da Adidas Summer, que foi transmitido pelo Ballislife. Mas ele é melhor do que ele apresentou naquele jogo.

      Sobre o Shareef, vale pontuar uma certa situação: Shareef só começou a aparecer mesmo, no seu ano como junior. Ele passou dois anos, jogando abaixo do esperado. Por isso ele ainda não entrou no top 10.

  • Deichmann

    Javonte Smart no Celtics! Seria o time mais inteligente da liga rsssssz

  • TRUETHIAGO

    Barrett simplesmente destruiu no último Mundial sub-19, sendo que ele completou 17 anos duas semanas antes do campeonato. Ou seja, jogou contra jogadores dois anos mais velhos, que vão estar no College nessa próxima temporada (Hamidou Diallo, PJ Washington, Brandon McCoy) e alguns outros que até já estão desde a passada, como Payton Pritchard (Oregon), Carsen Edwards (Purdue), Josh Okobie (Georgia Tech), Kevin Huerter (Maryland).

    Eu costumo ser mais contido na avaliação, mas me impressionou bastante. Destaque, obviamente, para a atuação que ele teve nas semi-finais, justamente contra os EUA: 38 pontos (12/24 FG, 12/15 FT), 13 rebotes e 5 assists.

    https://www.youtube.com/watch?v=nDWobLS87Tk

    • Felipe Souza

      Sim, é difícil não se empolgar com ele. Além de dominar atletas da classe de 2018, já que ele era da classe de 2019 anteriormente, ele ainda se saiu muito bem em jogos internacionais. Atleta para brigar pelo top 3 do Draft de 2019.

    • Marcelo Desoxi

      Caramba, ele tem 2 metros só de canela.

    • João Rafael Barros

      Ele vai jogar pela Universidade de Kentucky. Essa faculdade é famosa por recrutar e revelar os jogadores canadenses.

      Mulder, Murray, Lyles e Shai Alexander.

      • Felipe Souza

        Vale salientar, que ele ainda não se comprometeu.

  • Wilton Gonçalves

    Será que teremos algum projeto “Shabazz” ou “Drummond”?