COI confirma adiamento das Olimpíadas de Tóquio para 2021

O inevitável está confirmado: as Olimpíadas de Tóquio foram oficialmente adiadas em um ano. Nessa terça-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou ter chegado a um acordo com o governo japonês para a realização do evento em meados de 2021. A decisão foi motivada, como já esperado, pelas dificuldades de ordem logística, de organização e de treinamento dos atletas provocadas pelo avanço da pandemia do coronavírus pelo planeta. 

O adiamento foi sacramentado em uma videoconferência mais cedo, envolvendo membros do COI e autoridades japonesas, e passou longe de surpreender a comunidade esportiva. O primeiro-ministro Shinzo Abe defendeu a ideia de reagendar o maior evento do esporte mundial, aprovada de imediato pelo presidente do comitê, Thomas Bach. As datas em que as Olimpíadas acontecerão no ano que vem ainda vão ser definidas. 

Em comunicado oficial, o COI alegou que o adiamento visa proteger a saúde de todos os envolvidos na competição e a chama olímpica ficará no Japão como um ato simbólico. “Os líderes concordaram que os Jogos poderiam ser um farol de esperança para o mundo durante esses tempos difíceis e que a chama poderia tornar-se a luz no fim do túnel em que o planeta encontra-se. Portanto, ela seguirá no Japão e o nome ‘Tóquio-2020’ será mantido”, declarou. 

O anúncio aconteceu dias depois de países como Estados Unidos, Austrália e Brasil defenderem o adiamento do evento. Os comitês olímpicos da Noruega e do Canadá foram além: nessa segunda-feira, eles confirmaram que não enviaram atletas para a competição, se continuasse mantida em julho desse ano. A percepção geral é que existia pressão impossível de ser controlada para que as Olimpíadas não fossem disputadas em 2020. 

A manutenção dos Jogos Olímpicos nesse ano, enquanto a Ásia ainda combate o coronavírus, traria uma série de complicações para os realizadores. Existia, além disso, um dilema esportivo bastante significativo: muitas seletivas para atletas alcançarem índices não puderam ser disputadas ainda e esses esportistas não têm condições ideais de treino no momento, sem acesso a academias em grande parte do planeta. A excelência atlética do evento ficaria comprometida. 

Uma das seletivas que não havia ocorrido ainda e também estava sob risco é o Pré-olímpico Mundial masculino, que terá a participação do Brasil. Essa é a primeira vez que as Olimpíadas são adiadas na era moderna por um motivo que não seja guerras. As ocorrências anteriores de reagendamento da competição aconteceram em 1916, 1940 e 1944. 

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.