Offseason 2019 – Conferência Leste: raio-x das equipes da Divisão Sudeste

Conferência Leste – Divisão Sudeste

Atlanta Hawks

Dono da franquia: Tony Ressler
Front office:
Travis Schlenk (gerente-geral)
Técnico:
Lloyd Pierce (contrato garantido até 2021, com a opção da franquia de estender por mais um ano)

Contratos garantidos para 2019/20: US$70.5 milhões
– Kent Bazemore (SG/SF): US$19.3 milhões – expirante
– Allen Crabbe (SG): US$18.5 milhões – expirante
– Miles Plumlee (C): US$12.5 milhões – expirante
– Trae Young (PG): US$6.3 milhões
– Alex Len (C): US$4.1 milhões – expirante
– John Collins (PF): US$2.7 milhões
– Kevin Huerter (SG/SF): US$2.6 milhões
– DeAndre Bembry (SG/SF): US$2.6 milhões – expirante
– Omari Spellman (PF/C): US$1.9 milhão

Contrato não garantido para 2019/20: US$1.4 milhão
– Jaylen Adams (PG): US$1.4 milhão

Exceção salarial
Trade exception de US$1.4 milhão (expira em 07/02/2020)

Agentes livres
– Justin Anderson (SF): restrito (Hawks tem os Bird rights) – Cap Hold de US$7.5 milhões
– Isaac Humphries (C): restrito – Cap Hold de US$1.6 milhão
– Vince Carter (SG/SF): irrestrito – Cap Hold de US$1.6 milhão
– Dewayne Dedmon (C): irrestrito (Hawks tem os Early Bird rights) – Cap Hold de US$9.36 milhões

Provável espaço na folha salarial
– Cerca de US$35 milhões

Objetivos na offseason
– Continuar desenvolvendo o núcleo jovem capitaneado pela dupla Trae Young e John Collins
– Acumular escolhas futuras de draft (trocar expirantes e absorver contratos “ruins” não será problema, como a negociação que acabou de fazer com o Brooklyn Nets)
– Adicionar ao menos um pivô protetor de aro para cobrir a deficiência defensiva de John Collins e um especialista defensivo no perímetro (time com a maior média de pontos sofridos em 2018/19)
– Adicionar arremessadores do perímetro (apenas o 16° em aproveitamento nas bolas de três pontos em 2018/19)

Potenciais alvos na agência livre
– Malcolm Brogdon (SG): restrito
– Bojan Bogdanovic (SF): irrestrito
– Terrence Ross (SG/SF): irrestrito
– Danny Green (SG/SF): irrestrito
– Kevon Looney (PF/C): irrestrito
– DeAndre Jordan (C): irrestrito
– Willie Cauley-Stein (C): restrito
– Thomas Bryant (C): restrito
– Ivica Zubac (C): restrito
– Noah Vonleh (PF): irrestrito

Principais moedas de troca
– Os contratos expirantes de Kent Bazemore, Miles Plumlee e Allen Crabbe

Contratos indesejáveis que podem ser absorvidos via troca junto com escolha (s) de Draft
– Hassan Whiteside (C, Miami Heat): expirante de US$27.1 milhões
– Steven Adams (C, Oklahoma City Thunder): US$77.5 milhões nas próximas três temporadas
– Tony Snell (SF, Milwaukee Bucks): US$11.4 milhões em 2019/20 e uma player option de US$12.2 milhões em 2020/21
– Danilo Gallinari (SF/PF, Los Angeles Clippers): expirante de US$22.6 milhões
– Gorgui Dieng: (C, Minnesota Timberwolves): US$33.5 milhões nas próximas duas temporadas
– Evan Turner (SG/SF, Portland Trail Blazers): expirante de US$18.6 milhões
– Patty Mills (PG/SG, San Antonio Spurs): US$25.7 milhões nas próximas duas temporadas
– James Johnson (PF, Miami Heat): US$15.3 milhões em 2019/20 e uma player option de US$16 milhões em 2020/21

Escolhas no Draft 2019
– Três de primeira rodada (8, 10 e 17)
– Três de segunda rodada (35, 41 e 44)

Potenciais alvos na primeira rodada do Draft
– Jarrett Culver (SG/SF, Texas Tech, sophomore, 20 anos)
– De’Andre Hunter (SF, Virginia, sophomore, 21 anos)
– Cam Reddish (SG/SF, Duke, freshman, 19 anos)
– Jaxson Hayes (C, Texas, freshman, 18 anos)
– Coby White (PG, North Carolina, freshman, 19 anos)
– Sekou Doumbouya (SF/PF, Limoges-França, 18 anos)
– Brandon Clarke (PF/C, Gonzaga, junior, 22 anos)
– Nassir Little (SF, North Carolina, 19 anos)
– Romeo Langford (SG/SF, Indiana, freshman, 19 anos)
– P.J. Washington (PF, Kentucky, sophomore, 20 anos)
– Kevin Porter Jr. (SG/SF, USC, freshman, 19 anos)
– Tyler Herro (SG, Kentucky, freshman, 19 anos)
– Nickeil Alexander-Walker (SG, Virginia Tech, sophomore, 20 anos)


Charlotte Hornets

Dono da franquia: Michael Jordan
Front office: Fred Whitfield (presidente), Mitch Kupchack (gerente-geral)
Técnico: James Borrego (contrato garantido até 2022)

Contratos garantidos para 2019/20: US$81.15 milhões
– Nicolas Batum (SG/SF): US$25.5 milhões
– Bismack Biyombo (C): US$17 milhões – expirante
– Marvin Williams (PF): US$15 milhões – expirante
– Cody Zeller (C): US$14.5 milhões
– Malik Monk (SG): US$4 milhões
– Miles Bridges (SF/PF): US$3.75 milhões
– Devonte’ Graham (PG): US$1.4 milhão

Contratos não garantidos para 2019/20: US$8.35 milhões
– Tony Parker (PG): US$5.25 milhões – torna-se garantido a partir de 04/07/19 (será dispensado, já que o atleta anunciou a sua aposentadoria das quadras)
– Dwayne Bacon (SG): US$1.6 milhão – torna-se garantido a partir de 01/08/19
– Willy Hernangomez (C): US$1.5 milhão – torna-se garantido a partir de 28/06/19

Player option (opção de estender o contrato por mais uma temporada): US$13 milhões
– Michael Kidd-Gilchrist (SF): US$13 milhões

Exceção salarial
Trade exception de US$7.8 milhões (expira em 06/07/2019)

Agentes livres
– Kemba Walker (PG): irrestrito (Hornets tem os Bird rights) – Cap Hold de US$18 milhões
– Jeremy Lamb (SG/SF): irrestrito (Hornets tem os Bird rights) – Cap Hold de US$14.2 milhões
– Frank Kaminsky (PF/C): restrito (Hornets tem os Bird rights) – Cap Hold de US$10.9 milhões
– Shelvin Mack (PG): irrestrito – Cap Hold de US$1.6 milhão

Provável espaço na folha salarial
– Cerca de US$10 milhões

Objetivos na offseason
– Manter Kemba Walker (nem que, para isso, tenha que oferecer o contrato máximo: US$$221 milhões / cinco temporadas) e montar um time competitivo ao redor dele
– Caso não acerte a renovação de Walker, o time deve partir para uma reformulação profunda de elenco e trocar veteranos com contratos ‘salgados’
– Adicionar criadores de jogadas (sétimo pior em número de assistências em 2018/19)
– Adicionar arremessadores (quinto pior em aproveitamento nos arremessos de quadra em 2018/19)
– Adicionar especialistas defensivos no perímetro (sexto pior defendendo o perímetro em 2018/19)

Potenciais alvos na agência livre
– Wayne Ellington (SG/SF): irrestrito
– Reggie Bullock (SG/SF): irrestrito
– Wesley Matthews (SG/SF): irrestrito
– Dorian Finney-Smith (SF): restrito
– Tyus Jones (PG): restrito
– Cory Joseph (PG): irrestrito

Principais moedas de troca
– Os contratos expirantes de Marvin Williams e Bismack Biyombo
– Nicolas Batum e Cody Zeller
– A escolha número 12 do Draft deste ano

Potencial alvo de troca
– Clint Capela: US$72.2 milhões nas próximas quatro temporadas

Escolhas no Draft 2019
– Uma de primeira rodada (12)
– Duas de segunda rodada (36 e 52)

Potenciais alvos na primeira rodada do Draft
– Coby White (PG, North Carolina, freshman, 19 anos)
– Nassir Little (SF, North Carolina, freshman, 19 anos)
– Brandon Clarke (PF/C, Gonzaga, junior, 22 anos)
– Sekou Doumbouya (SF/PF, Limoges-França, 18 anos)
– Jaxson Hayes (C, Texas, freshman, 18 anos)
– P.J. Washington (PF, Kentucky, sophomore, 20 anos)
– Bol Bol (C, Oregon, freshman, 19 anos)
– Romeo Langford (SG/SF, Indiana, freshman, 19 anos)


Miami Heat

Dono da franquia: Micky Arison
Front office: Pat Riley (presidente de operações), Andy Elisburg (gerente-geral)
Técnico: Erik Spoelstra

Contratos garantidos para 2019/20: US$113.3 milhões
– Hassan Whiteside (C): US$ 27.1 milhões – expirante
– Goran Dragic (PG): US$19.2 milhões – expirante
– James Johnson (SF/PF): US$15.3 milhões
– Kelly Olynyk (PF/C): US$13.1 milhões
– Justise Winslow (PG/SG/SF): US$13 milhões
– Dion Waiters (SG): US$12.1 milhões
– Josh Richardson (SG/SF): US$10.1 milhões
– Bam Adebayo (C): US$3.4 milhões

Contratos não garantidos para 2019/20: US$21.4 milhões
– Ryan Anderson (PF): US$15.6 milhões – torna-se garantido a partir de 10/07/19
– Derrick Jones Jr. (SF): US$1.6 milhão – torna-se garantido a partir de 01/08/19
– Yante Maten (PF/C): US$1.4 milhão – torna-se garantido a partir de 01/08/19
– Kendrick Nunn (PG/SG): US$1.4 milhão – torna-se garantido a partir de 01/08/19
– Duncan Robinson (SF/PF): US$1.4 milhão

Exceção salarial
Trade exception de US$6.3 milhões (expira em 06/02/2020)

Provável espaço na folha salarial
– Cerca de US$31 milhões acima do teto, pagando US$13.6 milhões de Luxury Tax

Objetivos na offseason
– Manter-se competitivo
– Flexibilizar a folha salarial, de preferência conseguindo trocas pelos contratos expirantes de Whiteside e Dragic para evitar o pagamento de multas por ultrapassar a luxury tax
– Conceder papéis maiores na equipe ao trio Winslow, Richardson e Adebayo
– Adicionar pontuadores (quinto pior em número de pontos anotados e em eficiência ofensiva em 2018/19)
– Adicionar arremessadores do perímetro (décimo pior aproveitamento nas bolas de três pontos em 2018/19)

Potenciais alvos na agência livre
– Jimmy Butler (SG/SF): irrestrito
– Reggie Bullock (SG/SF): irrestrito
– Wesley Matthews (SG/SF): irrestrito
– Seth Curry (SG): irrestrito
– Mario Hezonja (SG/SF): irrestrito
– Justin Holiday (SG/SF): irrestrito
– Troy Daniels (SG): irrestrito

Principais moedas de troca
– Os contratos expirantes de Hassan Whiteside e Goran Dragic
– A escolha número 13 do Draft deste ano
– James Johnson, Kelly Olynyk e Dion Waiters

Potenciais alvos de troca
– J.R. Smith (SG, Cleveland Cavaliers): ‘apenas’ US$3.9 milhões garantidos (se não for dispensado até 30/06/2019, seu último ano de contrato – US$15.7 milhões – torna-se totalmente garantido)
– Chris Paul (PG, Houston Rockets): US$124 milhões nas próximas três temporadas
– Mike Conley (PG, Memphis Grizzlies): US$32.5 milhões na próxima temporada e uma player option de US$34.5 milhões em 2020/21
– Bradley Beal (SG, Washington Wizards): US$55.8 milhões nas próximas duas temporadas

Escolha no Draft 2019
– Uma de primeira rodada (13)

Potenciais alvos na primeira rodada do Draft
– Brandon Clarke (PF/C, Gonzaga, junior, 22 anos)
– Sekou Doumbouya (SF/PF, Limoges-França, 18 anos)
– Bol Bol (C, Oregon, freshman, 19 anos)
– Nassir Little (SF, North Carolina, 19 anos)
– Romeo Langford (SG/SF, Indiana, freshman, 19 anos)
– P.J. Washington (PF, Kentucky, sophomore, 20 anos)
– Kevin Porter Jr. (SG/SF, USC, freshman, 19 anos)
– Tyler Herro (SG, Kentucky, freshman, 19 anos)
– Nickeil Alexander-Walker (SG, Virginia Tech, sophomore, 20 anos)


Orlando Magic

Dona da franquia: Cheri DeVos
Front office: Jeff Weltman (presidente de operações), John Hammond (gerente-geral)
Técnico: Steve Clifford (contrato garantido até 2022)

Contratos garantidos para 2019/20: US$83.35 milhões
– Aaron Gordon (SF/PF): US$19.8 milhões
– Evan Fournier (SG/SF): US$17 milhões
– Timofey Mozgov (C): US$16.7 milhões – expirante
– Markelle Fultz (PG/SG): US$9.7 milhões
– D.J. Augustin (PG): US$7.25 milhões – expirante
– Jonathan Isaac (SF/PF): US$5.8 milhões
– Mohamed Bamba (C): US$5.7 milhões
– Melvin Frazier (SF): US$1.4 milhão

Team option (opção do time encerrar o contrato antes da abertura do mercado): US$1.6 milhão
– Wesley Iwundu (SF): US$1.6 milhão

Agentes livres
– Nikola Vucevic (C): irrestrito (Magic tem os Bird rights) – Cap Hold de US$19.1 milhões
– Terrence Ross (SG/SF): irrestrito (Magic tem os Bird rights) – Cap Hold de US$15.75 milhões
– Jerian Grant (PG: restrito (Magic tem os Bird rights) – Cap Hold de US$7.9 milhões
– Jarell Martin (PF): restrito (Magic tem os Bird rights) – Cap Hold de US$7.2 milhões
– Khem Birch (C): restrito (Magic tem os Early Bird rights) – Cap Hold de US$1.8 milhão
– Michael Carter-Williams (PG): irrestrito – Cap Hold de US$1.6 milhão

Espaço na folha salarial
– Cerca de US$21 milhões

Objetivos na offseason
– Continuar sendo um postulante a uma vaga nos playoffs
– Tentar renovar com Nikola Vucevic e Terrence Ross
– Recuperar a confiança de Markelle Fultz e dar espaço ao jovem
– Adicionar pontuadores (sétimo pior em número de pontos anotados e nono pior em eficiência ofensiva em 2018/19)

Potenciais alvos na agência livre
– Nikola Vucevic (C): irrestrito
– Terrence Ross (SG/SF): irrestrito
– D’Angelo Russell (PG/SG): irrestrito
– Danny Green (SG/SF): irrestrito
– Wayne Ellington (SG/SF): irrestrito
– Wesley Matthews (SG/SF): irrestrito

Principais moedas de troca
– Os contratos expirantes de Timofey Mozgov e D.J. Augustin
– Evan Fournier
– A escolha número 16 do Draft deste ano

Escolhas no Draft 2019
– Uma de primeira rodada (16)
– Uma de segunda rodada (46)

Potenciais alvos na primeira rodada do Draft
– Romeo Langford (SG/SF, Indiana, freshman, 19 anos)
– P.J. Washington (PF, Kentucky, sophomore, 20 anos)
– Keldon Johnson (SG/SF, Kentucky, freshman, 19 anos)
– Tyler Herro (SG, Kentucky, freshman, 19 anos)
– Rui Hachimura (PF, Gonzaga, junior, 21 anos)
– Kevin Porter Jr. (SG/SF, USC, freshman, 19 anos)
– Nickeil Alexander-Walker (SG, Virginia Tech, sophomore, 20 anos)


Washington Wizards

Dono da franquia: Ted Leonsis
Front office: Tommy Sheppard (vice-presidente sênior de operações de basquete), cargo de GM permanece vago
Técnico: Scott Brooks (contrato garantido até 2021)

Contratos garantidos para 2019/20: US$89.5 milhões
– John Wall (PG): US$38.15 milhões
– Bradley Beal (SG): US$27.1 milhões
– Ian Mahinmi (C): US$15.45 milhões – expirante
– Dwight Howard (C): US$5.6 milhões – expirante
– Troy Brown Jr. (SG/SF): US$3.2 milhões

Contrato não garantido para 2019/20: US$1.6 milhão
– Jordan McRae (SG): US$1.6 milhão

Team option (opção da franquia de encerrar o contrato do atleta): US$20 milhões
– Jabari Parker (PF): US$20 milhões

Exceções salariais
Trade exception de US$957 mil (expira em 26/06/2019)
Trade exception de US$694 mil (expira em 15/10/2019)
Trade exception de US$5.45 milhões (expira em 07/12/2019)
Trade exception de US$3.2 milhões (expira em 17/12/2019)
Trade exception de US$6 milhões (expira em 06/02/2020)
Trade exception de US$8.6 milhões (expira em 07/02/2020)

Agentes livres
– Tomas Satoransky (PG/SG): restrito (Wizards tem os Bird rights) – Cap Hold de US$5.9 milhões
– Bobby Portis (PF/C): restrito (Wizards tem os Bird rights) – Cap Hold de US$7.5 milhões
– Sam Dekker (SF/PF): restrito (Wizards tem os Bird rights) – Cap Hold de US$8.3 milhões
– Thomas Bryant (C): restrito (Wizards tem os Early Bird rights) – Cap Hold de US$3 milhões
– Devin Robinson (SF): irrestrito (Wizards tem os Early Bird rights) – Cap Hold de US$1.4 milhão
– Trevor Ariza (SG/SF): irrestrito – Cap Hold de US$18 milhões
– Jeff Green (SF/PF): irrestrito – Cap Hold de US$1.6 milhão
– Chasson Randle (PG): restrito – Cap Hold de US$1.8 milhão

Espaço na folha salarial
– Cerca de US$7 milhões acima do teto, ainda abaixo da Luxury Tax

Objetivos na offseason
– Flexibilizar a folha salarial (para evitar o pagamento de multas por ultrapassar a luxury tax) e partir para uma reformulação profunda de elenco
– Trocar Bradley Beal por jovens promissores, picks e expirantes
– Renovar com Tomas Satoransky
– Dar mais espaço ao jovem Troy Brown Jr.
– Adicionar um armador (barato) ao elenco, já que John Wall ficará de fora de toda a temporada 2019/20
– Adicionar bons defensores tanto de perímetro quanto de garrafão (time com a segunda maior média de pontos sofridos e a terceira pior eficiência defensiva em 2018/19)
– Adicionar arremessadores do perímetro (quinto pior aproveitamento nas bolas de três pontos em 2018/19)
– Adicionar reboteiros (quarto pior em rebotes em 2018/19)

Potenciais alvos na agência livre
– Cory Joseph (PG): irrestrito
– Tyus Jones (PG): restrito
– Elfrid Payton (PG): irrestrito
– Jerryd Bayless (PG/SG): irrestrito
– Seth Curry (PG/SG): irrestrito
– JaMychal Green (PF): irrestrito
– Al-Farouq Aminu (SF/PF): irrestrito
– Noah Vonleh (PF): irrestrito

Principais moedas de troca
– Bradley Beal
– O contrato expirante de Ian Mahinmi

Escolha no Draft 2019
– Uma de primeira rodada (9)

Potenciais alvos na primeira rodada do Draft
– Cam Reddish (SG/SF, Duke, freshman, 19 anos)
– Jaxson Hayes (C, Texas, freshman, 18 anos)
– Brandon Clarke (PF/C, Gonzaga, junior, 22 anos)
– Sekou Doumbouya (SF/PF, Limoges-França, 18 anos)
– Coby White (PG/G, North Carolina, freshman, 19 anos)
– Romeo Langford (SG/SF, Indiana, freshman, 19 anos)


Observações

Salary Cap: na próxima temporada, o teto salarial deverá ser de US$109 milhões.

Luxury Tax: na próxima temporada, as multas deverão começar a ser cobradas de quem gastar pelo menos US$132 milhões, ou seja, quase US$23 milhões acima do teto salarial.

Multas: o time que chega ao nível de luxury tax começa a pagar multas – e as punições são mais pesadas para aqueles que são reincidentes.

Tamanho do estouro – Multa por dólar excedente – Multa por dólar excedente em caso de reincidência
– Menos de US$5 milhões – US$1,50 – US$2,50
– Entre US$5 milhões e US$10 milhões – US$1,75 – US$2,75
– Entre US$10 milhões e US$15 milhões – US$2,50 – US$3,50
– Entre US$15 milhões e US$20 milhões – US$3,25 – US$4,25
– US$20 milhões ou mais – US$3,75 + US$0,50 a cada US$5 milhões – US$4,75 + US$0,50 a cada US$5 milhões

Cap Hold: representa, basicamente, o espaço no Cap que uma equipe visa utilizar, ou seja, jogadores com os quais planeja firmar contrato, mas que ainda não o tenha feito. Por exemplo: um jogador escolhido no draft que ainda não tenha assinado contrato com a equipe, irá fazê-lo, e como tal, a equipa precisa de criar um Cap Hold – ou, por outras palavras, uma reserva. Um jogador que é agente livre conta no teto salarial do time mesmo que esteja sem contrato – pelo menos até assinar com outro time. Isso impede que uma equipe assine com agentes livres de outros times e depois assine com os seus próprios utilizando as exceções para estourar o teto salarial.

Exceções que permitem o estouro do teto salarial

Mid-Level Exception: a exceção de nível médio serve para que os times possam contratar anualmente jogadores com contratos medianos, mesmo que estejam acima do teto salarial.

– MLE (para os times que não entrarem na luxury tax): US$9.246 milhões no primeiro ano para quatro anos de contrato
– Mini MLE (para os times que entrarem na luxury tax): US$5.711 milhões no primeiro ano para três anos de contrato
Room Exception (para os times que estiverem abaixo do Cap): US$ 4.76 milhões no primeiro ano para dois anos de contrato

Bi-Annual Exception (US$3.619 milhões no primeiro ano de contrato): permite aos times assinarem com jogadores contratos de até dois anos, com um primeiro ano relativamente baixo e acréscimo de no máximo 8% para o segundo ano. Desde 2011, essa exceção NÃO é liberada para times que pagam luxury tax.

Rookie Exception: a exceção de novatos permite que os times assinem com as suas escolhas de primeira rodada pelos valores tabelados, mesmo que para isso seja necessário ultrapassar o limite do teto salarial.

Larry Bird Exception: tem esse nome porque foi aplicada pela primeira vez durante uma renovação de Larry Bird com o Boston Celtics, nos anos 80. Com ela, os times podem estourar o teto salarial para renovar com jogadores que estão no elenco há pelo menos três anos. O jogador também mantém os seus “Bird rights” se for trocado ou se tiver o contrato puxado dos waivers assim que for cortado. Jogadores que têm os “Bird rights” ainda podem assinar contratos de cinco anos, enquanto outros jogadores não podem assinar vínculos maiores do que quatro temporadas.

Early Bird Exception: serve para jogadores que estão no mesmo time há dois anos. Devem assinar contratos entre dois e quatro anos, com um valor máximo de 175% do salário anterior ou a média do salário da liga (o que for maior).

Non-Bird Exception: serve para jogadores que estão no mesmo time há um ano. São contratos de até quatro anos, com um valor máximo de 120% do salário anterior ou 120% a mais que o piso salarial da NBA (o que for maior).

Minimum Salary Exception: salário mínimo” da liga. Não há limite no número de jogadores contratados sob essa exceção – para a temporada 2019/2020, o salário é de US$2.561 milhões. Aplicada a veteranos que têm dez ou mais anos de trajetória na NBA.

Trade Exception: exceção salarial aberta quando há uma troca de jogadores com contratos discrepantes ou de jogadores por escolhas de draft. O time que troca o jogador de salário maior ganha uma exceção de troca. No prazo de até um ano, esse time poderá fazer uma outra troca em que receba um jogador com o salário maior.

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • João Víctor Matos

    Divisão feia que dói.

  • Fillipe Carel

    Meu Deus!
    Quanto contrato ruim em uma única divisão.

  • Rafael Vieira

    O Heat ultrapassa e muito o cap e tem um dos piores rosters da liga. Se tivesse um técnico fraco tinha ficado nas últimas colocações com certeza. Heat precisa reformular geral

    • Everton

      Esse processo de reformulação já era pra tá rolando tem um tempo. A questão é que Spoelstra tira leite de pedra desse time e por jogar no leste tbm. O problema é não ter nem condições de assumir contratos ruins pra começar a reestruturar com picks.

  • Marcelo Desoxi

    Esse contrato do Mahinmi dói no fundo da alma.
    Como alguém tem coragem de oferecer 64M para esse encosto, minha nossa.

  • Hugo Noronha

    Tank

  • Cavs&KingJamesaondeestiver

    Tinha que dar uma surra de chicote de rabo de tatu nos GMs do Heat, Hornets e Wizzards…ter um time horrível sem previsão de melhora excedendo capital e muito amadorismo.

  • Maicon Gomes

    Aqui dar até tristeza fazer análise. O único que vejo tendo um bom presente e futuro é o Hawks.

    A equipe possui uma dois grandes talentos, excelente espaço no cap, várias picks e muitos contratos expirantes. Tem tudo pra dar um grande salto no rebuild e acrescentar bastante talento jovem nessa equipe, além de bons jogadores experientes.

    Os gm’s do Hornets, Heat e Wizards precisam trabalhar forte e ter bastante competência pra melhorar essas equipes. É cada contrato pornográfico, que meu Deus…

    • Ronald Vagner

      O Hawks é um time de grande futuro, terão 6 picks esse ano, podendo ter mais se absolverem 1 ou outro contrato ruim. O Bucks poderia enviar a pick deles para o Hawks absolver o contrato do Snell.

  • Ronald Vagner

    Essa é com ctz, a pior divisão da NBA atualmente.

  • Tiago

    Essa divisão fede!

  • JASPION DA MASSA

    Atlanta poderia pegar o contrato do whiteside, seria uma dupla interessante com o Collins e expirante . Tentaria subir no draft ou trocar essa escolha 17 por alguma(s) futuras .de resto é desenvolver os mlks.
    ___
    Hornets é renovar com o kemba e continuar na Merda com esses contratos.
    ___
    Wizards se fudeu com a lesão/contrato do wall, trocaria o beal jaja ele fica puto e perde valor, vai pro tank
    _____
    Orlando tinha que tentar revelar o talento oculto do fultz, renovar com o vucevic e se fizer isso, troca o bamba
    ____
    Miami não tem muito o que fazer, ruim pra brigar por offs e bom pra tankar…contratos lamentáveis

  • Diego Costa

    Contratos bizarros nessa divisão.

    Nao sei até que ponto o Wizards estaria disposto a se livrar do Beal, mas o Hawks tem algumas peças suficientes pra fazer um bom pacote.

    Imagina ele jogando junto com Trae Young, é um poder de fogo absurdo.

    Pick 8,17,35 + Bazemore e Huerter. Preço justo.

  • Leonardo Siqueira

    Esse Cap do Atlanta Hawks vai ficar top na próxima temporada, os três expirantes somados dão 50,3M.
    Eu tentaria Jrue Holiday e Bogdanovic e um pivô depois.
    Seria legal ver Trae Young, Jrue Holiday, Bogdanovic e Collins

    • Rodrigo Morais

      Ia mandar quem pelo Jrue?

      • Leonardo Siqueira

        Bazemore, Picks 8,17, Huerter

        • Rodrigo Morais

          Eu não trocaria, nessa trade ai só o que teria algum valor pro Pelicans ia ser a Pick 8, mas da pra conseguir a 7 ou a 6 pelo Lonzo

          • Leonardo Siqueira

            Mas aí poderia trocar com alguém po.
            contrato do Bazemore é expirante mesmo.
            pick 8,17, Huerter
            será que ninguem iria querer?

  • Leonardo Siqueira

    da vontade de chorar vendo isso

    Nicolas Batum (SG/SF): US$25.5 milhões
    – Bismack Biyombo (C): US$17 milhões – expirante
    – Marvin Williams (PF): US$15 milhões – expirante
    – Cody Zeller (C): US$14.5 milhões

  • Lobo

    Essa aí está feia, o Magic deveria liberar o Vucevic e ir em buscas de opções de baratas, o Heat deveria tentar trocar Whiteside e Dragic por opções mais baratas e picks

  • Matheus Pitarello

    Incrível o Spoelstra fazer esse time do Heat lutar por playoffs. Que time horrível. Era um treinador q eu criticava na época do LeBron, mas hj eu não tenho nem coragem de criticar. Pena q o time não tem perspectiva de melhora…

    • Andrei

      Cara, cultuo do mesmo pensamento, considero esse time bem limitado e olha que ano passado tinha o Wade. Spoelstra realmente é bom técnico.

  • Marco Brasil

    Vendo esses contratos do Hornets, será que não valeria a pena eles tentarem uma troca pelo CP3, se kemba ficar? Sem pensar pelo lado do Houston…

  • Rafa Oliveira

    Chegamos a conferência do show de horrores. Enfim, todos nos sabemos que é a pior da NBA, entao, vou me restringir ao Heat. Adicionar um shooter porque o time foi o 5 pior ataque ? O Heat tem o pior ataque da NBA, eu tenho certeza absoluta e tive o desprazer de acompanhar fielmente mais uma temporada. O time nao tem a mínima ideia da onde quer chegar e a mistura explosiva de um time bem treinado com contratos extremamente ruins tornam as poucas picks do Miami pouco interessantes. Mas há coisas além disso, como desovar contratos com um time que nao tem picks de Draft ? Nem um milagreiro sabe. O Miami possui um futuro totalmente sombrio pela frente, e se colocou nessa situaçao pela extrema incapacidade da sua diretoria de definir um rumo. Renovou com o Whiteside sabendo das limitações do jogador e da necessidade de um time municiando o seu ataque, enquanto a sua defesa é bonita de se olhar em números mas pouco efetiva quando se acompanha o jogo inteiro. Aliás, essa renovação dita muito o que é o Miami, qual a necessidade de renovar com um jogador que nao é um FP sabendo das restrições de talento e de CAP que seu time terá ? Uma coisa é renovar com o Walker, Wall, por mais que pareça absurdo, eles dao a cara da franquia, que por mais limitada que seja, possuem um rumo. Nem isso o Miami tem. Eu poderia descascar os milhares de erros aqui, mas de verdade, escrevi e ja estou puto, pelo bem da sanidade, deixarei meu boa sorte ao Spoelstra, porque o post do Jumper resume tudo, esperança em Richardson, Adebayo e Winslow ? É de cair o cu da bunda. Reitero, sao tempos sombrios para o Heat, sempre prometo nao acompanhar mas, ano que vem estarei eu aqui de novo, infelizmente.