Confira como estão os elencos até a primeira semana de agência livre

Após a confirmação de Kawhi Leonard como reforço do Los Angeles Clippers, é possível, agora, determinar que a próxima temporada da NBA será bastante equilibrada. Enquanto nos últimos anos os times se fortaleciam para disputar o título contra o Golden State Warriors, agora existe um maior nivelamento.

Aqui, vamos analisar o que cada time fez na offesason e o que seria cada quinteto inicial.

Leste (ordem de classificação da temporada 2018-19)

1- Milwaukee Bucks

O time do MVP Giannis Antetokounmpo perdeu peças importantes, como o armador Malcolm Brogdon (fechou com o Indiana Pacers) e o ala-pivô Nikola Mirotic (retornou para a Europa). Acertou com o ala-armador Wesley Matthews e o pivô Robin Lopez.

Na teoria, o Milwaukee Bucks saiu perdendo simplesmente por não conseguir manter Brogdon, um sujeito capaz de repetir 50-40-90 (porcentagem em arremesso de quadra, de três e lances livres, respectivamente), além de ser um ótimo defensor. Sem Brogdon e Mirotic, o Bucks perdeu dois ótimos arremessadores do perímetro. Matthews já foi considerado um dos melhores “3 and D” (especialista em arremessos de três e de defesa), mas, aos 32 anos, vive de forma quase que exclusiva no canto da quadra. Já Robin Lopez, é uma versão menos técnica e mais aguerrida em relação ao seu irmão, Brook. O problema é: em vários momentos dos jogos, o time jogava sem pivô de origem, mantendo o espaçamento de quadra (Brook joga no perímetro no ataque e pouco invade o garrafão adversário).

Quinteto projetado: Eric Bledsoe, Wesley Matthews, Khris Middleton, Giannis Antetokounmpo e Brook Lopez.

2- Toronto Raptors

Campeão inédito, o Toronto Raptors acreditava no retorno de Kawhi Leonard para a próxima temporada. Pudera: o astro obteve o título em sua primeira tentativa no Canadá, onde era venerado por seus torcedores. Leonard não só não ficou, como o Raptors não agiu no mercado. Manteve, claro, a base de 2018-19, com nove jogadores sob contrato, além do ala Matt Thomas, especialista em arremessos de três que estava na Europa.

Ainda há tempo de fazer algo na agência livre e o time já fechou com Rondae Hollis-Jefferson, ex-Brooklyn Nets e Stanley Johnson. Sem Leonard, o Raptors mostrou-se competitivo durante a campanha passada. Com ele, foi campeão. A diferença é grande.

Quinteto projetado: Kyle Lowry, Norman Powell, OG Anunoby, Pascal Siakam e Marc Gasol.

3- Philadelphia 76ers

Pontos positivos: o Philadelphia 76ers acertou com o ala-pivô Al Horford, manteve Tobias Harris e recebeu o ala-armador Josh Richardson em troca com o Miami Heat.

Pontos negativos: pagou caro por Horford, muito mais caro por Harris, perdeu Jimmy Butler para o Heat e JJ Redick para o New Orleans Pelicans.

É óbvio que o Sixers procurou movimentar-se logo na abertura da janela de contratações e não deixou se abater pelas perdas de Butler e Redick, mas gastou muito dinheiro em cima de dois jogadores que, na teoria, não deveriam valer todo o investimento. A diretoria travou a folha salarial por quatro anos e será obrigada a dar um belo aumento ao armador Ben Simmons, já em negociação.

O Sixers ainda trouxe Mathias Lessort, que estava no basquete espanhol, o armador brasileiro Raul Neto, ex-Utah Jazz, Kyle O’Quinn, ex-Indiana Pacers, manteve James Ennis e, por fim, selecionou o especialista em defesa Matisse Thybulle no draft.

Quinteto projetado: Ben Simmons, Josh Richardson, Tobias Harris, Al Horford e Joel Embiid.

4- Boston Celtics

Assim que você percebe que Al Horford e Kyrie Irving deixaram o Boston Celtics, a primeira sensação é de que o elenco vai piorar sensivelmente. Bom, pode ser, até porque o ala Marcus Morris ainda não definiu seu destino e é outro que pode abandonar o barco.

Para aliviar um pouco o sentimento de que a vaca foi para o brejo, o time de Massachusetts fechou com Kemba Walker, ex-Charlotte Hornets. Walker tem um estilo de jogo parecido com o de Irving, embora procure mais jogadas no pick and roll e isolations do que o antigo titular. A questão é: com quem ele vai poder trabalhar isso?

Enes Kanter foi contratado com cara de que ainda falta um pivô titular para esse time. Não que Kanter seja ruim ou algo do tipo, mas ele não é, nem de longe, um bom defensor que Horford era em Boston. Ofensivamente e nos rebotes, a coisa muda de figura.

O Celtics cai em relação aos últimos anos, mas na esperança de que Gordon Hayward volte a ser um grande jogador e que os calouros, especialmente Romeo Langford, possam render logo de cara.

Quinteto projetado: Kemba Walker, Marcus Smart, Jaylen Brown, Jayson Tatum e Enes Kanter.

5- Indiana Pacers

Claro que a aposentadoria de Darren Collison pegou muita gente de surpresa, mas as chances de o armador seguir no Indiana Pacers não eram lá muito animadoras. O time, que era bom, até se reforçou em determinadas posições, como nas chegadas de Malcolm Brogdon, Jeremy Lamb, T.J. Warren e T.J. McConnell. Mas perdeu Wesley Matthews para o Milwaukee Bucks, Thaddeus Young para o Chicago Bulls e, para piorar, Bojan Bogdanovic para o Utah Jazz. Eram quatro titulares, embora Matthews apenas ocupava o lugar de Victor Oladipo, que se recupera de lesão.

O Pacers viu seu quinteto titular se desfazer em pouquíssimos dias. As perdas são mais significativas do que as chegadas. A aposta é que Domantas Sabonis tenha mais protagonismo, enquanto Oladipo e Brogdon vão precisar comandar o ataque.

Quinteto projetado: Malcolm Brogdon, Victor Oladipo, T.J. Warren, Domantas Sabonis e Myles Turner.

6- Brooklyn Nets

Já estava bom. Dizem que ia mudar ainda para melhor. Agora parece que melhorou.

Bem, foi isso mesmo o que aconteceu com o Brooklyn Nets. O time, que faz um grande trabalho nos bastidores com Sean Marks, segue subindo de produção ano após ano. De uma só vez, o Nets fechou com Kyrie Irving, Kevin Durant e DeAndre Jordan. Imediatamente, a equipe já se coloca entre as favoritas da conferência Leste, mesmo que Durant esteja fora da temporada.

Uma coisa a ser analisada mais friamente é sobre o ambiente. O Nets vinha de uma reconstrução sem escolhas no draft, evoluindo aos poucos. Um verdadeiro trabalho formiguinha. Daí, sai D’Angelo Russell, em sua melhor fase na carreira e chega Irving, após problemas no Cleveland Cavaliers e Boston Celtics. Claro que tudo não passa de suposição e, que neste primeiro ano, ele não vai precisar dividir protagonismo com Durant, mas é algo a se pensar a longo prazo.

Quinteto projetado: Kyrie Irving, Caris LeVert, Joe Harris, Taurean Prince (Rodions Kurucs) e DeAndre Jordan.

7- Orlando Magic

Em um time com as promessas Markelle Fultz e Michael Carter-Williams, o titular é D.J. Augustin. O Orlando Magic teve uma temporada atípica em 2018-19: se classificou aos playoffs. O time é cheio de incógnitas e, seu melhor jogador, o ala Aaron Gordon, todo ano aparece nos rumores de trocas. O problema é que o time praticamente não agiu no mercado.

Sim, manteve Nikola Vucevic e Terrence Ross, além de ter fechado com Al-Farouq Aminu. Mas é muito pouco, apesar de que no Leste nem sempre é necessário ter um time tão forte para seguir nos playoffs.

Quinteto projetado: D.J. Augustin, Evan Fournier, Aaron Gordon, Jonathan Isaac e Nikola Vucevic.

8- Detroit Pistons

A offseason do Detroit Pistons está sendo morna. Chegaram Derrick Rose, Tony Snell e Markieff Morris. Seriam excelentes, caso fosse há seis ou sete anos. O que importa é que talento tem ali.

Rose se redescobriu na temporada passada, atuando pelo Minnesota Timberwolves. Depois de vários anos no limbo, o armador chegou a ser considerado para o Jogo das Estrelas e ao posto de melhor reserva de 2018-19. Snell, que ainda não se firmou em lugar algum, é um bom defensor e pode arremessar de longa distância. Por fim, Morris pode ser ala-pivô ou pivô, espaçando a quadra. O Pistons pode vir para uma temporada melhor.

Quinteto projetado: Reggie Jackson, Luke Kennard, Tony Snell, Blake Griffin e Andre Drummond.

9- Charlotte Hornets

Ah, que horrível. O Charlotte Hornets conseguiu piorar (em muito) o seu elenco ao perder o astro Kemba Walker. A diretoria não teria se esforçado o suficiente para manter o armador. Walker foi para o Celtics, de onde chegou Terry Rozier. É a chance do atleta aparecer, após reclamar de espaço em sua antiga equipe.

P.J. Washington chegou via draft e pode ganhar minutos imediatamente como ala-pivô. Miles Bridges deve ser o ala-pivô no início da próxima campanha, de acordo com James Borrego, técnico da equipe.

De bom mesmo é que os contratos de Marvin Williams e Michael Kidd-Gilchrist expiram ao fim de 2019-20, quando a equipe vai abrir pouco mais de US$28 milhões.

Quinteto projetado: Terry Rozier, Nicolas Batum, Miles Bridges, Marvin Williams e Cody Zeller.

10- Miami Heat

O Miami Heat tentou de tudo para se reforçar mais na offseason e conseguiu o astro Jimmy Butler, em troca com o Philadelphia 76ers. Sem Dwyane Wade, aposentado, o time da Flórida por pouco não perdeu Goran Dragic e Kelly Olynyk em troca por Butler. Menos mal.

Quem saiu foi Hassan Whiteside, negociado com o Portland Trail Blazers. Em seu lugar, chegou Meyers Leonard, que se destacou nos playoffs durante as finais do Oeste por seus arremessos de três.

Quinteto projetado: Goran Dragic, Jimmy Butler, Justise Winslow, Kelly Olynyk e Bam Adebayo.

11- Washington Wizards

Fora dos playoffs pela primeira vez em três anos, o Washington Wizards luta para manter Bradley Beal em seu elenco. Beal é pretendido por diversas equipes, mas reafirmou desejo de assinar extensão. Por mais que o time não conte com John Wall por toda a temporada, o Wizards fez algumas boas contratações na offseason.

Para a armação, chegaram Isaiah Thomas e Ish Smith. Thomas Bryant renovou e ganhou espaço pela troca de Dwight Howard para o Memphis Grizzlies. O ala C.J. Miles chega como opção para os arremessos de três pontos. Já o calouro Rui Hachimura deve ganhar espaço imediatamente.

Quinteto projetado: Isaiah Thomas, Bradley Beal,  Troy Brown (C.J. Miles), Rui Hachimura e Thomas Bryant.

12- Atlanta Hawks

O Atlanta Hawks está engajado em conseguir resultados nos próximos anos. Talvez, ainda não seja em 2019-20, mas a diretoria trabalha para deixar o elenco forte o suficiente para brigar por playoffs em dois ou três anos. Se vier antes, lucro. Na offseason, o Hawks recebeu Chandler Parsons, Evan Turner, Allen Crabbe e Jabari Parker, além dos calouros Cam Reddish e Bruno Fernando. Na teoria, melhorou e deve apostar suas fichas em Trae Young, John Collins e Kevin Huerter, remanescentes de 2018-19.

Quinteto projetado: Trae Young, Kevin Huerter, De’Andre Hunter, John Collins e Alex Len.

13- Chicago Bulls

O Chicago Bulls está melhorando aos poucos após a diretoria implodir o elenco dos tempos de Derrick Rose, Luol Deng, Jimmy Butler e Joakim Noah. O Bulls, agora sob o comando de Jim Boylen, trouxe boas peças para o grupo em 2019-20, como o ala Thaddeus Young, o armador e ala-armador Tomas Satoransky e o ala-pivô Luke Kornet. A esperança está ainda em desenvolver o jovem Coby White, sétima escolha do último draft. O elenco é muito promissor, que conta com Zach LaVine, Otto Porter, Wendell Carter e Lauri Markkanen.

Em 2018-19, o time sofreu com contusões. Somados, Carter, LaVine e Markkanen, perderam 87 jogos. Isso significa que, ao menos um deles, desfalcou o Bulls em mais de um terço das partidas. A equipe de Illinois pode até não se classificar aos playoffs de imediato, mas a tendência é que consiga obter uma vaga em breve.

Quinteto projetado: Tomas Satoransky, Zach LaVine, Otto Porter, Lauri Markkanen e Wendell Carter.

14- Cleveland Cavaliers

Até o momento, a agência livre do Cleveland Cavaliers é decepcionante. O time simplesmente se não moveu. Tudo bem que a folha salarial é bem travada e será aliviada em cerca de dois terços para 2020-21, quando os contratos de Tristan Thompson, J.R. Smith, Brandon Knight, Jordan Clarkson, John Henson e Matthew Dellavedova vão expirar. Smith é candidatíssimo a ser dispensado, assim como Knight.

O técnico John Beilein deverá optar por dois ou até três jogadores por posição. Sabendo que Collin Sexton e Darius Garland devem atuar por muitos minutos juntos, Clarkson e Dellavedova deverão ser os principais nomes no banco de reservas.

No garrafão, ainda especula-se que o astro Kevin Love será trocado, talvez até antes do início de 2019-20. O ala-pivô, de 30 anos, não consegue manter-se saudável e perdeu, apenas nas últimas três temporadas, nada menos que 105 de possíveis 246 jogos.

Quinteto projetado: Darius Garland, Collin Sexton, Cedi Osman, Kevin Love e Tristan Thompson.

15- New York Knicks

Não demorou muito, mas a diretoria do New York Knicks percebeu que o time não era exatamente um destino muito desejado dos agentes livres nesta offseason. Um por um, os grandes nomes foram descartando o Knicks como se fosse uma equipe sem tradição. Ao menos, os contratos oferecidos aos que aceitaram jogar ali, foram de um ou, no máximo, dois anos, com opção da franquia.

O Knicks fez um verdadeiro limpa em seu elenco. Abriu espaço de todas as formas para acomodar dois ou até três grandes contratos. Não deu em nada. Chegaram Julius Randle, Bobby Portis, Taj Gibson, Elfrid Payton, Reggie Bullock e Wayne Ellington. Tirando Randle, talvez ninguém aí esteja nos planos do time para os próximos anos. Os contratados são de bom nível e podem ajudar de imediato.

O calouro R.J. Barrett deverá ganhar muito tempo de quadra ao lado de Dennis Smith. O canadense pode criar seu próprio arremesso e tende a concentrar o jogo em si, o que, em tese, seria um problema para Smith, que também utiliza muito a bola nas mãos. No mais, olho em Ignas Brazdeikis, 47ª escolha no draft, mas com muitos instintos ofensivos.

Quinteto projetado: Dennis Smith Jr., R.J. Barrett, Kevin Knox, Julius Randle e  Mitchell Robinson.


Oeste

1- Golden State Warriors (ordem de classificação da temporada 2018-19)

Perder o título foi dolorido, mas ficar sem Klay Thompson por boa parte da próxima temporada e, sem Kevin Durant  e Andre Iguodala em definitivo, é brutal. O Golden State Warriors vai continuar com o estilo de jogo que o consagrou nos últimos anos, especialmente após a chegada de D’Angelo Russell, ex-Brooklyn Nets. Russell foi para o All Star Game em 2018-19 pela primeira vez na carreira e chega, em tese, no lugar de Durant.

Quem também chegou foi o pivô Willie Cauley-Stein, ex-Sacramento Kings. Cauley-Stein pediu para ser negociado, mas não sabia que sairia de um time em ascensão para um que briga pelo título todo ano. Caiu para cima. O time ainda fechou com Glenn Robinson III, que estava no Detroit Pistons.

Quinteto projetado: Stephen Curry, D’Angelo Russell, Alfonzo McKinnie, Draymond Green e Willie Cauley-Stein.

2- Denver Nuggets

O Denver Nuggets não tinha muito o que fazer na agência livre. Com uma folha salarial engessada, a equipe do Colorado manteve o contrato do experiente Paul Millsap, que receberá US$30.5 milhões em 2019-20, mas se não o fizesse, abriria “apenas” US$17 milhões. Quem a equipe conseguiria por esse valor para ser melhor que Millsap na mesma posição? A resposta é simples: ninguém.

Em uma troca, o Nuggets recebeu Jerami Grant do Oklahoma City Thunder. Ótimo defensor, Grant pode jogar nas duas alas e obteve em 2018-19 as suas melhores marcas da carreira ao somar 13.6 pontos, 5.2 rebotes e 1.3 bloqueio, além de 39.2% de acertos em arremessos de três. Já Bol Bol, que acabou caindo para a segunda rodada do draft, não deve ter muito tempo de quadra, até porque ele é reserva de ninguém menos que Nikola Jokic.

Quinteto projetado: Jamal Murray, Gary Harris, Torrey Craig (Will Barton), Paul Millsap e Nikola Jokic.

3- Portland Trail Blazers

Surpresa ao disputar as finais do Oeste, o Portland Trail Blazers perdeu os seus dois alas titulares dos últimos anos (Moe Harkless e Al-Farouq Aminu). Para suprir essas ausências, o time do Oregon trouxe Kent Bazemore, ex-Atlanta Hawks e deve utilizar o veterano Anthony Tolliver, que estava no Minnesota Timberwolves, como ala-pivô. Hassan Whiteside, ex-Miami Heat, chega para ocupar o lugar do lesionado Jusuf Nurkic.

O Blazers ainda acertou o retorno de Rodney Hood, além da chegada de Mario Hezonja, ex-New York Knicks, mas perdeu Enes Kanter, que foi para o Boston Celtics e o especialista em arremessos, Seth Curry, que retornou para o Dallas Mavericks.

Quinteto projetado: Damian Lillard, C.J. McCollum, Kent Bazemore (Rodney Hood), Anthony Tolliver (Zach Collins) e Hassan Whiteside.

4- Houston Rockets

Um time com James Harden é sempre candidato ao título. Ficou pelo caminho mais uma vez e o GM Daryl Morey ameaçou implodir o elenco e começar do zero. Desistiu da ideia, aparentemente e agora deve manter toda a base da campanha passada, com exceção ao brasileiro Nenê, que ainda não definiu se segue por mais um ano ou se vai encerrar a carreira. No mais, o time precisa ainda definir quem mais fará parte do grupo. Três jogadores que fizeram parte da rotação principal estão ainda sem contrato.

Quinteto projetado: Chris Paul, James Harden, Eric Gordon, P.J. Tucker e Clint Capela.

5- Utah Jazz

Mike Conley e Bojan Bogdanovic chegam ao Utah Jazz com a ideia de colocar a equipe um patamar acima do atual. O time de Salt Lake City chegou aos últimos playoffs sem grandes perspectivas, mas o plano é brigar no topo. Rudy Gobert não terá ao seu lado o ala-pivô Derrick Favors pela primeira vez desde que tornou-se profissional, o que pode deixar o garrafão um pouco mais vulnerável. Bogdanovic deve atuar na posição, espaçando a quadra e mudando um pouco o estilo de jogo da equipe.

Conley é um grande upgrade em relação a Ricky Rubio nos dois lados da quadra. Deve fazer o Jazz mais sólido na defesa de perímetro e a bola pode ser dividida entre Donovan Mitchell e ele no ataque. Por conta do bom aproveitamento (37.5%), o armador pode simplesmente receber e arremessar, algo diferente do que fez em toda a carreira, com a obrigação de criar.

Quinteto projetado: Mike Conley, Donovan Mitchell, Joe Ingles, Bojan Bogdanovic e Rudy Gobert.

6- Oklahoma City Thunder

O Oklahoma City Thunder contou com diversos astros de calibre de MVP nos últimos anos, como Kevin Durant, James Harden, Paul George e Russell Westbrook. Bem, enquanto George foi negociado para o Los Angeles Clippers, existe a possibilidade de Westbrook sair também. O Miami Heat seria um dos destinos mais intrigantes para o armador.

Na negociação de George, chegaram Shai Gilgeous-Alexander e o italiano Danilo Gallinari. Jerami Grant, que fez em 2018-19 sua melhor temporada da carreira, foi para o Denver Nuggets em troca.

Se Westbrook não ficar, o Thunder vai para a reformulação de elenco imediatamente, arruinando qualquer possibilidade de classificação aos playoffs.

Quinteto projetado: Russell Westbrook, Shai Gilgeous-Alexander, Andre Roberson, Danilo Gallinari e Steven Adams.

7- San Antonio Spurs

Não adianta mudar todo o elenco, o San Antonio Spurs vai arrumar um jeito de ir aos playoffs. Óbvio que isso é mérito da diretoria e do técnico Gregg Popovich, mas o time texano se classifica, de forma ininterrupta, desde 1998-99.

O Spurs foi atrás de Marcus Morris, ex-Boston Celtics. Ótimo defensor, Morris pode jogar nas duas alas e é um bom arremessador de longa distância. No entanto, tudo pode mudar porque o atleta estaria mudando de ideia sobre o contrato. Com quase os mesmos atributos chega DeMarre Carroll, que estava no Brooklyn Nets. Popovich deverá definir entre Rudy Gay e ele pela titularidade na ala. Dejounte Murray, finalmente recuperado de contusão, deve recuperar a posição no quinteto inicial.

Quinteto projetado: Dejounte Murray, Bryn Forbes, DeMar DeRozan, DeMarre Carroll e LaMarcus Aldridge.

8- Los Angeles Clippers

Dê só uma olhada no que o Los Angeles Clippers aprontou na agência livre. Trouxe, em duas movimentações no mesmo dia, Kawhi Leonard e Paul George, tornando-se um dos principais candidatos ao título da temporada 2019-20.

Moe Harkless, ex-Portland Trail Blazers, também chegou. Ele deverá vir do banco, assim como Montrezl Harrell e o melhor reserva da campanha passada, Lou Williams. Ivica Zubac renovou e será o pivô titular. Quem ainda não definiu seu futuro foi o ala-pivô JaMychal Green. Agente livre, o atleta seria de enorme importância para a rotação, mas o jogador é pretendido por outras equipes e deve receber propostas mais vantajosas financeiramente.

Bem organizado dentro e fora das quadras, o Clippers se arruma para buscar o primeiro título de sua história.

Quinteto projetado: Patrick Beverley, Landry Shamet, Kawhi Leonard, Paul George e Ivica Zubac.

9- Sacramento Kings

O Sacramento Kings se movimentou bem na offseason. O time californiano, que já foi bem na campanha passada, se reforçou com o ala Trevor Ariza, ex-Washington Wizards, o pivô Dewayne Dedmon, que estava no Atlanta Hawks e Cory Joseph, ex-Indiana Pacers. Além disso, aceitou pagar um salgado salário (US$85 milhões por quatro anos) para ter Harrison Barnes de volta.

Luke Walton, o novo técnico da equipe, ainda pensa como montar o quinteto principal. Existe a possibilidade de Marvin Bagley, que atuou em sua primeira temporada na NBA como ala-pivô, se deslocar para ser o pivô, mas também não se surpreenda se o escolhido for Dedmon, que espaça mais a quadra.

Quinteto projetado: De’Aaron Fox, Buddy Hield, Harrison Barnes, Marvin Bagley e Dewayne Dedmon.

10- Los Angeles Lakers

O Los Angeles Lakers está disposto a desfazer toda a bagunça que foi nos últimos anos, especialmente em 2018-19, quando o time contratou o astro LeBron James para ser o seu principal destaque. James se machucou, o time perdeu o rumo e, quando a diretoria tentou uma troca com o New Orleans Pelicans por Anthony Davis, todas as propostas foram divulgadas e o clima ficou tenso. O Lakers ficou fora dos playoffs.

Mas agora a situação é diferente. Mesmo perdendo a disputa por Kawhi Leonard na agência livre, a equipe conseguiu a tão desejada troca por Davis e fechou com DeMarcus Cousins, Danny Green, Avery Bradley, Quinn Cook, Jared Dudley e Troy Daniels, além das voltas de Rajon Rondo, JaVale McGee, Alex Caruso e Kentavious Caldwell-Pope. Ou seja, o time agora tem um elenco bem mais qualificado que na campanha passada. A meta é o título.

Quinteto projetado: LeBron James, Danny Green, Kyle Kuzma, Anthony Davis e DeMarcus Cousins.

11- Minnesota Timberwolves

A diretoria do Minnesota Timberwolves ainda não conseguiu, mas está tentando negociar Andrew Wiggins, primeira escolha do draft de 2015. Wiggins não virou o astro que era esperado. Simples assim. Só que seu contrato é proibitivo para qualquer equipe na NBA, após extensão que lhe rendeu US$147 milhões por cinco anos.

Enquanto o Timberwolves não efetua a troca, o time fechou com Jordan Bell, Noah Vonleh, Shabazz Napier, Treveon Graham e Jake Layman, reforços bem modestos. A equipe perdeu Derrick Rose, Dario Saric e Taj Gibson na agência livre, aumentando ainda mais o volume do déficit no período. Tempos difíceis em Minneapolis.

Quinteto projetado: Jeff Teague, Andrew Wiggins, Robert Covington, Jordan Bell (Noah Vonleh) e Karl-Anthony Towns.

12- Memphis Grizzlies

Uma verdadeira implosão no elenco foi feita nos últimos anos. Chega de Zach Randolph, Marc Gasol e Mike Conley. Aos poucos, os três grandes nomes da franquia deixaram o Memphis Grizzlies. Conley foi o último, em troca com o Utah Jazz.

Mas agora a ideia é reformular de forma consciente, sem pressa ou pressão. Ja Morant foi selecionado no draft para comandar esse novo Grizzlies, que conta ainda com Jaren Jackson Jr. e Jonas Valanciunas. Andre Iguodala chegou via troca e não deve ficar. Enquanto ficar, o veterano provavelmente será o titular. O time ainda não fechou, mas o brasileiro Bruno Caboclo deve seguir após boas performances no fim da temporada passada. Dwight Howard, que chegou em troca recentemente, dificilmente fica.

Quinteto projetado: Ja Morant, Kyle Anderson, Andre Iguodala (Jae Crowder), Jaren Jackson Jr. e Jonas Valanciunas.

13- New Orleans Pelicans

Perder Anthony Davis não deve ser fácil. O ala-pivô, um dos melhores jogadores da NBA, foi negociado para o Los Angeles Lakers. Tudo bem que chegaram atletas como Brandon Ingram e Lonzo Ball, mas ainda assim a perda é enorme. Por sorte, o time obteve a primeira escolha no draft e, dali, saiu Zion Williamson, um ala-pivô de atributos físicos impressionantes e que chega para ser a grande estrela do New Orleans Pelicans.

Mas o time não ficou só nisso: fechou com o ala-armador JJ Redick, ex-Philadelphia 76ers. Redick, em 2018-19, obteve sua melhor pontuação na carreira e deverá ter função similar em New Orleans. Quem chegou também foi o italiano Nicolo Melli, que estava no Fenerbahce, da Turquia. Melli é um ala e, assim como Redick, é especialista em arremessos de longa distância. Por fim, o pivô Derrick Favors, após passar quase toda a carreira no Utah Jazz, chega como reforço.

Quinteto projetado: Lonzo Ball, Jrue Holiday, Brandon Ingram, Zion Williamson e Derrick Favors.

14- Dallas Mavericks

O Dallas Mavericks está passando pelo período de agência livre com dinheiro no bolso. O time texano não torrou muita grana e estendeu os contratos de Kristaps Porzingis, Dwight Powell, Maxi Kleber e J.J. Barea e trouxe de volta o arremessador Seth Curry, além do pivô Boban Marjanovic, ex-Philadelphia 76ers e o armador Delon Wright, que estava no Memphis Grizzlies.

No mais, a expectativa está em ver o que Luka Doncic, eleito o melhor calouro da última temporada e o ala-pivô Kristaps Porzingis, ex-New York Knicks, podem fazer juntos. Por pouco, o Mavs não recebeu Goran Dragic e Kelly Olynyk na troca que levou Jimmy Butler ao Miami Heat.

Quinteto projetado: Delon Wright, Luka Doncic, Tim Hardaway Jr., Kristaps Porzingis e Dwight Powell.

15- Phoenix Suns

De repente, o Phoenix Suns projeta um quinteto inicial com algum potencial. O time do Arizona, que viveu nos últimos anos entre os lanternas da liga, promete mudança com a chegada do GM James Jones, ex-jogador da franquia. Pudera, o Suns cometeu diversos erros nas temporadas anteriores e precisa dar uma chacoalhada para saber se ainda respira basquete por ali.

Com a chegada do espanhol Ricky Rubio, o ala-armador Devin Booker deixa de ter a obrigatoriedade de conduzir o jogo. Claro que ele ainda o fará, até porque Rubio se movimenta bem sem a bola, mas a ideia é que o primeiro seja o principal organizador. Kelly Oubre chegou durante a última temporada e agradou. É agente livre restrito. Dario Saric foi negociado pelo Minnesota Timberwolves no dia do draft e pode ajudar no ataque, enquanto Deandre Ayton, agora com uma temporada de experiência, deve seguir evoluindo.

Quinteto projetado: Ricky Rubio, Devin Booker, Mikal Bridges, Dario Saric e Deandre Ayton.


Vencedores e perdedores

Na agência livre, alguns times perderam muito mais do que ganharam. Los Angeles Clippers, Los Angeles Lakers e Brooklyn Nets pintam como os que estão em um patamar acima, ao menos até aqui. Em um primeiro momento, são os que mais se reforçaram e que conseguiram uma boa reposição no mercado.

O campeão Toronto Raptors perdeu Kawhi Leonard e, só por isso, já é bastante sentido. Na teoria, é claro que a pancada é grande e não deve apresentar as mesmas performances, mas a base foi mantida. Dá para seguir como candidato ao título do Leste, embora em outras condições. O mesmo aconteceu com o Golden State Warriors, que viu Kevin Durant e DeMarcus Cousins irem embora, além da contusão de Klay Thompson. Como D’Angelo Russell chegou, ainda vai brigar pelos primeiros lugares do Oeste.

O Charlotte Hornets deve sofrer na temporada após a saída de Kemba Walker para o Boston Celtics. Aliás, o time de Massachusetts perdeu Kyrie Irving e Al Horford. Pesado.

Por fim, o Oklahoma City Thunder pode entrar na onda do Hornets e partir para a reformulação de elenco. Sem Paul George, negociado para o Los Angeles Clippers, Russell Westbrook estaria pensando pela primeira vez em mudar de ares.

De qualquer forma, a agência livre nivelou bastante. Obviamente existem alguns times mais fortes, mas é notório o equilíbrio dos principais candidatos.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.