Decreto de Trump poderá proibir entrada de jogadores da NBA nos EUA

Por Michel Moral

donald-trump

Está em vigor o decreto do presidente norte-americano Donald Trump, que proíbe a entrada de pessoas de sete países nos Estados Unidos. São eles: Iraque, Iêmen, Irã, Síria, Líbia, Somália e Sudão. A medida tem validade de 90 dias, mas há possibilidade de conversão em lei definitiva. Assim, alguns jogadores que hoje atuam na NBA podem sofrer consequências desse “banimento”, entre eles, o pivô Thon Maker, do Milwaukee Bucks, e o ala Luol Deng, do Los Angeles Lakers, ambos do Sudão. Assim, uma simples viagem ao Canadá pode trazer problemas para esses jogadores quando tentarem voltar para os Estados Unidos.

O caso de Deng não preocupa tanto, pois o Lakers não enfrentará mais o Toronto Raptors neste ano. Agora, a única e remota possibilidade de isso acontecer seria em uma final entre as duas equipes. Já o Bucks, que esteve no Canadá na última sexta-feira (o primeiro dia de validade decreto) para enfrentar o Raptors, foi a primeira equipe a vivenciar o drama da medida do governo. A preocupação tomou conta do vestiário da equipe, pois Maker poderia ser barrado na alfândega, quando do retorno aos EUA. Contudo, o vice-presidente da franquia, Alexander Lasry, tranquilizou os fãs ao anunciar que o jogador conseguiu regressar para o país. “Ele voltou”, disse o mandatário, “mas nós precisamos rezar para aqueles que não terão a mesma sorte”, completou.

O Bucks ainda pode enfrentar o Raptors neste ano, caso haja uma combinação na classificação dos playoffs, que se inicia em abril. A NBA já se posicionou diante da situação e entrou em contato com o Departamento de Estado dos Estados Unidos, solicitando a suspensão da ordem de Donald Trump. Segundo o porta-voz da NBA Mike Bass, “a NBA é uma liga global e estamos orgulhosos por atrair os melhores jogadores de todo o mundo”.

O que ameniza a preocupação de Bucks e Lakers é que os dois jogadores possuem cidadanias e passaportes de outros países. Deng, da Grã-Bretanha, e Maker, da Austrália.

Vale lembrar que a NBA possui vários programas ao redor do mundo, como o ‘Basquetebol Sem Fronteiras”, que já teve participação no Brasil, e hoje está atuando no desenvolvimento de jogadores sudaneses.

Outro que se manifestou acerca da polêmica medida do governo foi Steve Kerr. Para o técnico do Golden State Warriors, este decreto vai “contra os princípios defendidos no país”.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • Rodrigo Mayer

    Ótimo artigo.

  • Andre Messetti Christofoletti

    Certíssimos. Gostaria que Jumper Brasil assim como sites que cobrem a NBA no Brasil e ao redor do mundo soltassem uma nota de repúdio a tal medida imposta.
    Também gostaria que os proprietários dos times da NBA, NFL, MLS, MLB, NHL, assim como respectivas associações de jogadores e técnicos, demonstrassem união contra essa medida estúpida e xenófoba. Hoje são esses 7 países, é a muralha na divisa com o México… quanto falta para estourar uma guerra mundial?

    • Fabiano

      Queria ver também o COI retirar a candidatura para as olimpíadas de 2024, esse cara ta dividindo os US, até quem votou nele já se arrependeu..

      • Gabriel Albuquerque

        man aonde vcs tao com a cabeça o cara só quer proteger o país dele vcs ficam acreditando na palhaçada que a Globo fala

        • Eduardo

          Concordo plenamente com você, o cara é patriota!!
          Se cada politico brasileiro tivesse 10% do patriotismo do Trump esse país não estaria desse jeito.

    • Gabriel Albuquerque

      NBA, NFL, MLS, MLB, NHL os presidentes dessas ligas apoiam o Trump

      • Andre Messetti Christofoletti

        Creio que você esteja equivocado, muitos presidentes dos times tem negócios nos países citados, o problema causado uma questão diplomática seria muito ruim. Vide os campos de petróleo que alguns donos de times detém no Irã. Sem mencionar que existem jogadores de alguns países que fazem parte de ligas. Eles saem para defender a sua seleção e não voltam mais?

    • Claudio R.

      quando vc sofrer ou perder alguem que ama por conta do “desejo” ou “odio” de outra pessoa, vc mude de pensamento…. é muito facil ter esse pensamento , sem se colocar no lugar de quem realmente já passou por esse experiência horrivel.

      • Andre Messetti Christofoletti

        Então Claudio, eu prefiro não generalizar. Esse o problema como esses vetos. Darei um exemplo e creio que você entenderá. Supondo que na década de 70 eu fosse presidente como o Japão. Eu abomino o que está acontecendo no sul dos Estados Unidos, onde grupos de brancos, membro de um grupo denominado cristão KKK prega a matança de negros, e a supremacia branca. Como meu país não é majoritariamente cristão, e nem branco, eu seleciono alguns países onde detecto que tais padrões existem, como os EUA, Inglaterra, Itália, Espanha, Portugal…
        Um outro ponto, com a era da informação e globalização, o perigo pode estar dentro de casa, ou seja, um norte americano branco se converte ao grupo radical islã e mata centenas em uma praça pública. O que fazer agora? Proibir a entrada de brancos nos EUA? Entende?
        Outro ponto importante, o econômico. Alguns dos donos de times detém negócios com o petróleo iraniano. O Irã já proibiu a entrada de norte-americanos. Como você fará para administrar seu negócio? Os norte-americanos que trabalham nesse setor, não podem voltar para casa pois serão barrados na volta?
        Mais uma questão, os EUA são signatários em tratados internacionais, você assina e não cumpre? Onde está sua credibilidade? Foi outro governo que assinou, sim, mas a sua nação assinou junto. Um exemplo básico, se o Lula tivesse rasgado os acordos econômicos feitos pelo FHC, ele não teria sequer aguentado dois anos, tamanha pressão que o FMI e Banco Mundial fariam.
        Sei que você quer defender aquelas pessoas que amamos, mas a chance de você morrer em uma acidente de carro é muito maior que morrer em um atentado terrorista. Não estou defendendo os terroristas, estou colocando questões nos fazem refletir a respeito de outros povos, outras culturas. Pessoas más e ruins existem em todos os cantos, mas eu acredito que não é por isso vamos realizar pré julgamentos.

  • Victor Chittolina

    Serão 4 longos anos

    • JoaoFJ

      Absurdo eleger um presidente como o Trump

      • Thiago25-NBA

        Relaxa que o Trump brasileiro – Roberto Justus – pode vim a ser candidato a presidente aqui no Brasil

        • Rafael Victor

          Esse indivíduo desistiu de se candidatar! Ainda bem, porque tinha visto entrevistas dele em que considerava e estava realmente empolgado (efeito Dória e Trump) com essa ideia!

    • Gabriel Albuquerque

      8 bons anos

      • Eduardo Rebelatto

        Até pq vc deve morar nos EUA né? Brincalhão, tudo oq ele for fazer é pensando somente no que ele julga bom pros EUA, ou seja, Além de foder com eua provavelmente vai foder com o resto do mundo

  • Melo

    Esse cara é patético…Thon Maker futuro all star !!!

    • Gabriel Albuquerque

      patético é quem se deixar levar pelo que a midia fala kkkkkkkkk

      • JoaoFJ

        Aposto q é bolsonete

        • Diego Alexsander

          Você realmente elevou o nível da discussão com esse comentário.

          • Eduardo Rebelatto

            Mas 90% que apóia Trump, apóia Bolsonaro tbm

          • Diego Guynho

            90%? Acorda dessa Utopia kkk…

          • JoaoFJ

            obrigado

      • TÔ PISTOLA #BrooklynCeltics

        Elevar o nível da discussão é taxar os outros de alienados

    • Diego Alexsander

      Thon Maker já está na casa dos 35. Grande jogador, pena que chegou na liga tão tarde.

  • Diego Alexsander

    Tempestade em Copo d’água. Atleta nenhum vai ficar deixar de entra (exceto se seu irmão tiver se explodido em nome de Alá). O objetivo é barrar terroristas, não atletas de alto nível. Só ontem 325 mil entraram nos EUA. Pouco mais de 100 foram barrados. Não acreditem em tudo que saem nos jornais.

    PS: Não sejam infantis, já existe um muro na fronteira com o México, construído por democratas, inclusive. Trump não pode construir o que já existe. Pode, no máximo, terminá-lo.

    • Daniel Serafim

      Lembrando que o México está construindo um muro que divido o país dele com a Guatemala. Hipocrisia, a gente vê lá no México.

  • drakes

    Ninguém entende mais de terrorismo que o Steve Kerr, ele morou em Beirut, seu pai foi reitor da Universidade Americana (assassinado por pistoleiros), e até é idolatrada por muita gente já que a família por ter ido para aquela região ajudar os armênicos fugitivos do holocausto turco,

    Ele não é uma pessoa comum criticando, é alguém que conhece muito o assunto.

    • João Leonildo dos Santos Canit

      Você tá de brincadeira, né? Você quer dizer que alguém que vive num bairro tomado pelo tráfico de drogas, torna essa pessoa num especialista em gangues e segurança pública?

    • João Leonildo dos Santos Canit

      Então é melhor contratar ele para assessor da CIA.

  • Daniel Serafim

    Isso não deverá acontecer, já que ambos se encontram em território americano e não apresentam – e também nunca apresentaram – ser ameaças. Infelizmente, o banimento de novos imigrantes desses países se faz necessário, já que eles estão envolvidos, são apoiadores ou são fornecedores de terroristas, fora o fato que o governo desses países estão completamente colapsados (isso nada tem a ver com religião, como a mídia vem pregando). O presidente não quer que o EUA vire uma França, Suécia ou Alemanha.

    • Eduardo Rebelatto

      Até pq se virar uma Suécia vai ser umaá evolução né, bem comparar

    • Geraldo

      Qualquer tipo de generalização é estúpida.

      • Claudio R.

        é muito facil falar isso… mas quem sabe quem é quem?, ou que motivação esconde tal individuo comum?… acho que alguma coisa precisa ser feita, pra evitar.. o que é muito melhor do que sofrer algo pra depois agir..

    • Danilo Félix

      Por que então não baniram a Bélgica também, já que há relatos de várias células belgas do ISIS?
      E vale ressaltar que esse decreto de Trump não proibiria o Saudita Bin Laden de ir aos EUA. rs

      • Daniel Serafim

        Como disse no meu comentário, o governo da Bélgica não está um caos como o governo desses países que foram banidos e a tanto a Bélgica e a Arábia Saudita nunca apoiaram o terrorismo, ao contrário desses países que sofreram o banimento imigratório temporário.

  • Diego Costa

    Eu iria comentar que o povo daqui não é igual aos que comentam no perfil do Twitter, mas já me enganei…

  • Rafael Victor

    A ideia inicial era proibir a entrada de muçulmanos nos EUA, ou seja, pressupondo que todos os adeptos dessa religião são terroristas em potenciais! Pior é que isso é só o começo, deve vim muito mais merdas desse lunático por aí!

    • Geraldo

      Na verdade não amigo. Note que existe uma grande quantidade de países muçulmanos que não foram banidos.
      Desconheço a verdadeira razão de ser apenas esses, mas definitivamente não são todos, o que exclui a hipótese de generalização do preconceito.
      Mas concordo que ”deve vim muito mais merdas desse lunático por aí!”

    • Diego Alexsander

      É só ler o Corão para concluir que adeptos dessa religião são terroristas em potencial.

      • Michel Moral

        Então, Diego, por essa linha de raciocínio, qualquer religião tem um potencial ofensivo.

        Segundo trechos da Bíblia, o amor entre homens era punido com a morte. Quer dizer que todo cristão é um homofóbico em potencial? Se a sua resposta é positiva, significa que precisamos fazer algo para bani-los da sociedade?

        Lembrando que 78,4% dos americanos são cristãos e 59% deles afirmam que a religião tem um papel importante em suas vidas.

        • Diego Alexsander

          Talvez minha linha de raciocínio não tenha sido explanada corretamente.

          O Corão, diferente da Bíblia, não é dividida em novo e velho testamento. O novo testamento é regra de fé para os Cristãos. Não há potencial ofensivo no novo testamento. Cristãos já cometeram e/ou cometem atos de violência? Sim, mas não o fazem/fizeram tendo como justificativa o novo testamento. Mulçumanos que o fazem, fazem com o aval do Corão.

          Não sou judeu, talvez um poderia explicar melhor… Mas só há potencial ofensivo no velho testamento até a conquista de Canaã. De qualquer forma, ainda assim, qualquer um tem o direito de se escandalizar e achar um absurdo. Mas a questão é: Judeus utilizam a Bíblia hebraica para justificar atos de violência? Não, não utilizam. Então não importa o que a Bíblia Hebraica diz. Importa que os Judeus não explodem pessoas em nome de sua fé.

          Usei de exemplo o Cristianismo e o Judaísmo. Mas a lógica é a mesma para qualquer outra religião. O Islã é uma Religião expansionista. Seu objetivo é chegar a todos os cantos da terra (como o cristianismo), se preciso for pelo uso de força militar. Allah não é um deus de amor universal, é preciso merecer seu amor. Ser um fiel. Todos nós, ocidentais, devemos então nos converter para nos tornarmos um fiel ou morrer. Todo mulçumano de fato acredita no Corão e deseja que as suas condutas sejam importadas para todos os lugares. Por isso quando estes se mudam para outros países, importam esses costumes. Até aí tudo bem. O problema é quando essa importação implica em obrigar nativos a agirem da mesma forma (como no caso de mulçumanos que impedem pessoas de consumir alcool em Londres) ou através da “mulçumanização” desses lugares (mulçumanos solteiros imigram para países democráticos e se casam com mulheres nativas que, por sua vez, se convertem).

          Agora, talvez, a sua ideia não tenha sido muito bem compreendida por mim. Realmente não fez muito sentido na minha cabeça comparar uma questão de segurança nacional, de assegurar que toda a tradição democrática do ocidente seja preservada com o fato de cristãos serem homofóbicos.

          Primeiro, ninguém está sendo banido de sociedade nenhuma. Milhares de mulçumanos continuam entrando e saindo dos EUA todos os dias. Segundo, seria preciso primeiro definir “homofobia” de maneira subjetiva. Sobre sua pergunta: Nenhum cristão sério deseja a morte de homossexuais. Assim como nenhum cristão sério acredita que relações homossexuais são corretas. Então somente a partir da sua definição de homofobia é possível determinar se todos os cristãos, por definição, são ou não homofóbicos.

  • FILHA DO UNANIMOUS

    nego q tem conhecimento baseado em globo news q vim defecar aqui kkkj elege ex bbb , analfabetos e a famosa dilmãe q n sabe forma uma frase precisa d algo mais ? tão preocupado com o trump vão chupar o pal laranja dele seus bosta

    • Erick

      Você sabe que qualquer ato de um presidente do EUA influencia o aumento ou a queda do dólar né? Além disso, sabe que a sua comida, seus eletrônicos são baseados na cotação do dólar né?

      Sabendo disso, não me parece estranho que qualquer pessoa do mundo possa e deva debater decisões arbitrarias, discriminatórias e, principalmente, seletivas, que influenciem a economia mundial.

      • Ballin!

        Nem adianta explicar algo pra esse ser ai.. Ele gosta de criticar tudo e qualquer coisa que ele vê, só não critica os gostos pessoas de si próprio.

        • Diego Alexsander

          De quem se tratava?

          • Ballin!

            Do mlk ali em cima..

      • João Víctor Matos

        Perfeito.

  • Felipe Rodrigues

    Não sei oq é mais triste, o absurdo dessa medida ou alguns comentários aqui justificando a xenofobia.

    • Claudio R.

      quando vc perder alguem por questões de segurança, como um atentado, vc talvez entenda o “absurdo” dessa medida

    • JoaoFJ

      Perfeito

    • Vinícius Maia

      Eu acho que é fácil para a gente falar, já que, apesar dos problemas de segurança pública do nosso país, nosso país nunca foi alvo de um atentado terrorista. Já os EUA já sofreram com alguns atentados de grandes proporções ao longo da sua história e com a onda de atentados que andam ocorrendo ao redor do mundo, não duvido que mais cedo ou mais tarde, os EUA se tornem um alvo novamente. Honestamente, não tenho uma opinião formada sobre essa medida em especial, até porque não li nada sobre o assunto. Talvez a medida seja um pouco radical, mas daí dizer que os EUA são xenofóbicos por causa disso, sem considerar a realidade do país que já teve tragédias como o famoso 11 de setembro, em decorrência do terrorismo, é um julgamento injusto.

  • Claudio R.

    Cara, precisa ser feita uma analise fria nesse caso, pois é complexo… Os EUA são o pais que mais sofrem ataques terroristas depois de Israel(ou palestina, n lembro), e quem já sofreu ou sofre esse tipo de experiência, tende a ficar muito mais atento a segurança, eu acho que a medida é boa em questão de segurança pro País, eles precisam de uma decisão, pois atentados como o de Boston, numa maratona, é imperdoável… As pessoas da NBA só vão concordar, quando alguma tragedia acontecer numa arena de basquete ou num all star game, aí vão concordar com o Trump nessa… Eu definitivamente sou a favor da segurança.

    • Então a prioridade deveria ser a situação na Síria, se acabasse a guerra, não teriam refugiados, e poderia se iniciar esforços de estabilizar a região, o que afetaria o ISIS que perderia acesso ao petróleo, sendo esse o principal financiador de seus ataques. Ao invés disso Russia e USA não abrem mão de seus interesses na região, o que cria um impasse que impede os aliados de agirem mais intensamente na Síria.

      • Diego Alexsander

        Creio que a questão do terrorismo não é tão simples. A própria questão dos refugiados Sírios não é simples. No mínimo muito estranho a maioria de refugiados serem homens em idade reprodutiva e não mulheres, crianças e idosos. Se a guerra na Síria acabar, refugiados virão de outros lugares onde novas células terroristas surgirão… É cíclico. No final das contas, os EUA ou qualquer país ocidental que queira proteger os seus do terrorismo e Sharia vão sim precisar tomar medidas pontuais…

        • Sim é cíclico, mas não com essas proporções. O problema atual está na Síria, realmente simplifiquei as coisas em meu comentário anterior, mas a questão é que os esforços para resolver a situação atual precisam começar lá.

    • Rodrigo SMC

      Eae. Depois de passar os 90 dias faz o que ? O atentado em Orlando foi praticado por um americano. O atentado em Paris teve participação de franceses. Vai barrar o cidadão do próprio país ?
      O culpado disso tem nome e sobrenome, inclusive fazem questão de saber quem foi.
      Essa medida vai impedir o quê ? Sinceramente, ao meu ver, nada. Só vai servir pra barrar esportista, artista, médico, engenheiro etc

  • Beto #MavsTankNation #MFFL

    Lamentável essa medida esse é o famoso ‘jogar água em óleo quente’, em vez de conter terrorismo esse é o tipo de medida que tem justamente o efeito contrário, e tem gente que defende…rs

  • Vítor Hugo – #LoudCity ⚡️

    Cara, confeso que depois que assisti esse vídeo, fiquei com um pé atrás com o Islamismo… É uma situação complicada.
    E não vejo o Trump fazendo isso por ser xenofóbico… Penso que ele está tentando proteger o país dos atentados.

    https://youtu.be/7Rx4rWJtxHI

    • Não sei dizer se ele realmente acredita no que está fazendo, ou se é só politicagem pra dizer que fez algo, a questão é que não faz sentido, barrar esses países e não incluir a Arábia Saudita, o país mais extremista e radical. A Arábia Saudita é a maior financiadora das mesquitas radicais, e ainda propagam o extremismo através de ideologia. Os líderes do país podem se dizer contra o terrorismo, mas o discurso deles, o radicalismo das leis, a ideologia que transmitem é justamente o que propícia o surgimento de extremistas. Inclusive, 15 dos 19 terroristas do 11/09 eram Sauditas. O próprio Bin Laden era Saudita, e Al-Qaed sempre teve financiadores de lá. Mas o USA tem rabo preso com a Arábia Saudita, petróleo vale mais do que combater o terrorismo. O que faz esse veto soar como uma estupidez ineficaz (não vou nem entrar em questões humanitária).

      • Diego Alexsander

        Concordo com você. Fato é que acreditando ou não, medidas duras relacionadas à questão precisariam ser tomadas. Agora, sem dúvidas, outros países, como vc bem citou a Arábia Saudita. Mas me parece que usaram critérios que envolveram estabilidade governamental para fecharem a tal lista. Talvez nessa daí países como Arábia Saudita tenha se safado… Mas sem dúvida, sua explicação político-econômica melhor explica…

  • Hilton Silva

    O Islã é uma ameaça MUNDIAL!

  • Daniel Serafim
  • Justiceiro Lakers

    Esse Gustavo já tornou o Twitter do Jumper um lugar infrequentável graças ao seu mimimi sobre política. Agora pelo visto ele conseguiu infectar o próprio blog, aproveitando o decreto pra criticar indiretamente. CHORA MAIS, GUSTAVO!

    • Michel Moral

      Cara, preciso me manifestar. Eu escrevi o texto e não o Gustavo.

      As informações foram extraídas de páginas de grande circulação na mídia dos EUA e de entrevistas dos personagens citados.

      No momento em que escrevi, juro que busquei posicionamentos diferentes sobre o mesmo episódio e não encontrei. Senão, faria questão de colocar.

      Mesmo assim, acredito que não tem nada de opinião no conteúdo.

      Agora, acho que cada um pode falar, criticar e debater o que quiser. Cada um se expressou como queria e isso é bom, normal e saudável.

      A intenção jamais foi de travar um debate puramente político, sem ter nada a ver com o basquete.

      • Felipe Rodrigues

        Sempre achei q quem comanda o Twitter era o Gustavo Lima.