Destaque no EuroBasket, Jan Vasely descarta NBA no momento

Na NBA, uma decepção. Na Europa, um jogador protagonista. A carreira do ala-pivô Jan Vasely parece variar de acordo com o continente em que ele atua. Representando a República Tcheca, seu bom momento voltou a ficar evidente durante o EuroBasket. Mas mesmo depois de uma boa participação no torneio e sua posição de destaque no Fenerbahce, ele ainda descarta um retorno para o basquete norte-americano, onde ele teve três temporadas fracas depois de ser selecionado na primeira rodada do draft.

“Não estou nem pensando em NBA agora. Essa temporada será na Turquia”, garantiu Vasely em entrevista ao site americano ESPN.com. Atualmente com 25 anos, ele foi um dos líderes da boa campanha da República Tcheca no EuroBasket, que levou a uma vaga para o Pré-Olímpico Mundial. Este ano, ele quase conseguiu um duplo-duplo de média pela segunda edição consecutiva do torneio, com 19.3 pontos e 9.1 rebotes.

“Eu tenho mais experiência aogra jogando no Fenerbahce. Fizemos um grande trabalho lá. E estou jogando meu jogo. Por isso que eu saí da NBA, para ir para um time em que eu possa jogar. Estou feliz com as coisas do jeito que elas estão”, justificou o jogador. Na última temporada ele ajudou o clube turco a chegar até o Final Four da Euroleague, perdendo para o Real Madrid na semifinal.

Vasely foi escolhido pelo Washington Wizards na sexta posição geral do draft de 2011 como uma grande promessa do basquete europeu, mas nos Estados Unidos ele não conseguiu corresponder às expectativas. Ele passou pouco mais de dois anos na franquia da capital americana e depois foi negociado com o Denver Nuggets. Em três temporadas na NBA suas médias foram de 3.6 pontos e 3.6 rebotes.

No entanto, um colega de seleção discorda do próprio Vasely. Para Jiri Welsch, que também tem passagem pela NBA, o desempenho ruim do ala-pivô na NBA se deve mais a fatores externos. “Ele estava pronto antes”, afirmou o jogador à ESPN.com. “Mas na NBA, e sei disso por experiência própria, você tem que estar no lugar certo na hora certa. Nesses três anos ele não estava no lugar certo. Se ele escolher ir para lá de novo, e eu espero que ele escolha, eu acho que ele vai mostrar que merece”.