“Dinâmica entre Chris Paul e Blake Griffin era estranha”, admite Austin Rivers

Os boatos sobre uma conturbada relação entre os astros do Los Angeles Clippers foram constantes nos últimos anos, mas sempre negados internamente. Mas, com a saída de Chris Paul, os atletas do elenco começam a reconhecer que havia um clima de tensão realmente nos bastidores. Segundo Austin Rivers, o armador e Blake Griffin nunca tiveram um relacionamento harmonioso.

“A dinâmica entre Chris e Blake era estranha. Não sei exatamente o motivo. Era só estranha. Acho que ninguém tinha certeza de quem era o líder e, se alguém tinha algo a dizer, virava logo uma discussão. Às vezes, o pessoal ficava com medo de falar algo para Blake porque não sabiam como ele reagiria”, contou o armador e filho do técnico Doc Rivers, em entrevista à revista Sports Illustrated.

E a calmaria, de fato, foi bem notável assim que Paul foi embora para o Houston Rockets. Austin Rivers revelou que, uma semana antes do início dos treinos de pré-temporada, Griffin alugou uma casa em San Diego para o elenco. De dia, os atletas treinavam nas instalações da Universidade de San Diego. À noite, eles ficavam conversando e vendo o mar no deck da cidade.

“Foi como se nós tivéssemos resolvido todos os problemas e atirado-os no mar. Agora, Blake é uma pessoa totalmente diferente e está muito mais acessível. Eu acho que conseguimos ‘abraçá-lo’ de vez naquele momento: ele é o nosso líder e estamos apostando tudo em seu comando”, disse o titular em oito dos dez jogos disputados pelos angelinos nesta temporada.

O Clippers, como organização, também “abraçou” Griffin como sua referência pelos próximos anos ao dar-lhe uma extensão contratual de US$175 milhões. O ala-pivô de 28 anos esteve presente nas dez partidas do time na atual temporada, registrando médias de 22.8 pontos (com 40.4% de aproveitamento nos arremessos de longa distância), 8.5 rebotes e 4.5 assistências.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Vinícius Maia

    Que coisa. Eu sempre achei que os dois tinham um bom relacionamento fora das quadras. Já apareceram rindo e brincando em várias entrevistas e vídeos nos bastidores.

    • Talvez tivessem mesmo. Deu a entender aí que o problema era profissional, não pessoal.

    • Albert Medeiros

      Igual Irving e o LeBron?kkkkk

    • K E R C H O O

      eu já não acredito no Clippers faz tempo. A maldição deles é real, é muito antiga e sempre aconteceu. Aquela equipe que Clippers tinham nos últimos anos era pra chegar à final. Não importa, pode ter Lebron, Anthony Davis e Durant juntos, eles não iam chegar a final…

  • Acho que foi uma boa decisão do Clippers. Paul está em descendente, entrou na idade que os PG’s começam a descer ladeira abaixo, enquanto Griffin está no auge técnico. Se conseguirem ao menos mais uma estrela, é time pra brigar por algo.

  • Marcinho Mueller

    Tomara que ele não machuque e possa desempenhar seu melhor basquete. Não é à toa que foi o último rookie a ser all star. Torço muito por ele.
    Off topic: Que decepção o Teodosic e que escolha ruim do CP em ir pro Rockets.

    • Caseh

      Eita, Teodosic fez apenas um jogo e alguns minutos até se lesionar, muito precipitado dizer isso.

      • Guilherme Petros

        E foi bem nos jogos em que participou. Precipitado mesmo.

    • Ricardo Stabolito Junior

      Teodosic fez dois jogos. Chris Paul, um. Não tem como julgá-los.

  • Parabéns para eles, isso é exemplo de profissionalismo, pois não deixavam os conflitos internos chegar a mídia e se tornar um circo, comprometendo de vez todo o clima do elenco. Eu sempre achei que eles se dessem bem. Conflito é inerente do ser humano, não tem jeito, a melhor saída e gerenciá-los da melhor forma possível, e pelo jeito no Clippers isso era feito.

    • JOSE MARINHO

      Ninguém tem que trabalhar com amiguinho, não. Profissiolismo de ambos mesmo, os problema de fora, deixaram do lado de fora.

  • vsr.snake

    Mesmo sem sintonia, era preferível CP3 do que o Austin Rivers no time, aliás, o grande problema do Clippers tem sido o Doc, nunca foi dos coachs mais táticos da liga e hoje isso tem pesado. É inconcebível até o hoje o Clippers não conseguir jogar contra o Warriors, principalmente com os jogadores que tinham antes.

    • Bruno Macedo

      Eu vejo diferente o Clippers tinha padrão de jogo só que quando chegava a hora do vamo ver sempre um dos dois se machucava pipocavam como nos jogos contra o Rockets, não pode colocar a culpa no técnico que sempre o time tava lá em cima e nos offs o time Não jogava nada e perdia até de forma ridícula.

    • Guilherme Petros

      Calma, já já volta Teodosic. rs

  • wisley faraiz

    acho q se o Blake tivesse mais uns 2 caras top, seria campeão, pena que o dono dos Clippers não pensa em títulos