Dominância discreta

Klay Thompson marcou 60 pontos, Russell Westbrook fazendo diversos triplos duplos, Dallas Mavericks dando errado, Los Angeles Lakers dando certo, Joel Embiid finalmente estreando (e convencendo), Giannis Antetokounmpo se tornando jogador de elite.

São tantos fatos marcantes nessa temporada da NBA que não devo ter citado nem metade deles. Mas foi só para mostrar que, apesar disso tudo, um dos fatos que mais podem impactar a decisão pelo título da NBA está passando despercebido: Kevin Love finalmente está jogando o que sabe no Cleveland Cavaliers.

OK, ele marcou 34 pontos em um período e isso foi bastante noticiado. Mas o que importa mesmo é o nível com que ele vem atuando nos outros jogos até agora.

Desde 2014, quando LeBron James voltou para Cleveland e Kevin Love foi adquirido junto ao Minnesota Timberwolves, se espera que Love seja o parceiro de garrafão perfeito para LeBron e Kyrie Irving. Afinal, o atleta tinha fantásticas médias de 26 pontos e 12 rebotes em sua última temporada em Minnesota. A expectativa era a melhor possível.

Aí vieram dois anos de atuações questionáveis, e as perguntas sobre se Love estaria no lugar certo começaram a aparecer. Muitos passaram a se perguntar se o Cavs não teria chegado a duas finais, vencendo uma, apesar de ter Love no elenco, e não por causa de sua presença. Com isso, também vieram os constantes rumores de troca.

Pois bem, nesta temporada ele resolveu mostrar que todos estavam errados. Muito mais do que as estatísticas, que estão apenas levemente melhores em relação ao ano passado, Love vem jogando com atitude e energia completamente diferentes das duas primeiras temporadas em Cleveland.

Grande parte disso se deve ao jovem técnico Tyronn Lue. A mudança mais sensível em relação ao comando de David Blatt, especialmente na atual temporada, foram as mudanças de posicionamento que ele impôs a Love.

Blatt era adepto do uso de seu ala-pivô aberto para melhorar o espaçamento do time no ataque, criando opções de infiltração para James e Irving. Com ele, Love tentava 17% de seus arremessos embaixo da cesta, contra 45% da linha de três pontos.

Lue mudou essa dinâmica. Colocou Love no centro das ações ofensivas, fazendo com que o habilidoso ala-pivô ficasse mais perto da cesta, onde pode exercer todo seu repertório ofensivo (que é um dos mais polidos da liga para sua posição). O resultado? 25% de arremessos embaixo do aro, com apenas 31% da linha de três. Uma proporção muito mais equilibrada para um atleta desta posição. De quebra, ele tem conseguido mais rebotes, com média superior a 11 por jogo.

No Timberwolves, Love brilhava no low post. Blatt nunca soube utiliza-lo ali, ou simplesmente não quis, para impor sua filosofia. Lue, técnico em começo de carreira, foi mais sábio. Mudou o esquema e o resultado está em quadra, cuja expressão máxima até agora foi a incrível atuação de 34 pontos num único período.

Isso injetou confiança no jogador, que quando motivado é também um grande motivador. No geral, o Cavs tem demonstrado grande energia e intensidade nesta temporada. Grande parte disso é confiança pelo título histórico conquistado, mas com certeza a melhor atuação de Love conta.

Com isso, acabaram os rumores de troca. Acabou a desconfiança. Foram embora as críticas e voltaram os elogios, frequentes no começo da carreira. Love consegue agora tirar de James e Irving grande parte da carga de responsabilidade pelo ataque do Cavs. Sem dúvidas o time vai chegar mais inteiro e coeso aos playoffs.

Se nos últimos dois anos parecia que o Cavs chegava longe apesar das atuações abaixo das expectativas de Kevin Love, neste ano os campeões chegarão aos playoffs com o atleta atuando num nível de estrela e a aura de super time recuperada. Sem dúvidas uma grande preocupação para os outros postulantes ao título.

  • Rômulo Franco Cardozo

    Me amarro no jogo do Love, acredito que em um bom time com menos opções positivas ele teria muito mais impacto que no cavs e mais sucesso que no wolves, mas tem feito um trabalho massa essa temporada e sido um pouco menos ruim na defesa!
    #vemSerFelizNosVerdes

  • Thiago Gama

    Muito bacana destacar esse jogador que acho incrível. O Love hoje é o melhor PF do Leste, e um dos mais completos da NBA. A grande vantagem desse CAVS é ter um treinador novo, sem querer impor seu jogo a todo custo, ele está tentando tirar o potencial max de todo jogador e fazendo que mesmo que o esquema não esteja sempre encaixando, os jogadores estão em boa fase para desequilibrar. Isso sem contar o grande coach(LeBron) que os CAVS tem dentro da quadra, que faz o esquema funcionar e melhora e muito a atuação de toda a equipe. O CAVS é e eu acredito o favorito ao titulo, mesmo com a apelação do KD nos GSW.

  • João Paulo

    Tem sido – ou é, de fato e por definição – o melhor PF do Leste. E, concordo com o eixo central da matéria: suas atuações e seu jogo têm passado despercebidos em meio a tanto movimento na NBA. Mas na hora do vamos ver, ele estará lá…

  • Victor Chittolina

    Tava faltando AMOR pra ele.

  • Felipe Rodrigues

    Sr. Amor voltando a alegrar os fãs do bom basquete.

  • Uncle Drew

    Lá vem o artigo do Jumper sobre o Kevin Love..
    https://media.giphy.com/media/13a9KK2hH47jUY/giphy.gif
    Sai Zica!

    • Juka

      kkkkkkkkkkkkkk

    • ThiagOo25

      Aguarde os próximos jogos….

    • Vinícius Maia

      Fazer um artigo sobre a boa fase do Warriors ninguém quer kkkkkkkk

  • Uncle Drew

    É o melhor Power Forward do Leste. Tô bem ansioso para ver o desempenho dele contra o Warriors. É o único time q realmente impossibilitava o Love de jogar. Mas.. no Jogo 7 ele mudou isso, jogando com mais vontade, e agora (ainda mais magro, e mais rápido) pode se sair ainda melhor contra eles.

  • King Cuban

    O rei das estatísticas vazias… o Cousins é o duque… só funcionam como terceira opção…

  • Tá jogando o fino. Finalmente está levando todo seu amor a Cleveland.

  • Claudio R.

    Tem feito varios jogos de DD, e vem tendo um esforço maior na defesa e no coletivo do time, tem jogado com vontade msm, e merece pela simples definição da palavra all star ser titular no jogo das estrela(não que seja super importante) mas é um reconhecimento do trabalho…. o cleveland se jogar com vontade pode vencer o Warriors(que dificilmente perde o titulo do WFC)… Mas golden state ainda é favorito.

  • Galvão 🔥 #HEATisOn #305

    Kevin Love é um cara com muita vontade de vencer, tem muita gana, e isso vem sendo fundamental para ele em Cleveland.

    Acho que todos aqui já viram foto do Kevin mais novo, era mtto gordo e desengonçado. Ele é a personificação da palavra metamorfose para um jogador rs, e hoje é a melhor versão física do que ele poderia ser. Kevin sempre foi muito refinado no jogo de post, e jogando no pick and pop, mas o Blatt não usava ele pra isso, e a frustração por não render era visível, mas é inegável que ele sempre tentou fazer d tudo para ajudar. Depois das finais em que todos estavam dizendo que a lesão de Love fez bem para o time, pq Richard Jefferson estava melhor, ele teve a humildade de quando perguntado se colocar a disposição para ficar no banco e vir na segunda unidade para fazer o que seria melhor para o Cavs.

    Essa temporada temos um Love completamente a vontade no esquema do Lue, e defendendo como nunca defendeu na vida, e a parceria com Tristan Kardashian é ótima, são dois reboteiros de alto nível e com qualidades complementares. Eu sempre gostei gostei do basquete do Love, até tentava contratar ele no 2k na época de Wolves rs. Espero que ele volte a ser o all star que era!

    • Claudio R.

      a Kardashian ta dando uma zika no Cavs, que poxa.. perder 3 seguidas, o Tristan não ta jogando nada… aff…

      • Galvão 🔥 #HEATisOn #305

        Kardashians zikar é completamente normal rs. Mas o Drew mostrou um post dizendo que ele terminou com ela, então foi zika reversa rs

  • Albert Medeiros

    Gosto dos passes de quarterback q ele faz as vezes, tem um excelente arremesso de tres pontos, quando joga bem é quase certa a vitória dos Cavaliers.