Dominante, Espanha bate Argentina e conquista bicampeonato mundial

Dominante nos dois lados da quadra, do início ao fim, a Espanha bateu a Argentina por 95 a 75 e se sagrou bicampeã mundial. Com o título conquistado na China, a seleção espanhola se iguala ao Brasil em termos de títulos da Copa do Mundo. O primeiro ouro espanhol foi em 2006, no Mundial realizado no Japão.

Destaque da seleção espanhola durante todo o torneio, o armador Ricky Rubio foi eleito o jogador mais valioso (MVP) da final e da competição, além de ser escolhido para o quinteto ideal da Copa. O novo reforço do Phoenix Suns foi o cestinha da Espanha na decisão, com 20 pontos.

O veterano Marc Gasol foi outra peça fundamental para a conquista espanhola. Eleito para o quinteto ideal do torneio, o veterano pivô do Toronto Raptors tornou-se apenas o segundo jogador na história a ser campeão da NBA e da Copa do Mundo no mesmo ano. O primeiro havia sido Lamar Odom, campeão pelo Los Angeles Lakers e pela seleção dos Estados Unidos em 2010. Presente na conquista de 2006, assim como Rudy Fernández, Gasol leva a segunda medalha de ouro do mundial para casa.

Com uma movimentação constante no ataque, uma defesa sufocante no veterano Luis Scola e um domínio nos rebotes (47 a 27), sobretudo ofensivos (13 a 5), a Espanha não encontrou dificuldades na partida decisiva.

Vale lembrar que a seleção espanhola teve desfalques importantes na Copa do Mundo na China. Pau Gasol, Sergio ‘Chacho’ Rodríguez, Nikola Mirotic e Serge Ibaka não disputaram a competição.

O técnico Sergio Scariolo também alcançou um feito. Assistente de Nick Nurse no Raptors, o italiano também sagrou-se campeão da NBA e da Copa do Mundo no mesmo ano, algo inédito para um treinador na história. Pela seleção espanhola, além do título mundial, Scariolo já conquistou a medalha de ouro no EuroBasket em três oportunidades (2009, 2011 e 2015), a prata nos Jogos Olímpicos de Londres (2012) e o bronze nas Olimpíadas do Rio de Janeiro (2016) e do EuroBasket de 2017.

Espanha (95)
Ricky Rubio: 20 pontos, sete rebotes, 6-11 nos arremessos de quadra e 7-7 nos lances livres
Sergio Llull: 15 pontos e 6-13 nos arremessos de quadra
Marc Gasol: 14 pontos, sete rebotes, sete assistências e três tocos
Rudy Fernández: 11 pontos e dez rebotes
Juancho Hernangómez: 11 pontos e cinco rebotes
Willy Hernangómez: 11 pontos

Argentina (75)
Gabriel Deck: 24 pontos e 10-13 nos arremessos de quadra
Nicolás Laprovíttola: 17 pontos e 4-15 nos arremessos de quadra
Facundo Campazzo: 11 pontos, oito assistências e 2-11 nos arremessos de quadra
Luis Scola: oito pontos, oito rebotes e 1-10 nos arremessos de quadra

 

França conquista o bronze

Na disputa pela medalha de bronze, a França levou a melhor no duelo contra a Austrália. Liderados pela dupla Evan Fournier e Nando De Colo, que combinou para 35 pontos, os franceses venceram por 67 a 59. Fournier, aliás, foi eleito para o quinteto ideal da Copa do Mundo. Este é o segundo bronze conquistado pela França. O primeiro havia sido no Mundial realizado na Espanha, em 2014.

 

Armador espanhol Ricky Rubio foi eleito MVP da Copa do Mundo

Quinteto ideal da Copa do Mundo
Ricky Rubio (Espanha)
Evan Fournier (França)
Bogdan Bogdanović (Sérvia)
Luis Scola (Argentina)
Marc Gasol (Espanha)

MVP da Copa do Mundo
Ricky Rubio (Espanha)

Classificação final da Copa do Mundo
1- Espanha (conquistou a vaga olímpica)
2- Argentina (conquistou a vaga olímpica)
3- França (conquistou a vaga olímpica)
4- Austrália (conquistou a vaga olímpica)
5- Sérvia
6- República Tcheca
7- Estados Unidos (conquistou a vaga olímpica)
8- Polônia
9- Lituânia
10- Itália
11- Grécia
12- Rússia
13- Brasil
14- Venezuela
15- Porto Rico
16- República Dominicana
17- Nigéria (conquistou a vaga olímpica)
18- Alemanha
19- Nova Zelândia
20- Tunísia
21- Canadá
22- Turquia
23- Irã (conquistou a vaga olímpica)
24- China
25- Montenegro
26- Coreia do Sul
27- Angola
28- Jordânia
29- Costa do Marfim
30- Senegal
31- Japão (tem a vaga olímpica por ser o país-sede)
32- Filipinas

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.