Draft 2020: As necessidades do New Orleans Pelicans

Elenco para a próxima temporada (oito contratos garantidos)

PG: Lonzo Ball (22 anos, US$11 milhões)
SG: Jrue Holiday (30 anos, US$25,3 milhões) / J.J. Redick (36 anos, US$13 milhões) / Nickeil Alexander-Walker (22 anos, US$3,1 milhões)
SF: Josh Hart (25 anos, US$3,4 milhões)
PF: Zion Williamson (20 anos, US$10,2 milhões) / Nicolò Melli (29 anos, US$3,8 milhões)
C: Jaxson Hayes (20 anos, US$5,1 milhões)

Folha salarial: US$61,9 milhões

Agentes livres: Brandon Ingram (SF, 22 anos, restrito) / Derrick Favors (C, 29 anos, irrestrito) / Frank Jackson (PG/SG, 22 anos, restrito) / E’Twaun Moore (SG, 31 anos, irrestrito) / Kenrich Williams (SF, 25 anos, restrito) / Jahlil Okafor (C, 24 anos, irrestrito) / Josh Gray (PG, 27 anos, restrito) / Zylan Cheatham (SF/PF, 24 anos, restrito)

Contratos não garantidos/parcialmente garantidos: Darius Miller (30 anos, US$7 milhões, não garantido)

Contratos expirantes: Lonzo Ball / JJ Redick / Josh Hart / Nicolò Melli

Números da temporada 2019/20

Pontos anotados: 115,8 (quinto)
Pontos sofridos: 117,1 (quarto pior)
Eficiência ofensiva: 110,7 (17º)
Eficiência defensiva: 111,9 (19º)
Pace (posses de bola por jogo): 103,7 (segundo)
Assistências por jogo: 26,8 (terceiro)
Rebotes por jogo: 46,5 (sexto)
Desperdícios de bola: 16,4 (segundo pior)
Aproveitamento nos arremessos de quadra: 46,5% (13º)
Aproveitamento nos lances livres: 72,9% (segundo pior)
Aproveitamento nas bolas de três pontos: 37,0 (sétimo)
Tentativas de arremessos de três pontos por jogo: 36,9 (sétimo)
Aproveitamento do adversário nas bolas de três pontos: 36,1 (18º)
Pontos sofridos no garrafão: 52,2 (terceiro pior)

Posições carentes: PG, SF, C

Necessidades da equipe

  • Um playmaker, visto que Lonzo Ball não agradou, especialmente no final da temporada, na “bolha” de Orlando, e vai para o último ano de contrato
  • Um protetor de aro, pois Derrick Favors será agente livre e o time foi o terceiro pior defendendo a área pintada, em 2019/20
  • Um 3-and-D: o único arremessador confiável da equipe é o veterano JJ Redick, que vai para o último ano de contrato, e o Pelicans não foi bem defendendo o perímetro na última temporada

Escolhas no Draft de 2020: 13, 39, 42 e 60

Prospectos mais indicados

  • Pick 13
  • Devin Vassell (SG/SF): dotado de altura adequada e envergadura invejável para atuar nas posições 2 e 3, Vassell corre a quadra com fluidez e tem uma agilidade lateral destacada. Ele é um dos arremessadores de média e longa distância mais confiáveis da classe e um passador em franca evolução. Além disso, ele é um excelente e versátil defensor (ótimo no um contra um e como protetor de aro vindo do lado contrário) e tem um apurado senso de posicionamento. Em suma, ele é um protótipo de role player, que entende bem o seu papel em quadra e é perfeito para a função de 3-and-D, tão em alta na NBA .Vassell é um prospecto de fácil encaixe na NBA por conta de seu talento como defensor e arremessador do perímetro. Ele seria uma opção confiável do Pelicans para o perímetro e uma opção que complementaria bem os principais jogadores da equipe (Zion Williamson e Brandon Ingram). Vassell talvez seja o melhor 3-and-D da classe, e encaixaria como uma luva em qualquer time da NBA, já que tem o perfil de atleta desejado no basquete atual.
  • Aaron Nesmith (SG/SF): Nesmith possui altura e envergadura adequadas para jogar nas posições 2 e 3 e uma força física elogiável. Ele é o melhor arremessador em movimento da classe deste ano. Além disso, Nesmith possui ótima seleção de arremessos, elevado QI de basquete como chutador e leitura avançada das defesas adversárias. Na defesa, ele demonstra solidez na marcação do perímetro, com bom entendimento das rotações defensivas, e utiliza muito bem sua força física e envergadura. Em suma, Nesmith é o protótipo de 3-and-D, tão em alta na NBA. Outra boa opção para o perímetro do Pelicans. Nesmith tem como carro-chefe o seu arremesso e, por conta de sua capacidade de espaçar a quadra, teria um encaixe perfeito junto à dupla Ingram e Williamson.
  • Saddiq Bey (SF/PF): combo forward atlético, com altura e força física adequadas para as posições 3 e 4, Bey se destaca pela versatilidade ofensiva, pelo controle de bola acima da média para um jogador da posição e por ser um excelente arremessador do perímetro e um sólido passador. Sua combinação de QI de basquete (senso de posicionamento apurado) com agilidade e tamanho o credencia como sólido marcador de múltiplas posições. Bey é o autêntico protótipo de 3-and-D, tão em alta na NBA, com o plus de ser um bom criador de jogadas. O combo forward oriundo de Villanova teria um encaixe perfeito no Pelicans, trazendo mais versatilidade às formações da equipe. Produto de um programa vencedor no College, Bey tem sólidos fundamentos, um QI de basquete elevado e chegaria para contribuir de imediato na rotação do time de New Orleans. Enfim, seria uma aposta segura do Pelicans.
  • Patrick Williams (SF/PF): protótipo de um combo forward profissional do ponto de vista físico, Williams é ativo nos dois lados da quadra. Um de seus mais sólidos atributos ofensivos é a movimentação sem a posse da bola. Trata-se, provavelmente, do melhor ala protetor de aro do draft, já que rotaciona rapidamente e com inteligência para contestar finalizações e sabe trabalhar com a verticalidade. Além disso, Williams é um dos prospectos mais eficientes em ajudas defensivas, exibindo uma alta compreensão da dinâmica defensiva coletiva, e também mostra inesperado potencial como arremessador em pull ups, após poucos dribles. Williams é um dos prospectos mais jovens da classe, mas já apresenta uma compreensão do jogo impressionante. Com sua versatilidade, potencial defensivo, bons atributos físico-atléticos e um considerável upside, o combo forward seria de grande valia para o Pelicans. A expectativa é a de que Williams desenvolva o seu arremesso do perímetro e possa ser útil também no espaçamento de quadra, o que facilitaria o seu encaixe com Zion Williamson. Oportunista, ele sabe ler a reação das defesas e encontrar os espaços para dar opção de passe para armadores criativos como Lonzo Ball.

 

  • Picks 39 e 42
  • Daniel Oturu (C): pivô dotado de muita força física, Oturu chama a atenção pela versatilidade ofensiva e por ser um reboteiro de elite. Ele tem um jogo de costas para a cesta muito eficiente e potencial para se tornar um stretch 5 na NBA (pivô que espaça a quadra e arremessa do perímetro). Apesar das limitações atléticas, Oturu trabalha muito bem nos screens e seria uma boa adição a uma equipe que possua um grande playmaker e explore bastante o pick-and-roll (Lonzio Ball). Além de preencher uma posição carente no Kings, Oturu teria um fácil encaixe com Zion Williamson, já que tem a capacidade de espaçar a quadra e arremessar do perímetro.
  • Zeke Nnaji (C): Nnaji é um pivô que possui a rara combinação de estatura e condição atlética para um jogador de garrafão. Excelente arremessador de média distância, muito utilizado em pick-and-pops, ele dá mostras de que pode se tornar um pivô espaçador de alto nível. Nnaji exibe talento natural para ser explorado no pick-and-roll: além de fazer bons bloqueios, ele colocará defesas em dificuldade por combinar agilidade e explosão de um roller. Grande reboteiro ofensivo, ele tem potencial para fechar arremessos de três pontos e marcar jogadores de perímetro em trocas de marcação por conta de sua mobilidade e agilidade lateral. Nnaji é outra boa opção para a posição 5 e teria um bom encaixe com Zion Williamson. Ele tem mais upside que Oturu, e várias das habilidades que a NBA procura em um pivô nos dias atuais.
  • Elijah Hughes (SF): Hughes é um ala dotado de sólidos atributos físico-atléticos, que mostra excelência pontuando após o drible e se movimentando subitamente buscando uma melhor posição para finalizar. Além disso, ele é um sólido passador e um jogador produtivo com e sem a bola nas mãos. Defensivamente, Hughes chama a atenção por ter um ótimo timing para bloquear arremessos e não foge do jogo de contato. Em suma, ele é um protótipo de 3-and-D, com o plus de ser um bom criador de jogadas. Hughes seria uma boa opção para completar o banco de reservas do Pelicans, carente nas alas.
  • Malachi Flynn (PG): Flynn é um armador que consegue criar para si e para os companheiros, produtivo com e sem a bola nas mãos, e que corre bem a quadra. Ele possui um elevado QI de basquete (nos dois lados da quadra), opera com maestria no pick-and-roll, sabe manipular as defesas adversárias e mostra versatilidade como arremessador. Na defesa, Flynn se destaca na ajuda e na marcação sem a bola e mostra eficiência na antecipação das linhas de passe. Flynn talvez seja a melhor opção de playmaker na segunda rodada. Cairia como uma luva na rotação do Pelicans, podendo até ser o reserva imediato de Lonzo Ball, com seu elevado QI de basquete nos dois lados da quadra.

 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:    

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook