Duelo de defensores de aro: Mohamed Bamba x Jaren Jackson Jr.

Por Gabriel Andrade

Em uma classe de Draft recheada de pivôs é previsível que muitos sejam selecionados na loteria do recrutamento, além de mais alguns na primeira rodada, ainda que a NBA caminhe para uma direção de menos bigs e mais alas versáteis de jogo mais aberto (o que vai fazer muito jogador de garrafão talentoso cair nas projeções, mas isso é papo para outro texto).

Já falados anteriormente aqui, DeAndre Ayton e Marvin Bagley, ainda existem outros dois grandalhões de moldes diferentes que deverão estar no TOP 6-7. Mohamed Bamba e Jaren Jackson Jr. dividem o posto de melhores protetores de aro de 2018. Essa é a hora de conhecermos um pouco o jogo dos dois prospectos e em que pontos eles se diferem (e podem se sobressair em relação aos concorrentes).

  Mohamed Bamba Jaren Jackson Jr.
País Estados Unidos Estados Unidos
Universidade Texas Michigan State
Idade 19 18
Altura 2,13 m (7’0’’) 2,11 m (6’11’’)
Envergadura 2,36 m (7’9’’) 2,24 m (7’4’’)
Peso 98 kg (216 lbs) 109 kg (240 lbs)
Posição Listada pivô ala-pivô/pivô
Estereótipo Posicional pivô com atleticismo e ferramentas fora da curva pivô espaçador e protetor de aro
Habilidades Posicionais finalização, espaçamento de quadra via lob, rebote, proteção de aro e rim running proteção de aro, espaçamento de quadra via arremesso de três pontos, versatilidade defensiva e post up
Jogadores na NBA dentro da categoria Rudy Gobert, Clint Capela, Willie Cauley-Stein e Steven Adams Serge Ibaka, Chris Bosh, Kristaps Porzingis e Myles Turner

 

Estatísticas

Mohamed Bamba: 13.0 pontos, 10.6 rebotes, 0.5 assistências, 1.6 desperdícios de bola, 0.8 roubos de bola, 3.8 tocos, 53.5% nos arremessos de quadra, 26.5% arremessos de três pontos e 68.1% nos lances livres, em 30.8 minutos

Jaren Jackson Jr.: 11.4 pontos, 5.8 rebotes, 1.2 assistências, 1.8 desperdícios de bola, 0.7 roubos de bola, 3.3 tocos, 52.4% nos arremessos de quadra, 41.6% arremessos de três pontos e 79.2% nos lances livres, em 22.3 minutos

 

Potencial Físico

Vencedor: Bamba

Dono da maior envergadura já registrada pelos meios oficiais em toda a história de jogadores de basquete, Mohamed Bamba possui uma combinação única de tamanho, comprimento e fluidez para alguém de sua altura. Trata-se de um dos jogadores fisicamente mais únicos enquanto prospecto, uma aberração física capaz de alterar o jogo baseado em suas ferramentas únicas. É do tipo de pivô que consegue manter a posição de proteção de aro e alterar chutes da meia distância ao mesmo tempo, exige que o time adversário estenda quase sempre seu trabalho de construção de jogada à linha de três pontos. Não é perfeito nesse sentido, pois falta força e explosão. A envergadura influencia mais que a capacidade de salto. Contudo, o conjunto de agilidade e atributos de tamanho é ainda bastante raro.

Apesar da superioridade de Bamba no aspecto físico, não quer dizer que Jaren Jackson Jr. seja um atleta limitado. Pelo contrário. Ele possui altura e envergadura de elite, combinados com uma revolução física que culminou em um tipo de prospecto que a NBA adora: explosivo, de pés ágeis, grande envergadura e capacidade de salto. Possui um domínio de corpo fenomenal para alguém com seus atributos físicos.

Defesa

Vencedor: Jaren Jackson Jr.

É comum que atributos físicos sem confundidos com defesa, mas vamos lembrar que não importa o quão grande e atlético um jogador for, a retaguarda ainda depende de rotações, comunicação, leitura de jogadas, esforço e uso certo do físico. É o que diferencia, por exemplo, Russell Westbrook (péssimo defensor por simples desatenção e eventual descanso) de Andre Roberson (um dos defensores mais exemplares da liga, que estaria na disputa do DPOY deste ano, caso não tivesse se lesionado). Dito isso, tanto Jackson quanto Bamba estão na elite da proteção de aro no NCAA, com a diferença de que o primeiro é um defensor muito mais polido e que joga com mais intensidade.

Dentre os big men disponíveis no topo do draft é dito que JJJ é quem menos corre o risco de ser um bust. O motivo? Ele tem um jogo melhor moldado e que cabe em diferentes estilos táticos, de ótimo encaixe na NBA moderna e que não exige a bola nas mãos para causar ótimo impacto para sua equipe.

Um segredo da boa defesa está na leitura de fazer as ações na posse ideal. Isolado no poste baixo aqui, o jogador de Duke tenta pontuar. Outro jogador poderia simplesmente dobrar ou tentar um toco antes do giro. Ao invés disso, Jackson espera o jogador girar enquanto faz box out em Marvin Bagley, um ótimo reboteiro ofensivo que poderia finalizar a jogada com cesta após um passe ou um putback, se Jackson se apressasse em contestar. Ao invés de disso, ele espera o adversário completar o movimento e bloqueia o chute quando já havia anulado a participação de Bagley na jogada. Parece simples, mas já é indicativo de boa leitura defensiva.

Nesta outra posse, veja como Jackson (camisa 2, ao centro) contesta tudo. Mostra seu espaço nos pick and rolls, ajuda na proteção do garrafão quando o outro pivô do time perde seu homem e corre no perímetro para contestar chutes sem que perca o balanço.

Mesmo quando é obrigado a correr entre bloqueios (uma jogada extremamente complicada de se defender para jogadores de garrafão), JJJ ainda consegue perseguir seu adversário com fluidez para dar este toco:

Despistando que joga a maior parte do tempo como ala-pivô por Michigan State, JJJ possui taxa de tocos maior até que a de Bamba. Elite como protetor de aro do lado contrário, possui leituras muito rápidas combinadas com atleticismo:

A parte ruim é que Jackson Jr. comete muitas faltas: 5.7 para 36 minutos, o que impede que ele fique em quadra por mais tempo.

Bamba é menos explosivo e forte do que Jackson, embora maior e mais longo. Seu alcance vertical insano permite que ele faça coisas do nível deste toco:

Ainda existe um potencial para se recuperar no perímetro baseado na envergadura. Flashes como nesta posse são animadores:

Em compensação, falta força para ser um defensor mais chamativo no poste baixo. Além disso, constantemente, Bamba pode parecer descoordenado.

 

 

Jogo Ofensivo Fora do Garrafão

Vencedor: Jaren Jackson Jr.

Aqui que se vê maior vantagem entre um e outro. Bamba é mais cru em termos de controle de bola, chute de três pontos e ataque à cesta. Ofensivamente, ele não cria muito para si e não é uma boa opção espaçando a quadra. No quarteto Bagley/Ayton/Bamba/Jackson, o último é o único que possui o arremesso de fora realmente incorporado ao seu jogo, representa mais de 40% de suas tentativas (não chega a 15% para os restantes) e também quem apresenta mais volume total, enquanto os concorrentes mal chegam a um chute convertido por partida. A mecânica não é chamativa, com baixo ponto de lançamento, mas é historicamente eficiente, sempre com aproveitamento acima dos 40%, ainda que a eficiência caia drasticamente em chutes após dribles:

Jackson é ainda mais coordenado atacando a cesta, exibindo ótimo controle de bola e explosão no tráfico em infiltrações. Seu chute permite que as defesas sejam mais agressivas na linha de três pontos, dando assim mais espaços para agir como slasher:

 

Jogo Ofensivo Dentro do Garrafão

Sem Vencedor

Aqui está a maior limitação ofensiva de ambos os prospectos. Jaren Jackson Jr., por jogar mais como stretch four, tem menos oportunidades de mostrar seu jogo como finalizador, mais limitado a jogadas de transição. Mas ainda é importante ressaltar que é desconfortável finalizando ao redor do aro e não possui muita força para absorver contato. Enquanto Bamba, que depende muito de passes, putbacks e jogadas em transição para pontuar está constantemente mostrando suas limitações na hora de finalizar jogadas, combinada com visão de túnel. Simplesmente falta “toque” natural em suas mãos para fazer simples bandejas e ganchos:

No duelo entre os dois melhores defensores de garrafão do draft, Bamba é considerado um boom-or-bust, alguém que pode ser âncora defensiva monstruosa por vários anos na NBA nos moldes de Rudy Gobert (Utah Jazz), mas podendo também ser um desastre por suas limitações ofensivas e inconstante motor. Jaren Jackson Jr. é um jogador mais seguro, com poucos defeitos e que tem estampado em sua testa o título de role player. Parece possuir potencial limitado devido às suas limitações de criação individual e como pontuador em volume. Vai ser divertido ver quem sairá primeiro no recrutamento. De acordo com as últimas projeções, parece que vemos vantagem para o jogador de Michigan State.

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • Fernando Henrique

    Mais uma matéria excelente sobre prospectos e basquete universitário!

    Acredito que JJJ deve crescer um pouco mais e se tornar mais do que role player. Mas de qualquer jeito, aposto que o Bamba sai antes no draft. Ambos são bons jogadores e podem render bem em times com bons técnicos e mais organizados.

    Em Dallas um jovem de garrafão com potencial pra iniciar a era pós Dirk e treinado pelo Carlisle vai ser interessante. Lógico que o ideal seria Ayton ou Bagley, mas um desses dois também são boas escolhas

    • King Cuban #MFFL

      Concordo. Vamos ver qual é o plano da franquia pois se realmente querem ir atrás do Julius Randle e Aaron Gordon na free agency faz sentido escolher o DeAndre Ayton, Luka Doncic, Michael Porter Jr. ou Mohamed Bamba apenas.

  • Diego Costa

    Boa matéria. Bamba tem uma envergadura bizarra, é simplesmente algo surreal. Tem tudo pra ser um defensor de elite por muitos anos. Porém o cara ter menos de 100 kg com 2,13, é risível. Vai precisar de um trabalho especial nessa parte, porém sem dúvidas o mais preocupante é o seu jogo ofensivo, cru demais. Tem vários times interessantes pra ele cair. Óbvio que pra todo novato o ideal é trabalhar com RC logo de cara, mas ele e Collins seria interessante no Hawks. No Bulls com Lauri seria interessante também, estilos totalmente diferentes de basquete. No magic tem o Gordon que é muito atlético, poderia ser um bom encaixe. Se der certo vai virar DPOY, errado vira um reserva que só entra pra dar uns tocos. Aliás essa é a única certeza, muitos tocos. TT que gosta do assunto que se cuide rs

  • Dois caras extremamente atléticos, o Bamba realmente impressiona muito pelo porte físico, mas assim como o Thon Maker do Bucks (parecido fisicamente) que necessita de mais corpo, ele vai ter ganhar um pouco de massa na NBA pra aguentar as trombadas…

  • Pedro

    Dois pivôs extremamente modernos, mas que ainda precisam ser bastante trabalhados. Pelo teste de olho, prefiro o Jaren Jackson, porque parece ter mais instintos defensivos e tem um arremesso melhor. Além disso o Mo Bamba é aquele jogador que as vezes parece ter QI de basquete muito baixo, o que é preocupante para uma escolha tão alta em um draft com um top 7 tão forte.

  • King Cuban #MFFL

    Ambos servem para os Mavs mas o meu big board é:

    1 – DeAndre Ayton
    2 – Luka Doncic
    3/4 – Michael Porter Jr. ou Marvin Bagley III
    5 – Jaren Jackson Jr.
    6 – Mohamed Bamba

    Então se os Mavs conseguirem se manter no top 7 (assumindo que o Trae Young seja escolhido no top 6) estaremos bem. Mas a minha preferência é o DeAndre Ayton mesmo.

    • Sérgio Menezes

      Penso igual a vc, nessa mesma ordem.

    • Diego Costa

      Acho que o Doncic seria um melhor encaixe.

      • King Cuban #MFFL

        Para o RC sim mas para as necessidades da equipa não dá para deixar o DeAndre Ayton passar. Os Mavs podem formar uma grande dupla dentro do garrafão caso consigam contratar o Aaron Gordon e draftar o DeAndre Ayton.

        • Diego Costa

          Gordon é restrito, Magic vai cobrir qualquer proposta por ele. Acho mais viável o randle

        • samuel pereira

          Aaron gordon pode esquece pq magic ira cobrir qualquer proposta ate pq o magic tbm tera escolhas nas primeiras 6,7 picks entao gordon tera um parceiro forte de garrafao no proprio magic um desses 4 vai desembarca em orlando!!

  • Gustavo – DefendTheLand

    Pro Cavs, são escolhas muito boas, ja que Bargley e Ayton devem sair antes no draft. Quem sabe, vamo que vamo nesse tank Nets.

    • Fernando Henrique

      Acho que se tiverem a chance, vão de Trae Young

    • Gustavo

      Acho que a tendência do Cavs é ficar com a escolha 7 ou 8. Nesse caso vai ficar com quem sobrar entre Doncic, Aytom, JJJ, Young, Porter, Bagley, Bamba e Mikal Bridges. Qualquer um é uma boa opção.

  • vinicius galvao

    JJJ junto com Porzingis no garrafão do Knicks seria insano

    • Sérgio Menezes

      Encaixe perfeito, no ataque e defesa.

  • Sérgio Menezes

    JJJ pode ser um ibaka 2.0.

    • vinicius galvao

      Tá mais pra Draymond Green 2.0

  • David Ribeiro

    Bamba boy encosta a mão no joelho, em pé e sem nem agachar asuhusahusahuas

  • samuel pereira

    axo que um desses 4 desembarca em orlando,ate pq o magic tera as primeiras 6,7,8, escolha do draft um deles faria uma dupla explosiva com o gordom no garrafao mais o simmons,Hezonia,isaac fournier e vucevic faltaria apenas um point guard para o magic ressurgir das cinzas!!