Durant isenta Warriors de culpa por lesão nas finais da NBA: “Nunca fui pressionado”

O último ato da passagem de Kevin Durant pelo Golden State Warriors também foi o mais depressivo. Após semanas de recuperação de uma suposta contusão na panturrilha, o astro retornou às quadras na quinta partida da decisão do título e rompeu do tendão de Aquiles no segundo quarto de jogo. As acusações de que a franquia apressou sua volta foram intensas desde então, mas ele nega a versão.

“Eu ouvi muitas pessoas dizendo que havia sido pressionado a voltar – e isso nunca aconteceu. Ninguém ‘palpitou’ em nada durante a minha recuperação. Essa foi uma decisão tomada somente por mim e Rick [Celebrini, diretor de medicina do esporte] no trabalho diário. Sempre quis retornar no quinto jogo das finais. Não há culpado. Coisas do jogo. Acontece”, revelou o craque, em entrevista ao site Yahoo! Sports.

Mas, se a equipe de San Francisco não exerceu pressão, a situação pela qual o time passava poderia ter pesado em sua decisão: depois de perder três dos quatro jogos inaugurais da série, o Warriors estava a uma derrota de ser “destronado” após dois títulos da NBA seguidos. Durant assegura, no entanto, que a situação catastrófica também não teve nada a ver com uma decisão que já havia sido premeditada.

“Não importava quanto estivesse a série, eu queria voltar na quinta partida. E foi só por isso que joguei: por mim e por querer estar em uma decisão, não por estarmos a uma derrota da eliminação. Só desejava jogar basquete e estava sentindo-me tão bem, já treinava duas vezes por dia. Estava realmente focado em voltar e jogar aquela série”, garantiu o recém-assinado ala do Brooklyn Nets.

A ruptura do tendão de Aquiles é constantemente indicada como uma das lesões mais devastadoras para a carreira de jogadores de basquete. Além de um lento processo de recuperação, que pode ultrapassar um ano, poucos atletas voltam a atuar tão bem quanto antes. Durant não descarta conseguir jogar já no primeiro semestre de 2020 – e tem certeza de que escreverá uma história de exceção.

“Não sei se não vou jogar a próxima temporada, assim como não sabia que iria me lesionar. É muito cedo para previsões. Só estou treinando todos os dias e tentando controlar o que posso. Viver cada segundo. Já percebi que vai ser necessário muito trabalho para voltar com força máxima. Ainda falta muito para meu corpo alcançar a minha mente. Mas, assim que acontecer, ficarei bem”, cravou o confiante astro.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.