Dwight Howard quer receber mais bolas nos minutos finais

O Orlando Magic derrotou o Milwaukee Bucks na noite deste sábado por 99 a 94, tirando uma desvantagem de dez pontos nos cinco minutos finais de jogo. No entanto, a vitória não deixou todos os atletas contentes: o pivô Dwight Howard saiu da partida reclamando por não ter tido tantas chances de finalizar jogadas nos momentos decisivos.

“Eu quero receber mais bolas nos minutos finais. Quero fechar jogos. A única forma de fazer isso é tendo a bola nas mãos e a confiança do treinador. Eu sou o líder da equipe e não me importo de errar todos os arremessos, pois continuarei trabalhando duro”, afirmou o all star, que recebeu a bola apenas cinco vezes durante o último período.

Nos cinco minutos decisivos, o time da Florida foi liderado pelo ala-armador Jason Richardson, que fez 31 pontos e converteu nove de 11 tentativas de longa distância. Já Howard anotou apenas 11 pontos no jogo inteiro, com cinco acertos em 15 arremessos. O treinador Stan Van Gundy fugiu de polêmicas, mas deu a entender que discordava das reclamações naquele momento.

“Olha, ele não estava tendo uma grande partida e nossos atletas estavam muito bem jogando em transição, matando bolas de três. Já Dwight estava errando alguns arremessos que não costuma errar”, explicou o técnico.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • n

    howard é MUITO atlético, mas não acho que tem um bom arsenal de movimentos embaixo da cesta… geralmente ele dá um giro e solta de esquerda, ou algo assim.. na MINHA OPINIÃO, o blake griffin tem um bom arsenal de movimentos… ele finta muito

  • Harley

    O que é que o Howard tá pensando? Ele pode ser o pivô mais dominante da liga, mas ele tá longe de ter recursos ofensivos que sejam capazes fazer com que o técnico ponha a bola nas mãos dele nos momentos decisivos.

    • Ricardo

      Howard está pensando nele. Só nele. É a impressão que dá: não só pelas declarações, mas também por fazer críticas após uma vitória expressiva.