Dwyane Wade admite difícil adaptação no Cavs: “Ainda buscando meu ritmo”

Dwyane Wade escolheu o Cleveland Cavaliers como seu time nesta temporada, mas a adaptação aos atuais tricampeões do Leste não tem sido simples. Nas três partidas iniciais da campanha, o titular converteu apenas sete arremessos em 25 tentativas de quadra e ainda não anotou dígitos duplos de pontuação pela nova equipe. O ala-armador admite que o início da segunda parceria com o ala LeBron James vem sendo mais complicado do que imaginava.

“Eu ainda estou tentando encontrar meu ritmo aqui. É uma situação muito diferente das outras em que já joguei. Tudo aconteceu muito rápido, mas, ao mesmo tempo, foi uma longa primeira semana de temporada para mim. Sou um jogador de ritmo, que sempre fez vários arremessos e era uma das duas primeiras opções ofensivas do time. Agora as coisas mudaram, então preciso descobrir meu espaço”, explicou o veterano, em entrevista após a derrota contra o Orlando Magic.

O início apagado de campanha pelo Cavs fez com que Wade procurasse o treinador Tyronn Lue nesta segunda-feira. Ambos tiveram uma conversa franca e, a pedido do jogador de 35 anos, ele passará a ser reserva para o retorno de J.R. Smith ao quinteto inicial. Uma atitude nobre, mas que não exime o treinador de sua missão de “integrar” um dos reforços mais importantes trazidos pela franquia.

“Nós temos que colocá-lo em posições onde fique mais confortável para agredir as defesas e buscar seus espaços. Nosso sistema ofensivo é diferente do que Dwyane está acostumado e isso demanda tempo. Não é um problema meu ou dele, mas de ajustes. É só seguir marcando bem e vamos trabalhar para que seu jogo ofensivo volte naturalmente”, concluiu Lue, apostando na pronta recuperação do veterano.

O ajuste de Wade em Ohio passa por uma questão tática, mas o ídolo acredita que o mais importante para que “entre nos eixos” será simplesmente ver a bola cair na cesta. “Eu não estou ‘forçando’ arremessos. Fiz passes, dei assistências e todos os tiros que tentei são aqueles que normalmente tento. Eles só não estão caindo. Mas ainda estou me adaptando. Você quer que tudo seja perfeito, acertar tudo, mas a verdade é que o basquete não funciona assim”, concluiu.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Caçador

    Que decadencia , de patrão de miami a escravo de lebron e fundo de banco no time de ohio …

    • Jadson Ramos

      Você esqueceu um detalhe importante: ele tem 35 anos.

      • Vinícius Maia

        E já não tem mais joelhos.

    • Gabriel De Oliveira Meira

      Bom mesmo é trabalhar 8 horas por dia, de segunda a sexta e ganhar, se tudo der certo, 5 mil reais… Não ser um dos melhores da profissão, o que o Wade faz e fez é realmente decadente perto disto que é o verdadeiro bom!

  • Eduardo Rebelatto

    O lue é uma anta, coloca ele de armador o animal. Mas ele não sabe que hj em dia não existe essa de posição fixa e daí coloca a bosta do Calderon pra armar

  • Rafael Victor

    Logo ele volta ao normal! Vim do banco vai fazer bem pra ele!

  • “KOBE” -Thank You Kyrie.

    Olha.. conta-se nos dedos um jogador do nível do Wade, reconhecer q ele pode ser um melhor jogador para a equipe vindo do banco, do q sendo titular, e procurar isso.
    Era uma saia justa para o Lue ter q fazer isso. É o melhor amigo do LeBron, pode deixar o cara meio bravo com essa situação, e ainda existe essa chance do LeBron sair. Poderia tudo cair em cima do Lue. Então.. vindo isto do próprio Wade, é excelente. Pq não arrebenta com a química do elenco.
    Como o Wade é mais um scorer próximo a cesta, e já tem o LeBron e Love para fazer isto na rotação titular, tava na cara q a melhor opção era ele ser reserva. Excelente atitude do Wade.

  • Will

    Vejo isso como algo pontual, momentâneo.
    Mesmo com a questão do físico a ser levada em conta, vejo o Wade como um jogador bem acima da média e que ainda tem MUITO a contribuir.

  • Gustavo – DefendTheLand

    Acho que isso melhora bem a equipe, JR vem pro time titular e resolvemos o problema das bolas de 3, Wade jogando como 6° man pode dar muito certo, quem assistiu os jogos do Cavs como eu, viu que ele quase n pegava na bola começando como titular, vindo do banco vai comandar a segunda unidade e ficar com a bola na mão a maior parte do tempo. Talvez isso tbm ajude a preserva-lo para chegar aos offs sem lesões onde provavelmente vai ter mais minutos.

  • Thiago26-NBA

    a diferença do jogador comum para o craque

  • Victor Chittolina

    O pedido pra vir do banco mostra bastante do que é o CARA Dwyane Wade. Colocou o ego de lado pra buscar um melhor desempenho coletivo e individual.
    Por incrível que pareça, vir do banco pode ser bom pro jogo dele, que precisa de ritmo, de volume. Ainda que com menos minutos, deve ter mais toques e jogadas pra finalização dele, especialmente no garrafão e em arremessos de média distância.

    Vai ter que mostrar que patrão é patrão, seja titular ou vindo do banco.

  • Guilherme

    O Wade entrou num declínio técnico faz algum tempo. No próprio Bulls ele não apresentou o esperado. Tudo bem que o time não era lá essas coisas e o técnico pavoroso, mas de qualquer forma, se esperava mais dele.
    Pra mim, por pagar um contrato mínimo pelos serviços dele, o Cleveland fez um bom negócio. Mas que ninguém espere que o Wade faça 50% do que fazia em Miami porque isso certamente não vai acontecer.

    • samuel

      Com 35 anos e joelho com histórico de lesões. Vai na base da habilidade.

  • Igor Dourado

    Como muitos falam na mídia americana, Wade pode ser um cara extraordinário dentro de quadra, mas não se compara ao que ele é fora de quadra. A contribuição dele não está somente em números ou jogos, esse cara é um verdadeiro campeão na vida! História de vida fantástica e a humildade que a mãe dele lhe ensinou e prega sempre lhe tornou diferenciado. Espero sinceramente que ele melhore bastante, não porque quero o Cavs mais forte, mas porque ele merece! Se alguém tem dúvida da diferença que esse cara fez no legado e no modo como James vê o jogo é só prestar atenção na mudança drástica no aspecto de liderança, decorrente dos ensinamentos do Wade, na época do Heat!

    • Albert Santos

      Fato !

  • D-WADE

    Pode nao estar mais jogando aquele basquete e no meu time do coração, mas continua tomando decisões que fez dele um dos meus ídolos dentro e fora de quadra. HOF e camisa levantada no American airlines arena! D-Wade e patrão!

  • A verdade é que Wade não encaixa ao estilo de jogo do Cavs. A principal força do time eram as bolas de 3, com ele e Rose isso acabou sem trazer nada realmente bom em troca. O time está vivendo da genialidade do LB e Love.