“É difícil confiar em alguém que não confia em você”, desabafa LaVine sobre técnico do Bulls

O Chicago Bulls perdeu mais uma partida nessa sexta-feira, a 11ª derrota em 16 jogos e o sexto revés em nove compromissos realizados em casa. Mas, para Zach LaVine, o resultado negativo contra o Miami Heat foi uma experiência ainda mais abaladora. O ala-armador de 24 anos foi retirado de quadra já nos primeiros minutos de ação pelo técnico Jim Boylen, após o péssimo início do time local.

“Eu julguei que Zach precisava de um tempo. Precisava sair de quadra e pensar em seu desempenho até aquele instante, parar por uns minutos e refletir. Só senti que alguns dos seus erros defensivos simplesmente não podiam ser cometidos. Eu não queria que ele continuasse em quadra. Eu sou o treinador e é assim que funciona”, afirmou Boylen, justificando sua decisão depois da derrota por 116 a 108.

LaVine não escondeu sentir-se desprestigiado ao sair de quadra prematuramente, sem qualquer explicação do técnico, e desabafou para a imprensa. “Eu acho que era a pessoa a ser culpada por tudo o que estava acontecendo, então fui retirado de quadra bem cedo. Imagino que seja assim que Jim trabalha, né? Você precisa aceitar e aprender, afinal não sou o treinador”, lamentou o titular.

O episódio foi um novo desdobramento da aparentemente abalada relação entre LaVine e Boylen, que teria uma péssima relação com o elenco e já convive com rumores de demissão. O pontuador acreditava que a aproximação esboçada na offseason com o técnico ajudaria a “aparar” as diferenças da última temporada, mas, agora, já admite que ambos precisam ter uma conversa particular.

“Eu sinto que fiz por merecer a confiança, mas Jim tem um pensamento diferente. Queria entender o que aconteceu. Tivemos ótimas conversas na offseason. Estou tentando fazer o meu melhor nos minutos que atuo, mas é duro – especialmente, na fase que vivemos. Fica difícil confiar em alguém que, no fim das contas, não confia em você”, disparou o cestinha do Bulls nessa temporada.

Em entrevista coletiva, Boylen reclamou o desempenho da franquia e chamou a atenção nominalmente de dois atletas: LaVine e Lauri Markkanen. O jovem ala-armador, de fato, não vem atuando bem: após ter tido a melhor temporada da carreira, ele vê suas médias diminuírem em praticamente todas as estatísticas. Mas, no fim das contas, ele quer que cada um assuma sua responsabilidade.

“Obviamente, eu acho que todos precisam melhorar. Não é questão só do elenco, não dá para culpar só dois ou cinco jogadores. Todos estamos no mesmo barco. Assumo a responsabilidade pelos meus erros e admito que não consegui jogar o meu melhor basquete e estou trabalhando para melhorar. Espero que Jim possa fazer isso também”, alertou LaVine, em uma resposta direta ao comandante.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.