Elenco do Magic emociona-se com classificação para os playoffs após sete anos

O Orlando Magic está oficialmente de volta aos playoffs. O time encerrou o maior “jejum” de classificação para a pós-temporada ativo no Leste e assegurou-se entre os oito melhores da conferência nesse domingo. A confirmação da (desejada) vaga coroa uma sequência de 21 vitórias nos últimos 30 jogos, com a melhor defesa da liga em eficiência no mesmo período.

“O cenário em nosso vestiário é simplesmente fenomenal. Nossos atletas estão em êxtase e isso é muito divertido de ver. Eles merecem essa festa e eu sinto que nós chegamos até aqui do modo certo, pois praticamos nosso melhor basquete nas 30 partidas finais da campanha e fizemos grande progresso ao longo do ano”, elogiou o treinador Steve Clifford.

A classificação foi garantida em uma importante vitória, como visitante, contra o Boston Celtics. A equipe da Flórida chegou a estar perdendo por 13 pontos antes do intervalo, mas conseguiu reagir marcando 68 pontos no segundo tempo. Para o ala-armador Evan Fournier, o resultado positivo em uma partida difícil foi a forma ideal de selar a vaga nos playoffs.

“Demos tudo o que tínhamos e fizemos uma de nossas apresentações mais sólidas hoje. E não poderia ser diferente, né? Vencer em Boston é muito melhor do que só ser favorecido por uma derrota do Charlotte Hornets em Detroit, por exemplo. É uma forma de classificar que significa muito mais para todos aqui”, comemorou o titular, após a vitória por 116 a 108.

A ausência do Magic em playoffs se estendia desde 2012, quando o astro Dwight Howard pediu para ser negociado. Parte da troca que viria a seguir foi a chegada do jovem Nikola Vucevic para a franquia. Os anos de decepção em Orlando até a atual campanha, em que comandou a recondução do time ao TOP 8 do Leste, só faz tudo ser mais especial para o pivô.

“Essa é uma sensação fantástica. Ninguém sabe o que passamos nos últimos anos, com todas as derrotas, dificuldades e dúvidas. Foi difícil para mim às vezes, mas, agora, poder celebrar com os meus companheiros lembra o motivo de estar aqui. Alcançar seu objetivo é o melhor sentimento para um atleta”, contou Vucevic, que foi eleito all-star nesta temporada.

Nas últimas temporadas, o Magic foi criticado por analistas e torcedores por nunca ter “abraçado” a prática do tank com a incisão de outras franquias – visando uma melhor escolha de draft. Clifford rebate essa noção agora com a certeza de que a reação dos jogadores é o reflexo de um grupo que, ao longo dos anos, sempre soube que estava em quadra para tentar vencer.

“Qualquer um que não acredite em pureza na NBA deveria ter visto o que observei em nosso vestiário hoje. Foi engraçado, agradável e merecido. Foi a alegria genuína de atletas que realmente deixam tudo o que tinham em quadra há muito tempo. Eles sentem-se bem sobre isso e eu também. É muito bom ver, de vez em quando, a emoção pura do dever cumprido”, concluiu o experiente técnico.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.