Definitivamente, a NBA vive uma revolução quando o assunto é o arremesso de longa distância. Na vitória do Houston Rockets sobre o Charlotte Hornets por 109 a 93, o time texano quebrou dois recordes em uma noite só, claro, envolvendo os tiros de três.

No primeiro tempo, o Rockets arriscou nada menos que 32 vezes atrás da linha, nova marca absoluta. Mas o que veio a seguir é ainda mais curioso: ao todo, a equipe arremessou 57 lances para três e apenas 31 para dois, resultando na menor pontuação da história, com somente 28 pontos lançados de dois. Outro recorde.

O Rockets converteu 22 bolas de três (38.6% de aproveitamento). Os jogadores, porém, não conseguiram superar os 24 acertos que tiveram em dezembro do ano passado, contra o New Orleans Pelicans. Na temporada, os números do time são assustadores. Nos seis primeiros jogos, foram 267 tentativas de longa distância, que correspondem a 53.5% de todos os arremessos da equipe na campanha. O aproveitamento, entretanto, é pífio. O time ocupa apenas o 26° lugar de toda a liga, com 30.3%

A equipe possui a segunda melhor campanha da NBA, com cinco vitórias e uma derrota (83.3%). Neste sábado, o Rockets encara o Memphis Grizzlies, segunda melhor defesa da liga até o momento.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • Dream Shake

    É o verdadeiro tudo ou nada no Houston com as bolas de 3pts, se caírem ótimo o time bate de frente com qualquer um, MAS se for um noite de pedreiros amassando o aro ou um bom time defensivo como o próximo adversário o Grizzlies é aquela noite pra ter pesadelo o Rockets.

    • gtopunkid

      Filosofia Dantoni, ele gosta do tudo ou nada, antes era o jogo corrido sem defesa e agora é chuta tudo de 60 se entrar 25 pronto 70 ponto nem precisa de bom aproveitamento.

  • Thalles Ferreira

    Tá certo, o que importa é quem faz mais pontos, bizarro esperarem até 2017 pra jogar assim na NBA, desde que criaram a linha de 3, a ideia já era pra ser essa.

  • Marcos Gordinho

    O uso da matemática. Um menor aproveitamento em uma situação de acumulo de mais pontos, desde que não seja uma porcentagem pífia, coloca uma equipe com arremessadores regulares entre os contenders da liga. Ao menos por hora, já que não há defensores de perímetro efetivos em quantidade parelha aos pontuadores de linha de 3. É um ciclo até natural. Que mais na frente voltará ao jogo do garrafão.