“Estamos realmente desajustados”, reconhece Van Gundy sobre Pistons

A missão de tornar o Detroit Pistons competitivo novamente está se revelando ainda mais difícil do que Stan Van Gundy imaginava. A equipe venceu apenas três das primeiras 19 partidas que disputou na temporada, vive uma sequência de dez derrotas consecutivas e ocupa a penúltima posição da conferência Leste. Não é preciso acompanhar o dia a dia do elenco para saber que há problemas internos e o técnico não tenta esconder a situação do time.

“Nós estamos realmente desajustados neste momento. Realmente desajustados como equipe. Temos vários dilemas, vários jogadores sentindo-se pressionados aqui. Não estamos em um bom momento mentalmente e isso precisa mudar antes de qualquer coisa”, contou o treinador e presidente de operações da franquia, antes da derrota contra o Boston Celtics nesta quarta-feira.

Das dez derrotas sofridas em sequência, o Pistons perdeu seis dos jogos por dígitos duplos e apenas um por cinco pontos ou menos. Os resultados não ajudam os índices do time, que já figura entre os dez piores da temporada em eficiência nos dois lados da quadra. Mais até do que na produção, Van Gundy acredita que o “estado de espírito” do elenco vem interferindo decisivamente na postura da equipe.

“Já disse ao elenco: o problema para mim é que não estamos nos esforçando o bastante e nós não temos talento suficiente para superar a falta de empenho. Não merecemos vitórias contra quem joga com mais entrega. Mas eu não acho que seja uma questão de preguiça, só muita coisa na cabeça de todos”, explicou, ponderando que sete dos reveses em sequência vieram diante de adversários acima de 50% de aproveitamento na campanha.

O desempenho da equipe na temporada é especialmente decepcionante com a lembrança de que o mesmo grupo venceu cinco dos sete jogos disputados na pré-temporada. O treinador acompanhou tudo de perto e acha que este é mais um sinal de como o momento atual é mais produto de uma questão emocional e pessoal do que técnica.

“Certamente, nós atuamos melhor juntos quando as partidas não valem. Treinamos mais duro do que jogamos, movimentamos mais a bola também. Acho que isso acontece porque não há pressão na pré-temporada. Ninguém se importa com minutos, número de arremessos e afins. De repente, as partidas começam a valer e você precisa jogar. Aí, nós ficamos desajustados. Estamos desajustados”, finalizou Van Gundy, voltando ao ponto inicial.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Rapha_11

    Desajustados é um belo eufemismo. Esse time tá é uma zona! Na quadra, temos um garrafão até bom, mas um perímetro horroroso, com um PG peladeiro (Jennings), um SG que apesar de cru, não apresenta sinais que poderá fazer a diferença no futuro (Caldwell Pope) e um SF, ora o limitadíssimo (Kyle Singler), ora o Improvisado (Josh Smith). Nem preciso falar do banco, já fico com azia. Mesmo mantendo o time da temporada passada, e adicionando alguns nomes, tá essa baba! O time merece o MWTOY – Most Worsened Team Of Year. Essa temporada já era, e vamos perder o Greg Monroe ainda! Fora a administração, que só faz cagada, como dar um salário astronômico pro Josh Smith sem nenhuma necessidade. E se o time merece o MWT, o Sr. Van Gundy também tem culpa. Mas não merece ser crucificado, ainda! O negócio agora é tankar e trocar o Jennings e Smith. E fazer o que for preciso pra ficar com Monroe. É montar um novo Bad Boys e ganhar o bi em 2019 e 2020 kkkkkkkk.

  • Felipe

    Com Jennings e Josh Smith que não dá mesmo né. A melhor formação do Pistons provada em quadra já é Augustin, KCP, Butler, Monroe e Drummond. Parece que só o SVG não enxerga, ou apenas não quer entrar em atrito com Jennings e Smith que claramente levam esse time pro buraco.

  • Rodrigo

    O time tem o garrafão mais promissor da NBA e é incapaz de formar um perímetro decente ao redor deles. Como disseram, o negócio é no mínimo tentar se livrar de Josh Smith e adicionar peças nessas posições.

  • Daniel Serafim

    1) Ponham-se no lugar de Monroe, você ficaria feliz numa equipe que contrata um jogador superestimado para a MESMA poxição que você joga, ganhando muito mais do que você e fazendo muito menos que você faz em quadra? Não é difícil saber o porque do Monroe querer sair do time, se sente desvalorizado e não é por menos;

    2) Além do mais, será mais fácil trocar Monroe do que Smith e seu absurdo salário, o Pistons sabem disso e assinaram com Monroe por apenas um ano p/ trocá-lo na trade deadline. Enquanto Smith, acho melhor esquecer, embora trocar seu contrato seja o melhor para o time, será impossível o Pistons convencer alguém a pagar o salário astronômico que ele recebe, os Pistons irão “casar” com esse contrato;

    3) O mesmo pode-se dizer com Brandon Jennings, vulgo armador “peladeiro”;

    4) O perímetro do time fede, Caldwell-Pope não é o jogador do futuro, muito limitado, Jennings não sabe o significado da palavra “passe”. Além de Augustin, não há um que se salve no perímetro;

    5) Queria saber o porque da franquia gostar tanto de Jerebko e Singler…;

    6) Os Pistons ainda não sabem, mas terão que reiniciar projeto de reconstrução, esse não está dando certo;

    7) Detroit é uma cidade quase falida, a cidade está co uma dívida que está entre US$ 18 bilhões a US$ 20 bilhões de dólares. Não vou estranhar se a franqua mudar de lugar…

  • Charles

    Não tenho muita precisão ao falar algo sobre meu time, mas creio que sofrer-se-á ainda muito as cagadas de Dumars. O que foi a aquisição de Jennings? Knight e Middleton por esse cara? O Bucks está rindo, e muito! E o draft do KCP, quando se tinha como opção Burke, MCW e Freek Greek? A aquisição de Josh Smith, com um salário astronômico, quando se tem um jovem garrafão que tinha tudo para dar certo dentro de algum tempo; o que dizer disso?
    E o futuro não promete muito, pra não dizer nada. Somente Drummond, do elenco atual, faz parte de uma projeção otimista. Monroe já era.
    Oremos.

  • Erick Pozes

    Oque o Pistons podia tentar fazer e trocar o Monroe por algum armador do Suns e procurar duas franquias malucas de levar os nossos queridos peladeiros do Jennings e do Smith,fora que vai ter um draft vindo ai que pode corrigir alguma coisa

  • DJ _X_ leitinho

    Sinceramente, essa eh a pior equipe que vi do Pistons na minha vida. Nunca pensei em ver meu time com tantos peladeiros, sempre fomos temidos na conferência e hoje somos saco de pancada!
    Eu ainda tinha alguma esperança de reação nessa temporada, mas aí pegamos a sequencia de “babas” e perdemos. Los Angeles, Boston, Philadelphia e OKC.. tavam apanhando de todo mundo e ganharam da gente. Essa do Phila foi demais pra mim.
    Saudade de Isiah Thomas, Dennis Rodman, Joe Dumars, Grant Hill, Tayshaun Prince, Hasheed Wallace, Ben Wallace, Richard Hamilton e Chauncey Billups quando ainda tava em sua boa fase..
    O Pistons errou feio nas contratações, deveriam ter tentado trazer o Kevin Love e o LeBron, podia mandar metade desse time embora (pra falar a verdade eu deixava só o Monroe e o Drummond) e pagava o que o LeBron e o Love pediam e aí ao invés de irem pro Cleveland quem sabe estariam no nosso saudoso Detroit e poderíamos sonhar com Playoffs.
    Por mim pode mandar todo munndo embora a começar pelo técnico, e infelizmente minha torcida agora é pra não sermos o pior time da temporada.
    Quem sabe bate um espírito Isiah Thomas no Brandon Jennings.. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.. mais fácil transbordar a represa da Cantareira antes do Natal do que isso acontecer!

    Bom, mas com toda essa draga ainda somos Detroit Pistons até a morte! E torcendo contra o Chicago Bulls sempre!

    _X_

  • andre

    É preciso voltar as raízes ,essa é a vigésima quinta temporada que acompanho os Pistons ,desde o longínquo 1989 na época a equipe mas cascuda da liga ,ninguém queria enfrentas aqueles caras os adversários realmente tremiam hoje esse jogadores não honram nada !!!