O ala-pivô Zion Williamson, da Spartanburg Day (SC), anunciou nesse sábado, no ginásio da sua escola, o seu comprometimento coma Universidade de Duke para a temporada 2018/19. O anúncio feito pelo segundo melhor prospecto da classe de 2018 teve, inclusive, a transmissão da ESPN americana.

Além de Duke, as universidades de Kentucky, Kansas, North Carolina, Clemson e South Carolina estavam disputando o atleta.

A escolha por Duke surpreende a todos os scouts e jornalistas americanos, já que Clemson vinha sendo a grande favorita em diversos sites que cobrem o basquete colegial.

 

Repare o favoritismo de Clemson no site da 247Sports

Aliás, Clemson era o meu palpite, já que Williamson nunca saiu da Spartanburg Day High School e jogava no circuito AAU, em uma equipe de South Carolina.

Vale lembrar que o seu padrasto, Lee Anderson, jogou em Clemson e Zion sempre deixou claro o seu amor pelo estado. “South Carolina é a minha casa”, disse o jogador à ESPN tempos atrás.

A escolha por Duke pega todos de surpresa, mas nos mostra a moral do técnico Mike Krzyzewski, o Coach K, para recrutar atletas de alto nível. Além de Zion, a universidade de Duke vai contar, na próxima temporada, com o ala canadense RJ Barrett (melhor jogador da classe 2018), o ala Cam Reddish (terceiro melhor jogador da classe 2018) e o armador Tre Jones (melhor da posição da classe 2018).

Williamson falou as suas razões para escolher o Blue Devils.

Williamson é um jogador que sabe utilizar muito bem o corpo para finalizar as jogadas. Além disso, ele possui boa mobilidade e agilidade para executar jogadas próximas à cesta. O ala-pivô é dotado ainda de um excelente QI defensivo, tem um bom controle de bola para alguém da posição, seu trabalho de pés chama a atenção e ele é capaz de criar para os companheiros.

Zion tem um arremesso de média distância confiável e é eficiente finalizando jogadas no pick and roll. Apesar de ser considerado baixo para a posição 4 (1.98m), ele é forte fisicamente e mentalmente, e tem um ótimo timing para pegar rebotes, dar tocos e roubar a bola dos adversários.

No time em que joga, Williamson sofre por não ter companheiros tão bons quanto ele. Então, ele acaba tendo que ser o criador de jogadas e o cestinha da equipe. Além disso, ele vem ajudando demais a Spartanburg Day nesta temporada, chegando a colocar o time na liderança do estadual.

Na última temporada, ele teve médias de 36.1 pontos, 12.5 rebotes, 2.9 assistências, 1.6 roubo de bola e 2.0 tocos, em 23 jogos disputados.

Mas vale dizer que Zion precisa melhorar o trabalho com as duas mãos, pois sempre tem a tendência de utilizar o lado esquerdo (por ser canhoto) para finalizar. Os seus arremessos de média e longa distância precisam ser aperfeiçoados e utilizados em quadra para que ele possa ter mais armas ofensivas.

Uma coisa é certa. Zion Williamson tem tudo para fazer um enorme barulho no basquete universitário. E Duke, ao recrutar os três melhores prospectos do high school, já larga como a grande favorita da próxima temporada.