“Eu sei que sou o melhor calouro da NBA”, afirma Ben Simmons

Ben Simmons é um jovem muito confiante. Antes mesmo de estrear na NBA, ele já cravava ser o armador titular do futuro do Philadelphia 76ers – e provou a afirmação dentro de quadra, com excelentes atuações na primeira metade desta temporada. A maioria dos analistas aponta o australiano como favorito ao prêmio de calouro do ano na liga, mas seus objetivos imediatos já são maiores.

“Seria sensacional estar no Jogo das Estrelas neste ano, uma verdadeira benção, pois quero ser um all star. E, se conseguir, eu sinto que seria eleito novato do ano. Mas realmente não penso muito nisso. Eu sei que sou o melhor calouro da NBA”, disse o estreante de 21 anos, em entrevista à imprensa europeia antes da derrota do time contra o Boston Celtics, em Londres.

Simmons vem registrando médias de 16.9 pontos, 8.2 rebotes, 7.3 assistências e 1.9 roubos de bola na atual campanha – números totalmente incomuns para um novato. Estatísticas e atuações que não passaram despercebidas pelos fãs da NBA, que já o colocam em terceiro lugar entre os guards do Leste na segunda parcial da votação popular para a escolha dos titulares do Jogo das Estrelas.

Caso seja eleito para a partida festiva, Simmons vai entrar em um minidraft que, hoje, seria realizado entre LeBron James e Stephen Curry. Ele não esconde ter preferência de lado a defender. “Adoraria jogar com LeBron, provavelmente. Isso seria muito legal. No fim das contas, como um todo, tem sido um sonho jogar na NBA”, afirmou o armador, primeiro selecionado do draft de 2016.

E as metas de Simmons vão ainda mais além: parte do seu pensamento já está na realização de um desejo pessoal em Tóquio-2020. “Definitivamente, eu quero jogar os Jogos Olímpicos e representar a bandeira da Austrália. É um objetivo pessoal e sonho para mim. Então, quando for o momento certo, eu estarei à total disposição da seleção nacional”, assegurou o ousado jovem.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.