Experiente, Doc Rivers assume pressão e não nega favoritismo do Clippers em 2020

O Los Angeles Clippers está, sem dúvidas, na posição em que todo time da NBA gostaria de estar. A equipe conseguiu recrutar o melhor agente livre da offseason (Kawhi Leonard) e, além de assegurar a manutenção do ótimo elenco de apoio, ainda contratou um dos principais atletas da última temporada (Paul George). O técnico Doc Rivers tem consciência de que, hoje, está em um posto privilegiado.

“Antes do início da temporada, você quer usar todas as duas energias para tirar as distrações do caminho. É preciso ter certeza de que seu elenco está preparado, os jogadores entendam seus papeis e os astros incorporem o senso de liderança. Ser campeão envolve uma jornada longa e dura, mas estamos em uma ótima posição para começar”, reconheceu o veterano, em entrevista ao jornal Boston Globe.

Se as contratações de Leonard e George chamaram a atenção do mercado, Rivers gosta de falar e detalhar mais sobre os movimentos menos badalados que foram viabilizados pelo Clippers. Os angelinos conseguiram, por exemplo, renovar com Patrick Beverley ao mesmo tempo em que trouxeram Mo Harkless via troca. Para o técnico, esses são os negócios que dão real forma a um time campeão.

“Eu não me importo com superastros. O que quero é ter uma equipe que realmente acredito ser capaz de competir por títulos. Há diferenças aqui, uma forma diferente de pensar. Ter astros não te leva a lugar nenhum. É preciso tê-los em nosso grupo, sim, mas também contar com outros ótimos jogadores que ofereçam apoio a essas referências”, explicou o campeão da NBA em 2008, com o Boston Celtics.

Equipes vencedoras, porém, são feitas de mais do que apenas um elenco forte: a mentalidade competitiva é essencial para Rivers e torna-se um ponto crítico em um grupo que passa por mudanças como as vivenciadas pelo Clippers nessa offseason. O treinador, por isso, prega que jogar em alto nível em cada partida da temporada regular é fundamental para criar os hábitos necessários para os playoffs.

“Você sempre precisa ter a mente focada em tentar vencer todas as noites, mas há um propósito maior em um candidato ao título que exige tempo, comprometimento e trabalho. Temos que jogar juntos para crescermos juntos. Cooperação é mais do que necessário. Aqueles que não estão dispostos a fazer tudo isso não chegam lá”, cravou o ex-atleta, negando-se a encarar a campanha como aquecimento.

Em uma liga que soa aberta, o Clippers surge como um dos favoritos naturais a assumirem um trono aparentemente vago. A franquia conseguiu manter boa parte de um elenco que chegou aos playoffs nesse ano, adicionando um dos integrantes do quinteto ideal da última temporada e o atual MVP das finais. E, diferente de muitas equipes, Rivers não quer os angelinos se esquivando do favoritismo.

“É ótimo jogar com um alvo nas costas, visado pelos adversários, especialmente sem a exaustão de já ter sido campeão no ano anterior. Eu gosto disso e acho que precisamos dessa pressão também. É o que ensina a ficar alerta todas as noites e chegar prontos na hora da decisão. Se não aguentarmos ser o alvo na temporada, não adianta: não chegaremos às finais mesmo”, concluiu o experiente técnico.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Michel Moral

    Declaração sincera e transparente.

    Muito se fala do peso de Kawhi no título do Raptors e de fato ele é o grande símbolo da conquista. Mas, cara… Se o elenco da equipe canadense não fosse tão forte e farto de opções e variações táticas, esquece! Não sairia nada dali… Esse papo de que Kawhi carregou nas costas seria uma grande besteira.

    Então, eu concordo quando Doc Rivers diz que comemora a renovação de Beverly e a chegada de Harkless. Dá para colocar nesse bolo, as evoluções de Harrell e de Shamet também. Essa é a base de sustentação da equipe que quer ser campeã.

    Aí sim, as chegadas de PG e Leonard passam a ter muita relevância. É muito difícil quando se busca nomes como esses na FA e o time fica sem cap para formar um grupo decente.

    • jefferson ferreira

      cara olha esse quinteto…se nao houver estrelismo desnecessARIO OU BRIGA NO VESTIARIO…so algo muito espetacular pra tirar esse time de pelo menos semifinal de conferencia

      • Lucas Henrique

        Já pensou em uma rotação defensiva com Beverly-Kawhi-Harkless-PG-Harrel ?

        Acho que seria a coisa mais insana já vista na NBA

        • Alexandre Wagner

          Seria jantado pelo garrafão do Sixiers, o Harrel é muito bom, mas não tem tamanho para peitar pivôs dominantes.
          Mas o que faria vencer o jogo seria a defesa de perímetro, que a meu ver é a melhor da liga.

        • Clutch Durant

          Ninguém faz 100 pts nessa rotação aí kkkkk talvez o GSW no auge mas já era….

    • Lucas Henrique

      O diferencial do clipper em relação ao Lakers, GSW e Rockets é justamente essa profundidade do elenco em torno das estrelas…
      Beverly e Harkless mesmo sem serem um primor técnico, são excelentes defensores, Lou é um pontuador nato vindo do banco, Shamet é aquele gatilho de 3 que toda equipe precisa vindo do banco, Harrel é um ótimo defensor e pontuador no garrafão, além disso tudo ainda tem o Zubac e JaMychal Green

  • Leonardo Augusto N. Dos Santos

    vai lá, coaching Rivers, C’est Dégagé en la vie….

  • PauloLAKERS

    Esses time do Clippers tem tudo pra ser campeão, espero que não sofra com lesão.
    Vai ser legal de assistir.

  • JoaoBrasil

    O q faltava pro Clippers era isso msm, dois caras de peso pra decidir os jogos importantes. Deve chegar em final de conferência. Aí tudo pode acontecer.

    • Wilker Pereira

      Só q o PG não decide jogo importante..

      • JoaoBrasil

        Verdade, mas ele teve uma média alta de pontos na última temporada (28) , maior q a do kawih inclusive (26). A diferença é q o kawih decidiu muito jogo importante nos playoffs. Se ele mantiver esse média e o kawih continuar afiado nos playoffs, é o q um time precisa pra brigar pelo título.

  • Ele se reinventou essa temporada. Tem tudo pra dar certo.