Georginho é anunciado no Nike Hoop Summit 2015

* Por Assessoria de Comunicação

A mais nova promessa do basquete brasileiro, o armador George de Paula, mais conhecido como Georginho, do Esporte Clube Pinheiros, foi anunciado nessa quarta-feira entre os 11 integrantes do time que irá representar o resto do mundo na edição de 2015 do Nike Hoop Summit, partida anual que coloca frente a frente alguns dos mais promissores talentos do basquete mundial na categoria juvenil.

Ao lado de jovens promessas internacionais, o armador de apenas 18 anos de idade medirá forças contra a seleção Júnior de basquete dos Estados Unidos – time no qual joga a elite dos americanos que terminaram o ensino médio. O 18º Nike Hoop Summit será realizado no dia 11 de abril, no Moda Center, em Portland.

“Eu fiquei muito feliz, senti meu trabalho sendo reconhecido, e que, por isso, preciso trabalhar ainda mais. Senti que o meu sonho de chegar a NBA, se não ficou mais próximo, ficou mais real”, disse Georginho sobre o anúncio.

O armador, que já passou da equipe juvenil para a profissional do Pinheiros dentro da Liga Nacional de Basquete (LNB), representou a seleção nacional sub-17 e sub-18, e competiu no Campeonato sub-18 da FIBA Américas, no ano passado, em Colorado Springs. Além disso, no ano passado, ele também defendeu as cores do Brasil no Nike Global Challenge, um campeonato sub-18 entre os Estados Unidos e algumas das principais seleções do mundo da categoria. Georginho, inclusive, foi eleito um dos melhores jogadores do campeonato e escolhido para a seleção da competição. 

O Brasil não integrava a lista da seleção do mundo do Hoop Summit desde 2011, quando Raulzinho e Lucas Bebê representaram o país na partida. Outros três brasileiros já fizeram parte do time: Guilherme Giovanoni (1996), Marquinhos (2006) e Rafael Hettsheimer (2009).

Em 18 edições, 165 jogadores que passaram pelo Hoop Summit já foram escalados para jogar profissionalmente. De acordo com dados de janeiro de 2015, 94 deles estão na NBA atualmente, incluindo nomes como Kevin Durant, Kyrie Irving, Dirk Nowitzki e os brasileiros Raulzinho e Lucas Bebê. Esse número representa quase 25% de toda a liga.

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • Adriano

    Aqui é BR.. huehuehuehue
    Parabens. Mais sucesso pela frente

  • Luiz Henrique Santos

    Esse Georginho ainda vai dar o que falar na NBA.

  • Rodrigo LAC

    Ele ta cotado pra sair no fim de primeira rodada do próximo draft. Pelo menos no Draft Express ele é o 28º (Ele está como George Lucas)
    http://www.draftexpress.com/nba-mock-draft/2015/

  • André

    Brasileiros que já fizeram parte da seleção do mundo:
    Guilherme Giovanoni, Marquinhos, Rafael Hettsheimer, Raulzinho e Lucas BB.
    Ou seja, não significa porcaria nenhuma jogar esse jogo.
    Abre o olho e vai treinar, Georginho!!!

    • André Fagundes

      Cara, me desculpe mas falou bobagem. Marquinhos e Raulzinho Neto fizeram bom mundial de 2014, Giovanoni sempre foi um ala acima da média no basquete brasileiro e jogador da seleção incontestável na seleção, Rafael Hettsheimer é muito reconhecido na Europa e fez um baita sul-americano na Argentina em 2011.

      • André

        Esse é, atualmente, um dos grandes problemas do nosso país. Analfabetismo funcional. O sujeito lê e não entende.
        Vamos lá:
        A matéria trata da convocação de Georginho para o Nike Hoop Summit e da possibilidade dessa convocação ajudá-lo num possível draft da NBA. Tanto é assim que esse é um site especializado em NBA e não em basquete em geral e o próprio Georginho fala que o sonho de chegar à principal liga do mundo ficou mais real após essa convocação.
        Nesse contexto escrevi meu comentário. Portanto, êxito desses jogadores em basquete FIBA não representa nada. Agora, se você acha que as participações de Marquinhos e Lucas BB na NBA são satisfatórias, aí seria outra coisa.
        Abraço

        • mauro

          Como assim o basquete fiba não representa nada? Você é daqueles que só ver NBA, acorda pra vida!

          • André

            Outro analfabeto funcional. Volta pra escola e aprende a ler.

        • Álvaro S.R.

          Acho que outro dos grandes problemas do Brasil são pessoas como você, que acham que são superiores ao resto das demais, se fossemos um pouco mais respeitosos para com o próximo talvez nosso país não estivesse nessa desgraça que está hoje. E outra o site é especializado em NBA, mas sempre tem notícias de basquete em geral, como quando fala sobre a liga Europa, fala sobre o mundial da FIBA e tudo mais. Fora isso, entendi seu comentário antes que venha querer me ofender dizendo que sou analfabeto funcional, apenas não concordo com você.

          • Maateeus12

            É, o cara pegou pesado mesmo. Mas no resto ele está certo, esse Georginho pela idade que tem já está em um nível bom pro basquete FIBA. Então se ele quiser ter mais sucesso que esses brasileiros citados é melhor ele “abrir o olho e ir treinar” mesmo.

          • mauro

            Concordo Álvaro. no caso do georginho ele ainda não pega nem banco direito no pinheiro, ele é um projeto pra daqui à 3 anos estilo o caboclo… Ele não chegou nem no nivel b da fiba. falta muita coisa pra ele, eu vejo esse moleque jogar já faz 2 anos, então eu sei do que estou falando!

          • Maateeus12

            Já está em um nível bom pra ter futuro no basquete FIBA.*

          • André

            Álvaro, entendo o que vc falou e realmente devo ter exagerado, mas pro sujeito escrever que eu falei bobagem, ele precisa, no mínimo, entender o texto que acabou de ler.
            Daí, ele poderá julgar se o que comentaram sobre o texto é bobagem ou não.

          • Álvaro S.R.

            André, meu problema nem foi em razão de se foi certo ou não a interpretação do André Fagundes( concordo totalmente com o comentário que ele postou ai em baixo sobre a importância desse jogo), foi mais mesmo pela resposta que você deu, achei isso errado, mas você já reconheceu que exagerou, portanto sem problemas. Abraço cara.

        • André Fagundes

          Meu xará, é simples pro seu conhecimento esse jogo é uma das maiores vitrines para os scouts americanos equiparado ao Jordan Brand Classic (que revelou Jabari Parker, Okafor e Wiggins recentemente) e o McDonalds All-American Game (que revelou LeBron, Chris Paul e Kobe Bryant pra NBA se você não sabia!!!) é jogo em rede nacional e tão influente pro Draft quanto a temporada da NCAA inteira (recomendo que escute os podcasts do Draft feitos pelo Jumper vai lhe ajudar a refletir sobre isso).

          Segundo, a avaliação do Georginho no Nike Global Challenge que é o evento FIBA da sua categoria (onde ele jogou contra boa parte dos companheiros da seleção mundial) foi o que fez chegar no Hoop Summit. Agora ele vai jogar com os melhores jogadores do mundo até 19 anos do e você diz que não vale nada? Antes de mostrar toda a soberba acerca do nível da educação nacional vá aprofundar seus conhecimentos à nível de basquete global não custa nada.

          A própria NBA (temática do site) é humilde quando o faz isso pra manter sua hegemonia e o faz isso cada vez mais incorporando o jogo FIBA (movimentação de bola + arremesso de fora) ou pelo número de calouros cada vez maior no Top 10 de Draft e ingressando High School.

          • Igor

            Não, cara. Esses jogos (Jordan Brand Classic,McDonalds All Americans) servem sim para ajudar scouts, mas não revelam os jogadores, e sim convidam os principais prospectos para esses amistosos.

  • O Draft Express fez até um video sobre os aspectos do jogo delehttps://m.youtube.com/watch?v=CRkCW9Cf6B4

  • André Fagundes

    A seleção do mundo tem mais talento que a americana. Jamal Murray, Georginho, Ben Simmons, Cheick Diallo / Thon Maker e Zhou Qi / Skal Labissiere. Timaço!!!

  • More

    O único que pode superar o Caboclo.

    • Levi

      Caboclo é MITO, insuperável! u.u

  • Mulek tem talento, vai dar o que falar, e o melhor: é um PG forte e com habilidade, coisa que a nossa seleção não tem faz tempo, pode ter um futuro brilhante…

    VAI GEORGINHO

  • Jota

    Porque ele não tenta passar um ano em uma universidade? Mesmo que sem muito nome? Seria excelente para ele esse tempo! Sei que é difícil o jogador evitar se inscrever se já tiver hype, principalmente saindo na primeira rodada, mas se ele tem talento, talvez possa melhorar um pouco antes de ser selecionado e passar anos na D-League ou em outras ligas como aconteceu com Raulzinho, Bebe, Caboclo e tudo mais.

    • L.Avila

      Acho que não pode por ter atuado profissionalmente. Pena o Brasil não ter um bom trabalho de preparação por que depois dos EUA em um segundo escalão juntamente com França e Canada essa é uma impressão minha é o Pais com maior potencial físico tem atletas na base como Caboclo,Georginho, Felicio, Bebe.

      • Jota

        Ah, é, eu tinha esquecido esse detalhe. Não dá nem para entrar no assunto sobre a base e como ela é tratada aqui, porque esse país é uma vergonha quanto ao incentivo esportivo.

        Mas os brasileiros que começam aqui deviam pensar em partir para as universidades, para disputar os campeonatos e aprender por lá.

        Normalmente demora-se muito para um brasileiro engrenar se já não tiver chegado lá já consagrado.