Giannis Antetokounmpo: “Trocaria o prêmio de MVP da NBA por medalha de ouro na China”

Há quem diga que as competições de seleção estão em decadência e já não atraem a comoção de outros tempos. Para Giannis Antetokounmpo, isso não poderia ser mais falso. O astro do Milwaukee Bucks disputou quase 100 partidas na última temporada da NBA, mas fez questão de atender a convocação e vai defender a Grécia na Copa do Mundo FIBA, que começa no fim desse mês, na China.

“Sempre sinto algo especial quando jogo pela seleção. Quando começa um torneio e você ouve o hino do seu país, as emoções são indescritíveis. É uma experiência fantástica. Eu sempre me sinto tão orgulhoso jogando quanto a primeira vez que vesti essa camisa. Trocaria o prêmio de MVP da NBA pela medalha de ouro na China”, disparou o ala de 24 anos, em entrevista ao site oficial da FIBA.

Antetokounmpo prepara-se para ser o primeiro atual MVP da temporada da NBA a participar de um Mundial por sua seleção. Mas, para o craque do Bucks, competir com a seleção terá um significado ainda maior (e mais especial) por uma questão familiar: ele jogará ao lado de dois dos seus irmãos, Thanasis e Kostas – ambos, por sinal, que jogarão a próxima temporada da NBA.

“Nós estamos sempre encorajando uns aos outros a melhorar. Estarmos juntos aqui é uma sensação sensacional para cada um de nós três, pois trabalhamos bastante para alcançar esse patamar. É por isso que eu tenho certeza de que a nossa mãe e pai, que nos olha lá de cima, estão muito orgulhosos de nossas carreiras”, afirmou o jovem astro, valorizando a dedicação própria e dos irmãos ao esporte.

A Grécia tentará fazer história na China, uma vez que nunca foi campeão da Copa do Mundo FIBA e subiu ao pódio apenas em uma oportunidade: foi vice-campeão em 2006, no Japão. Na ocasião, os gregos surpreenderam a seleção dos EUA nas semifinais do torneio. A seleção europeia está no grupo F, ao lado de Montenegro, Nova Zelândia e do Brasil.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.