Magic Johnson foi MVP do Jogo das Estrelas de 1992

Eu era um adolescente, que assistia basquete há cerca de quatro ou cinco anos. Meus ídolos eram Magic Johnson e Michael Jordan. Tive então o prazer de assistir ao jogo em que mais me emocionei na vida.

Magic, um dos maiores nomes da história da NBA, anunciou precocemente sua aposentadoria da NBA. O motivo: Aids.

Johnson não era apenas aquele armador de 2,06m de altura. Era um dos responsáveis pelo ressurgimento da Liga, que viveu anos terríveis na década de 70. Ao lado de Larry Bird e Michael Jordan, ele elevou o nível da NBA ao que vemos hoje.

Mais precisamente há 20 anos, na semana do Jogo das Estrelas, Magic não havia sido votado para o time titular. Entretanto, Tim Hardaway, então jogador do Golden State Warriors, cedeu sua titularidade ao armador. O jogo, como acontecerá nesta semana, foi em Orlando, na Flórida.

Johnson só não fez chover naquele dia. Ele conduziu a seleção da conferência Oeste à vitória com 25 pontos, nove assistências e cinco rebotes. Não por menos, Magic foi ovacionado ao receber o troféu de MVP da partida. O placar pouco importava, pois o Oeste já havia garantido a vitória durante todo o embate. Mas os últimos lances daquele jogo me marcaram.

Primeiro Isiah Thomas, que jogava no Detroit Pistons, o chamou para marcá-lo um contra um. Magic não permitiu a cesta e o arremesso nem deu aro. Depois, Johnson marcou Jordan, que errou também. Então, o astro do Los Angeles Lakers foi marcado por ambos, e restando cerca de 15 segundos para o fim, ele acertou de três pontos. O jogo foi encerrado naquele momento.

Magic foi aplaudido de pé por todos que ali estavam. De casa, eu fiz o mesmo.

“Aquele jogo não mostrou só para a NBA que eu poderia jogar, mas também ao mundo como era possível viver jogando mesmo tendo Aids”, afirmou Magic. “Agradeço mesmo a Dennis Rodman, que não ficou com medo de me marcar forte. Ele mostrou que tudo aquilo era possível”.

[youtube_sc url=”os2t8UyrK8o”]

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.