Hall da Fama confirma classe histórica com eleições de Garnett, Duncan e Kobe Bryant

O coronavírus não conseguiu impedir a oficialização de uma das classes mais relevante da história do Hall da Fama. Nesse sábado, o Naismith Memorial divulgou a lista de nove escolhidos para o templo máximo do basquete desse ano com as aguardadas eleições dos ídolos Tim Duncan, Kevin Garnett e o recém-falecido Kobe Bryant. A cerimônia de homenagem dos selecionados da turma de 2020, até segunda ordem, está agendada para o dia 29 de agosto em Springfield, Massachussets. 

“A classe desse ano é, sem dúvidas, uma das mais icônicas de todos os tempos por conta do talento e relevância social dos seus integrantes. A comunidade do basquete sofreu perdas inimagináveis como David Stern e Kobe, além da pandemia de COVID-19, mas também nos juntamos como nunca antes para entender a apreciação pelo esporte. Agradecemos todos os eleitos e estamos empolgados para homenageá-los em agosto”, declarou o presidente do Hall da Fama, John Delova. 

Além dos três craques já citados, a lista de selecionados pelo Naismith Memorial ainda inclui quatro ex-treinadores(as): Rudy Tomjanovic (NBA), Eddie Sutton, Barbara Stevens e Kim Mulkey (NCAA). A relação é completa pela ex-jogadora e lenda da WNBA, Tamika Catchings, e o falecido executivo da FIBA, Patrick Baumann. Com a exceção do dirigente, todos os eleitos foram aprovados recebendo mínimo de 18 de 24 votos do comitê de honra norte-americano do Hall da Fama. 

Não é apenas o talento de Duncan, Garnett, Kobe e dos outros selecionados que fazem essa turma histórica. Por conta do coronavírus, excepcionalmente, o Naismith Memorial suspendeu as votações dos comitês especiais de elegibilidade diretas – dos pioneiros afro-americanos, dos veteranos/ABA, das veteranas e dos contribuintes do jogo. O único que manteve-se ativo foi o comitê internacional, que elegeu Baumann como seu representante anual. 

Confira a lista de eleitos da classe de 2020 do Hall da Fama: 

Tim Duncan (ex-jogador): maior ídolo da história do Spurs, o duas vezes MVP da liga foi eleito para o Jogo das Estrelas, quinteto ideal de defesa e primeiro time da liga em 15 oportunidades. Ele ganhou cinco títulos da NBA, sendo escolhido jogador mais valioso das finais por três vezes. Já possui camisa aposentada pelo time de San Antonio. 

Kobe Bryant (ex-jogador): homenagem póstuma ao pentacampeão da NBA pelo Lakers, levando dois prêmios de MVP das finais. O quarto maior pontuador da história da liga foi 18 vezes all-star, entrou no quinteto ideal da temporada em 11 oportunidades e ganhou o prêmio de MVP da liga em 2008. O bicampeão olímpico teve suas duas camisas aposentadas pela franquia. 

Kevin Garnett (ex-jogador): eleito para 15 Jogos das Estrelas e integrante de um dos quintetos ideais da liga em nove oportunidades. Conquistou os prêmios de MVP da temporada e melhor defensor da liga antes de liderar o Celtics ao título da NBA, em 2008. Além de medalhista de ouro olímpico, ele ainda liderou a NBA em rebotes por quatro anos. 

Rudy Tomjanovich (ex-treinador): ídolo do Rockets, onde trabalhou por 34 anos consecutivos como atleta, auxiliar e técnico. Comandou a franquia ao bicampeonato da NBA, em 1994 e 1995, além de ter conduzido a seleção dos EUA à medalha de ouro olímpica em 2000. Um dos três profissionais da história com um título da NBA e olímpico.  

Eddie Sutton (ex-treinador): dono de quatro prêmios de melhor técnico da temporada da NCAA e primeiro profissional da história a comandar quatro instituições diferentes em torneios nacionais universitários. Um dos oito treinadores da primeira divisão da NCAA a vencer 800 jogos, com só uma campanha negativa em 37 anos de carreira. 

Kim Mulkey (treinadora): técnica da Universidade de Baylor desde 2000, tendo conquistado dez títulos de conferência e três campeonatos nacionais universitários pela instituição. Eleita melhor treinadora da temporada da NCAA em 2012. Única pessoa a ganhar o Torneio da NCAA como atleta, auxiliar e técnica principal. 

Tamika Catchings (ex-jogadora): ícone do Indiana Fever, onde jogou 14 temporadas da WNBA. Foi eleita all-star em dez oportunidades, MVP e campeã da competição na campanha 2011-12, além de ter levado prêmio de melhor defensora da temporada por cinco anos. Ganhou ainda um título da NCAA e quatro medalhas de ouro olímpicas. 

Barbara Stevens (treinadora): uma das maiores técnicas da história da segunda divisão da NCAA feminina. Campeã nacional e cinco vezes eleita melhor treinadora da divisão II à frente da Universidade de Bentley em mais de quatro décadas de carreira. Uma das cinco profissionais com mais de 1.000 vitórias no basquete universitário dos EUA. 

Patrick Baumann (ex-dirigente): eleito postumamente pelo comitê internacional. Suíço que fez parte do comitê executivo da FIBA por quase 25 anos, além de integrar o comitê olímpico internacional ao longo dessa década. Um dos responsáveis pela recente popularização e globalização do basquete 3X3. Foi também jogador e árbitro de basquete. 

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.