Ídolo do Rockets, Steve Francis chegou a vender drogas antes de entrar na NBA

Steve Francis poderia ter uma carreira brilhante na NBA. Até certo ponto, isso chegou a acontecer. No entanto, problemas com a bebida afastaram o armador das quadras da liga em definitivo, há dez anos. No The Players Tribune, o ex-astro do Houston Rockets, Orlando Magic e New York Knicks, conta o que aconteceu com ele antes e depois de tornar-se um dos melhores jogadores da época.

“Quatro anos antes de eu entrar naquele avião com Hakeem [Olajuwon], me dizendo que nos iríamos comprar ternos juntos, quatro anos antes de eu jogar contra Gary Payton, eu estava na esquina da Maple Avenue, em Takoma Park, vendendo drogas”, disse Francis. “Aos 18 anos, eu estava vendendo drogas na esquina da Maple Avenue. Aos 22, eu era escolhido no draft e estava apertando a mão de David Stern”.

Antes de jogar profissionalmente, Francis era um dos atletas mais empolgantes na Universidade de Maryland. Por lá, ele ficou apenas um ano e logo decidiu-se pela NBA. O mundo estava encantado com o seu basquete. Três vezes seguidas escolhido para atuar no Jogo das Estrelas, ele teve problemas sérios com bebidas e perdeu-se. Melhor calouro de 1999, Francis fez, em sua terceira temporada na liga, médias de 21.6 pontos, 7.0 rebotes e 6.4 assistências. Encerrou sua então promissora carreira antes de completar 31 anos.

“Todo mundo perguntava o que aconteceu comigo. Mas a parte mais difícil foi ler algumas besteiras na internet dizendo que eu estava fumando crack”, afirmou. “Quando eu penso em minha avó ou meus filhos lendo aquilo, devasta meu coração. Veja, eu vendi crack quando eu era adolescente. Isso foi o máximo que fiz, mas nunca em minha vida, usei crack. Eu estava bebendo muito, foi o que aconteceu. Eu perdi o basquete. Eu perdi minha identidade, eu perdi meu padrasto, que cometeu suicídio”.

Entre 1999 e 2008, Francis atuou em 576 partidas, sendo titular em 543. Ele finalizou com 18.1 pontos, 6.5 assistências, 6.0 rebotes e 1.5 roubada em cerca de 38 minutos de ação.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • Vadss Guera

    Eu tbm, tenho uma lanchonete que vende coca-cola.

    • Marcio

      E pó Royal?

  • jonas torre

    Ufa, que susto!! Ele só vendia, não usava.

  • Rodrigo SMC

    Ele teve uma época de all-star também, mas foi isso mesmo, sempre se esperou muito dele, mas era um jogador bem mediano.

    • Luis Fernando Teles Sousa

      Fala besteira não parça.

      • Augusto Filho

        Se ter média de quase 20-7-6 em mais de 500 jogos na NBA é ser mediano, putz tenho pena Draymound Green.

    • Bem mediano? Ele poderia ter atendido as expectativas se tivesse administrado sua carreira de forma responsável, o problema dele não foi talento e sim comportamento.

    • João Simplicio

      Mediano???? Vejo q n é só o Francis q tem problemas com a bebida!!! Kkkkkkkk

  • Dudu Ferrero

    Essa enxurrada de Europeus e jogadores de outros paises na NBA fizeram com que um jogador de 30 anos que não esteja bem fisicamente fique sem time…(Rose que assinou mas duvido que fique), Deron williams, Ty Lawson, Monta Ellis.Marbury (que foi pra China) entre outros jogadores que tiveram grande impacto na NBA no começo de carreira e foram perdendo espaço com o decorrer dos anos

    • Vitor Martins

      Não acho que tenha muita relação não. Se a NBA ainda fosse fosse fechada pra estrangeiros esses jogadores continuariam a perder espaço para americanos mais jovens/saudáveis.

      • Exato, hoje qualquer time iria preferir um Jordan Clarkson a um Rose decadente.

    • Discurso nacionalista ahauahau

    • Eduardo Rebelatto

      Se esse jogadores têm mais talento e melhor disciplina, tem mais que jogar mesmo

  • Albert Medeiros

    Tem que se envergonhar por ter vendido e não por não por ter usado, não vejo inspiração nessa história…ainda bem q não conheço esse cara, nunca ouvi falar.

    • TgO /- Coming up playoffs

      Tu não sabe a história do cara, do motivo pelo qual ele vendeu na época de adolescente.

      • Ricardo Soares

        O Albert apenas comentou q ele devia se envergonhar de vender e não de usar.

        • vsr.snake

          Usuário acaba que impacta negativamente também nas pessoas próximas dele, e muitas vezes de forma bem direta.

      • Albert Medeiros

        Vem com esse papo de merda não…

    • Não é para inspirar, é uma história triste. O cara foi escolhido para o jogo das estrelas 3 vezes, poderia ter sido um astro mas se aposentou precocemente por causa de bebida, isso é horrível, e nos permite imaginar que tipo de vida o sujeito teve, de traficante a atleta profissional decante por conta do álcool.

      • João Simplicio

        Vi uma vez, num documentário q ele tinha um problema crônico de enxaqueca! Isso tb teria o prejudicado muito quanto aos treinos e desempenho nos jogos! Mas creio q o problema maior foi mesmo a bebida! Uma pena!

  • Bruno Da Silva Francisco

    Steve franchise!!!

    Como jogava e pulava. lembro daquele campeonato de enterradas sensacional com Vince cárter e mcgrady…

  • JAMnba

    esse era BÃO DEMAIS, pena que nao teve cabecinha no lugar e os problemas extra quadra foram maiores que seu talento… o homem sai do gueto, mas o gueto nao sai do homem

  • felipe fernando Oliveira

    Ainda tem espaço na liga. Eu gostava demais desse cara jogando.

  • Damon

    Mais um jogador extremamente talentoso que jogou tudo fora.
    Poderia tá jogando na NBA facilmente até hoje

  • João Simplicio

    Eita Jumper!!! Esse, com certeza, fazia parte do time “And 1” da NBA… Puta saudade d ver esse kra jogar!!!!