Jason Kidd compara Westbrook a Mike Tyson: “Rápido e duro”

Russell Westbrook espantou a NBA ao conquistar o prêmio de MVP da temporada passada anotando (impressionantes) 43 triplos-duplos ao longo da campanha. E você pode incluir o ex-armador Jason Kidd entre os impressionados. O treinador do Milwaukee Bucks exaltou as performances do astro do Oklahoma City Thunder e comparou-o a um dos maiores pugilistas da história, a lenda Mike Tyson.

“Quando a bola sobe, Russell vai para cima dos adversários como Tyson ao sair do seu corner. Quando o gongo soava, ele atacava sem dó. A qualquer momento em que estiver em quadra, ele joga cada posse em uma só velocidade: rápido e duro. Não existe ‘trazer a bola’ para o ataque com Russell. Ele vem para cima e causa problemas”, afirmou o técnico, em entrevista coletiva nesta terça-feira.

Kidd veria mais uma apresentação de Westbrook de perto horas depois, quando o Thunder derrotou o Bucks sem grandes dificuldades e com mais um triplo-duplo do armador: 12 pontos, dez rebotes e dez assistências. Foi seu quarto TD em sete jogos na temporada. Para o treinador, a adaptação ao craque a um elenco mais “estrelado” também mostra como trata-se de um atleta diferenciado.

“Russell é o MVP. Coloca muita pressão nos oponentes, ofensiva e defensivamente. Ele pode fazer um ajuste para jogar com astros como [Paul] George e Carmelo [Anthony] sem ter que mudar sua postura. Seu jogo não muda. Ele pressiona as defesas atuando em transição, encontra o companheiro desmarcado e faz o jogo fácil para todos”, analisou o técnico.

Além do novo recorde de triplos-duplos em uma temporada da NBA, Westbrook se tornou apenas o segundo atleta da história da liga a encerrar uma campanha com média de dígitos duplos em pontos, rebotes e assistências – ao lado do lendário Oscar Robertson. O jogador de 28 anos acumula 19.6 pontos, 9.9 rebotes e 11.7 assistências neste início da atual temporada.

Fernando Fernandes
Fernando Fernandes
Olá, sou o Fernando Fernandes, 21, estudante de Publicidade e Propaganda pela Faculdade Cásper Líbero e apaixonado por basquete. Além disso sou o criador do Basquete Palestrino.
  • PJ Dozier n°35 ☇

    uma informação:A nba vai revisar um lance no último jogo q pode caracterizar uma assistência e assim ele passará a configurar mais um TD,q seria o 4° em 7 jogos.

  • William Felton

    Westbrook, apesar da força animal e da energia que carrega e aplica, tem se tornado um jogador diferente nesta temporada, algo que tem sido pouco comentado, talvez pouco percebido também.

    Eu não me impressiono mais com as suas dunk’s impactantes, com sua potência ao percorrer a quadra de um lado ao outro, com sua vibração. Isso ele já impregnou definitivamente em seu jogo. O que tem me impressionado é como ele tem se tornado um jogador efetivamente mais completo, em aspectos que não vão se refletir nos números, não adianta ir lá procurar no boxscore.

    Ele tem sabido dosar os momentos da força e os momentos da cadência; do ímpeto e da observação; do passe e da definição, enfim. Tem feito o que sempre se lhe foi cobrado – e com razão, até então – que é envolver os seus companheiros. E envolver companheiros não é ‘só’ dar passes para que arrematem lances, isso ele já fazia na temporada passada e bastante (bastava infiltrar com sua força animal e, ao ser fechado pela defesa, lançar para fora do garrafão; ou, tendo a defesa de perímetro mais sufocante, fazer aquele pick and roll maroto com o Adams); ele tem envolvido os companheiros na distribuição de jogo já no “atacado”, e não só no “varejo”, como na última temporada.

    Em suma, ele aprendeu ou decidiu aplicar, não sei, uma capacidade de organizar o time presente nos armadores puros, sem prescindir das suas ferramentas físico-atléticas quando necessário. E com isso já vimos jogos seguidos com o P. George dominando a pontuação, com o C. Anthony à vontade em quadra, e o mais incrível, sem retirar volume do S. Adams, o que significa não ter perdido uma válvula de segurança importantíssima, que poderá ser requisitada nos momentos mais complicados.

    Se ele mantém este padrão e leva o seu time a uma boa campanha (o que eu acredito que acontecerá), vai disputar o MVP novamente. E, que me desculpem os estatísticos, se ele ganha este prêmio, seria com muito mais mérito do que o da última temporada, pois hoje ele é um jogador muito melhor/mais completo do que na temporada passada.

    • Thiago Marques

      Também vejo isso, apesar de ainda achar que ele tem desperdiçado muitas bolas ainda, tem jogado um basquete mais ‘pensado’, mas as vezes dá um apagão nele e sai correndo feito um louco e perde a bola rs.

  • NevesJR

    “Rápido e duro” ( ͡° ͜ʖ ͡°)

  • Marcos Gordinho

    Espero que o tal de ” rápido e duro” não dê mais espaço para o comumente “precoce e inconsequente”. Talvez a única forma de conter o ímpeto de Westbrook fosse alinhar o talento bruto dele a outros atletas já consagrados. Finalmente parece que o OKC tá tomando forma. Adams sendo regular e se tornando um protetor de aro efetivo, Melo a vontade para pontuar, PG13 tendo seus momentos com a bola na mão e balanceando a defesa, e infelizmente para por aí. ROBERSON não têm sido o melhor para compor o time titular. Têm uma defesa consistente, mas ofensivamente parece ter piorado. Gostaria de ver o OKC azeitar para segurar os principais reforços dessa temporada endurecer contra os contenders do Oeste é o caminho.

  • PJ Dozier n°35 ☇

    Confirmado.NBA computou mais uma assist contra o Bucks e agora ele tem 4 TDs em 7 jogos! curiosamente 4 vitórias,sendo o record da equipe 4-3 até aqui.Estatisticas vazias…
    https://twitter.com/ErikHorneOK/status/926086497467543552

  • Danilo Celtics #Banner18

    so falta morder orelhas

  • Gabriel Pereira Barbosa

    Realmente West está virando um jogador de verdade.
    é só observar esse jogo mais espaçado.Usando de maneira melhor a força e energia dele.
    Jogando como um PG tá certo.
    mas ainda falta muuuuuuitoooooo
    e como foi o Kidd que falou me abstenho de comentários verdadeiros e maldosos NESSE post!