Klay Thompson: “Não é inteligente descartar o Warriors da disputa por títulos”

Klay Thompson sofreu o mais duro golpe de sua carreira no sexto jogo das finais desse ano, contra o Toronto Raptors. O astro teve um rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho durante a partida e só pôde assistir ao Golden State Warriors perder a chance de conquistar o quarto título da NBA em cinco anos. O ala-armador caracteriza a lesão como a sua mais trágica experiência no esporte.

“Eu sabia que havia acontecido algo comigo, mas nunca tive uma lesão tão severa quanto uma ruptura de ligamento. Então, inicialmente, não achei que fosse grave. A minha adrenalina estava tão alta que pensei que fosse só uma entorse. Quando voltei para o vestiário, porém, inchou bastante e rapidamente. Foi ali que percebi que algo estava realmente errado”, contou o craque, em entrevista à ESPN.

O arremessador submeteu-se a uma cirurgia para reparar o ligamento há cerca de um mês e, agora, vai enfrentar um longo processo de recuperação. A depender do atleta, esse período pode variar entre seis e 12 meses. A previsão inicial era que Thompson poderia estar em quadra em meados do próximo Jogo das Estrelas, em fevereiro de 2020, mas ele não pretende ter pressa na reabilitação.

“Não quero apressar a minha recuperação porque pretendo jogar até uns 38 ou 40 anos. Esse é o plano, especialmente pela capacidade que tenho arremessando. Eu adoraria estar em condições de jogar na próxima temporada e venho trabalhando duro para isso, mas não sei dizer quando vai acontecer”, disse o jogador de 29 anos, sem estipular prazos e criar expectativas para si mesmo.

A contusão, por mais séria que pudesse ser, não foi empecilho para que o Warriors reconhecesse o seu papel e alto desempenho no melhor momento da história da franquia. No primeiro dia da agência livre, a direção de San Francisco formalizou uma proposta de extensão de contrato de cerca de US$190 milhões por cinco temporadas – os parâmetros máximos a que ele era elegível.

“Foi uma experiência gratificante ver o Warriors mostrando lealdade e respeito ao oferecer-me esse contrato, mesmo lesionado. Aceitei porque a história que tenho com essa equipe é difícil de ser deixada para trás. Além disso, agora, a sensação que guardamos depois de chegar tão perto do quarto título é de termos negócios inacabados”, revelou o jovem veterano, que tinha mais interessados no mercado.

Além da lesão de Thompson, o Warriors precisará administrar várias mudanças na temporada que está por vir. Kevin Durant e Andre Iguodala já foram embora, entre tantas outras movimentações, enquanto D’Angelo Russell chegou. Golden State deixou de ser um candidato ao título para muitos, diante do crescimento de diversos times no Oeste. A maré virou, certo? O ala-armador não acredita nisso.

“Dar a dinastia por encerrada agora é um pouco prematuro. Eu diria até que é um pouco de ignorância, pois acho que voltarei 100% fisicamente – na verdade, ainda melhor e mais atlético. Tudo o que digo é que, com o entrosamento que temos e o núcleo do elenco ainda aqui, nós podemos seguir essa trajetória. Não é inteligente descartar-nos da disputa”, alertou Thompson, apostando nas chances do Warriors.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.