Larry Bird comenta temporada do Pacers e fala do seu futuro na franquia

O presidente de Operações de Basquete do Indiana Pacers, o lendário Larry Bird (foto), conversou hoje com a imprensa. Ele fez um balanço da temporada da equipe e também falou do seu futuro na franquia.

Depois de cinco anos, o Pacers voltou a disputar os playoffs. O time fez a oitava melhor campanha da Conferência Leste, com 37 vitórias e 45 derrotas. Na pós-temporada, o time de Indianápolis foi eliminado pelo Chicago Bulls em uma série de cinco jogos, sendo que quatro deles foram muito equilibrados.

Inicialmente, Bird comentou o desempenho do técnico Frank Vogel, que assumiu o time como interino, no meio da temporada, e levou o Pacers aos playoffs.

“Frank fez um excelente trabalho à frente da equipe. Mesmo sem ter experiência como treinador, ele trouxe uma energia positiva para o nosso time. Com ele no comando, tivemos mais vitórias que derrotas. E ele fez isso com um time jovem nas mãos. E Frank cresceu junto com o time. Certamente nós queremos que ele continue treinando a equipe, mas temos a consciência de que ele será procurado por outros times, já que fez um grande trabalho nesta temporada”.

Bird falou ainda que a equipe tem muitos jogadores jovens que precisam se desenvolver, ficar mais fortes. Segundo ele, um dos fatores que atrapalhou o time durante a temporada foi o mau ambiente nos vestiários. Ele citou o novato Lance Stephenson como um dos indisciplinados do elenco.

“Um dos nossos maiores problemas foi que não tivemos um bom ambiente nos vestiários o ano inteiro. Eu falei isso ontem para alguns jogadores. Eles sabem que não estou feliz com isso e nós vamos fazer algumas mudanças. Espero sempre que meus jogadores sejam profissionais. Eles entenderam o recado e disseram que isso não vai se repetir”, disse Bird.

Por fim, Bird comentou sobre o seu futuro na franquia, já que seu contrato com o Pacers se encerra no meio do ano. Ele disse que nos próximos dias irá se reunir com o proprietário da franquia, Herb Simon, para tratar do assunto.

“Conversei com ele (Simon) noite passada e vamos nos reunir daqui uma ou duas semanas para tratar com calma sobre a minha situação e o que ele espera do time na próxima temporada. A grande questão é: agora, estaremos abaixo do teto salarial, teremos dinheiro para gastar. Nós seremos capazes de gastá-lo? Esperamos três anos para limpar a folha salarial. E agora, o que vamos fazer? Há muitas coisas que precisam ser discutidas com ele”, finalizou.

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.