Lenda, Bob Cousy compara impacto de Whiteside a Bill Russell

O pivô Hassan Whiteside é uma das grandes histórias desta temporada, saindo do anonimato total para tornar-se um dos principais jogadores da campanha do Miami Heat. Hoje, é seguro dizer que todos já o conhecem – até o lendário Bob Cousy. O ex-armador do Boston Celtics, multicampeão nas décadas de 1950 e 60, acompanhou as atuações do jovem nos últimos meses e saiu impressionado como poucas vezes na vida com o que viu.

“Eu nunca disse isso em meus 40 anos de aposentadoria, mas Hassan é o primeiro jogador que faz me lembrar de Bill Russell. Ele corre pela quadra, bloqueia arremessos, busca cada rebote e reage defensivamente da forma como Bill fazia. A NBA ainda não tem ideia do quão bom esse garoto é”, afirmou o integrante do Hall da Fama, que, aos 86 anos, tenta “driblar” o frio norte-americano passando os invernos na Flórida.

E não é complicado adivinhar qual a atuação de Whiteside que mais impressionou Cousy: o triplo-duplo registrado em apenas 24 minutos de ação contra o Chicago Bulls (14 pontos, 13 rebotes e 12 tocos) foi uma das apresentações mais dominantes que a lenda já viu na NBA. Tão impressionante que, se pudesse dar uma dica ao gerente geral do Celtics hoje, seria: encontre um jeito de adquirir o pivô.

“Eu não fico empolgado com frequência com os jogadores de hoje em dia, mas esse garoto parece alguém que muda a trajetória de uma equipe. Se fosse Danny [Ainge, GM] oferecia umas três escolhas de draft por ele, porque seu potencial é enorme. Mas, talvez, eu esteja exagerando”, disse, admitindo que pode estar um pouco empolgado demais com o novo jogador do Heat.

Não demorou para que Whiteside ficasse sabendo dos elogios vindos de Cousy – e ser citado ao lado de um dos melhores pivôs que o basquete já viu foi algo que não esperava. “Trata-se de uma honra inacreditável. Todos sabem que Bill Russell é, provavelmente, o melhor bloqueador de arremessos que já viveu. É realmente uma grande honra saber que Bob pensa isso de mim”, agradeceu.

Escolha de segunda rodada no draft de 2010, Whiteside não teve grandes chances na NBA e rodou o mundo jogando basquete – incluindo países como Líbano e a segunda divisão da China – até conseguir uma nova oportunidade na liga, com o Heat. Uma chance que não deixou escapar: em 41 jogos na atual campanha, ele acumula médias de 11.0 pontos, 9.8 rebotes e 2.5 tocos em 22.6 minutos de ação.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Vlad-BH

    Realmente é uma história incrível. O cara chegou jogar no Líbano!

  • Kleber

    Muito bom achado mesmo o Ladobranco.

  • André Fagundes

    Fisicamente Hassan Whiteside é um super atleta, mas ele ainda não amadureceu. Seus problemas com faltas e afobamento precisam ser corrigidos para ele evoluir.

  • Rony Heat

    Jogou em vários países e mesmo assim continua a jogar basquete.
    Tio pat vai transforma-lo em um grande pivô.

  • zorg

    Se tiver uma boa cabeça e aceitar os conselhos de Pat (que trabalhou com Kareen, Shaq, Ewing) e do Wade pode se tornar um jogador dominante …

  • pq ele joga poucos minutos??

    • ANDRÉ LÉO HAWKS

      problemas com falta paulo, ele é muito afobado onde comete varias faltas, com isso o tecnico tem q coloca-lo no banco !

  • Galvão – EL HEAT

    Com certeza esses elogios faram muito bem a ele para que queira jogar cada vez melhor.