Limitado por lesões, Tiago Splitter anuncia aposentadoria do basquete

A trajetória de Tiago Splitter no basquete profissional está oficialmente encerrada. Primeiro brasileiro campeão da NBA, o pivô de 33 anos anunciou a aposentadoria das quadras nesta segunda-feira, em entrevista ao site da emissora SporTV. Sua decisão foi tomada não por uma questão técnica, mas pelas insistentes lesões no quadril que limitaram sua carreira nos últimos anos.

“Não é uma coisa que eu quero, mas a lesão que tive no quadril está sendo mais problemática do que a gente imaginava. É um momento difícil, pois você para de fazer algo que fez a vida inteira. Lembro-me de estar em uma quadra desde que lembro da minha pessoa. Conversei com minha família, todo mundo, e realmente chegou o momento de pendurar o tênis”, desabafou o agora ex-jogador.

Splitter não entrava em quadra desde abril do ano passado, encerrando a última temporada da NBA com a camisa do Philadelphia 76ers. Ele disputou oito jogos pela equipe e parecia finalmente recuperado de uma série de lesões, tornando-se (segundo o próprio) o primeiro jogador a atuar na NBA com uma prótese no lado direito do quadril. No entanto, o problema voltou recentemente.

“Fiz a cirurgia no lado direito do quadril e estava até bem. Mas, então, o outro lado começou a machucar. Fiz ressonância e viram que acabou a cartilagem. Teria que realizar a mesma intervenção do outro lado, se quisesse jogar. Eu estava com 32 anos e precisaria de mais 12, 13 meses de recuperação. Não estaria mais bem fisicamente para competir com essa garotada”, revelou.

O ex-pivô chegou a ter propostas parcialmente garantidas da NBA e de clubes da Europa, mas declarou buscar apenas contratos assegurados do basquete norte-americano. A oferta desejada não chegou, mas Splitter não ficou parado: visitou vários times, realizou cursos em diversas áreas correlatas ao esporte e teria tido convite para juntar-se à comissão técnica do San Antonio Spurs.

“Muitas pessoas que passaram pela mesma situação minha falaram para eu tentar tudo – seja técnico, jornalista, diretor. Botei isso em prática. Há um ano que estou experimentando coisas novas. Estudei jornalismo em um curso da Associação dos Jogadores da NBA, farei um curso de business em Harvard e participei de diversos camps – treinando garotos e fazendo um pouco de scout”, contou o brasileiro.

E, se o próximo passo da carreira do veterano não está definido, você pode apostar em uma coisa: terá relação com o basquete. “Eu cresci no basquete como pessoa. É óbvio que tenho a educação da família, mas o sacrifício diário e dedicação foi o esporte que ensinou-me. Não só devo ao basquete, como quero continuar nesse meio. Ser um jogador é a melhor profissão do mundo”, declarou.

Campeão pelo Spurs, em 2014, Splitter coloca um ponto final em sua carreira com médias de 7.9 pontos e 5.0 rebotes em 355 partidas disputadas na NBA. O ex-pivô ainda teve uma trajetória bem-sucedida no basquete espanhol antes de chegar aos EUA, onde foi bicampeão e MVP da Liga ACB pelo Baskonia. Ele também conquistou três Copas do Rei e três seleções para um dos quintetos ideais da Euroliga.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Andre Messetti Christofoletti

    A menos de 3 dias ele tinha dado uma entrevista na ESPN Brasil, assim, se ele já tinha se decidido, porque falar pra SporTV? Não gosto disso.

    • Shandyego

      Talvez para manter as portas do sportv abertas, ou algum contrato, sei lá. Digo isso, porque nas olimpíadas ele foi comentarista pela globo. Durante a all star weekend ele fez entrevistas, entrevistou até Lebron e tal, quem sabe queira seguir nessa pegada, dai faz um pouco de sentido.

  • André Spurs

    Foi um jogador importante no último título do spursão da massa, mas nunca conseguiu evoluir muito seu jogo, mesmo jogando com o mito duncan. Acho que ainda tinha lenha pra queimar mas essas lesões no quadril são complicadas demais.

  • felipe fernando Oliveira

    Vai ser assistente de Pop e daqui 5 anos vira head coach

    • Guilherme Petros

      Ele ta trabalhando como imprensa nos EUA. Provavelmente vai pra esse caminho da comunicação, comentário e entrevistas…

  • Anthony#27

    Só eu achei que na foto ele parece estar sem o braço ???

    • Guilherme Petros

      HAHAHAHAHAHAHAHA
      Caraca, anunciou a aposentadoria do basquete pra competir no para-olímpico

  • Eu achava que se tornaria um craque. Nunca foi.

  • Diego Costa

    Teve até alguns momentos interessantes de 12-14, mas depois disso mais nada. Campeão em uma das maiores franquias da liga. Tá bao demais

    • Cerginho- Jornalista diplomado

      E campeão sendo importante, me lembro daquele tocasso que ele deu no King James, fantástico.

      • MDias

        Não colega, foi justamente o contrário. Ele tomou um blokcasso do James nas finais. O toco foi no Wade.

        • Cerginho- Jornalista diplomado

          Verdade, perdão, eu ar hj trocava as bolas e jurava que tinha tomado do wade. Kkkkk valeu.

          • Abel

            Quem deu o tocasso no Lebrão foi o Nate Robinson kkkkkkkkk

  • Uma pena para o nosso basquete a aposentadoria o Thiago! Tinha pelo menos três anos para queimar em alto nível, mas fica a impressão que era um jogador pronto para o estilo fiba, na Nba esperava mais dele…

  • Guilherme Petros

    Infelizmente, a gente cantou essa bola aqui… 🙁

  • Puxa, é uma pena que o Tiagão não possa mais atuar em bom nível com esses problemas no quadril, mas ele tomou uma decisão correta diante disto, afinal ficou muito tempo parado, quem sabe não assuma algum cargo importante agora, primeiro campeão brasileiro na NBA, nunca vou esquecer da contribuição que ele deu ao San Antonio Spurs, além de ser campeão, evitou que o DeJuan Blair (argh!) fosse titular de garrafão ao lado do Duncan naquele ano kkkkkkkk, valeu Splitter!

  • Daniel Nogueira

    Que pena! Contribuiu muito pro meu Spurszão. P&R Tiago e Manu até hoje faz falta. Boas lembranças dele anulando o Lamarcão nos Playoffs de 2014 e do block no Wade nas finais do mesmo ano.
    https://youtu.be/GPHq9pwjVZk

    • Guilherme Petros

      E na Europa, a dupla Splitter – Scola fez barulho do bom tbm.

    • Tocaço no D-Wade! Com ctz essa jogada foi um dos pontos altos da carreira dele…

    • The King James

      Goaltending

      • Daniel Nogueira

        Juiz não marcou. O Block foi pra estatística. Spurs foi campeão dando aula. Abraço!

  • Mavscelo

    Triste. O único cara que vi anular o Dirk completamente em um jogo.

    • Abel

      Dirk eu não sabia. O que eu vi e me impressionei foi ele anulando o lamarcão e os centers do Grizzlies (Gasol e Randolph), se não me engano, nos offs de 13-14. Ele marcava muito bem estes caras que utilizam o mid range.

      • Norrin Radd

        O próprio Marc Gasol, no auge da forma, elogiou em entrevista para a TV após uma derrota do Grizzlies a marcação do Thiago Splitter.

  • Vitor Martins

    Grande jogador e grande pessoa. Esse cara foi fantástico!

    • Abel

      Como torcedor dos Spurs, concordo demais! Jogador com alto QI de basquete, muito importante taticamente para os Spurs de 2012 a 2014. Mas não teve o devido reconhecimento dos brasileiros, que não valorizam aspectos táticos e defensivos.

  • djwhites

    na fiba foi um grande jogador……na nba apenas mais um……..eu esperava mais do thiago na nba…….não que ele tenha ido mal……. mas ficou abaixo do esperado………

  • Lucas SEP

    Splitter ou Varejão, qual foi melhor em NBA, e na carreira em geral, na opinião de vocês?

    Nem coloco o Nene, pq é apelação kkk.

    • MrGarcia777

      Splitter foi uma importante peça para o Spurs, que estava sempre nas cabeças, mas dificilmente era envolvido nas jogadas de ataque, isso meio que escondia a habilidade dele, eu acredito que Varejão se deu melhor nos Cavs..

    • Cerginho- Jornalista diplomado

      Acho que o splitter. Nenê, Leandrinho, splitter e varejao, acho que a esquecia seria essa,

      • Lucas SEP

        Concordo, nessa sequência mesmo. O que pesa a favor do Splitter em relação ao Varejao, é o titulo que ele ganhou, sendo uma peça importante e titular.

    • Damon

      Varejão quase conseguiu ser um all star no tempo do lebron james novo.
      Temporada dele de 14 pontos + 14 rebotes por jogo.

    • Vitor Martins

      No geral Splitter, na NBA foi o Varejão.

    • Timóteo Rezende Potin

      Infelizmente a carreira do Varejão foi muito prejudicada por lesões quando ele estava no auge. Me lembro de pelo menos umas duas temporadas que ele vinha botando uns números muito altos no começo da temporada e acabou não jogando por lesão. Teve uma que ele liderava a NBA em rebotes por jogo e se não se machucasse com certeza seria all-star e concorreria para DPOY.

      • Guilherme Petros

        Nesse ano que ele foi cotado para o ASG (com total mérito), ele tava com uma bela média de duplo-duplo com MUITOS rebotes por jogo

  • vsr.snake

    Splitter jogava muita bola na Espanha, onde ele tinha mais espaço pra jogar ofensivamente, seus melhores anos foram lá. No Spurs ele foi peça fundamental no elenco, visto que era um bom defensor e fazia seus pontinhos. Não contribuía mais no ataque pelo esquema de jogo do Spurs, com muitas opções defensivas.

  • Norrin Radd

    Bom, se o Greg Popovich colocou o Splitter como titular na campanha de conquista do título quem sou eu pra dizer alguma coisa contrária…
    Parabéns pela vitoriosa carreira, seria legal vê-lo mais um ou dois anos jogando por aqui contra o Leandro e o Vareja, mas a contusão não deixa.

  • Marcos Gordinho

    Muitos criticam Splitter e o fato de Pop não dar a ele a projeção possível para um MVP europeu. Observei depois de algum tempo que Popovich fez Thiago ser quem o Spurs precisava que ele fosse, um bom defensor que não comprometesse no ataque, para isso trabalharam o físico e o posicionamento defensivo dele, tentaram melhorar a mecânica de arremessos ( calcanhar de Aquiles do brasuca em uma época que o hack a shaq foi utilizado a exaustão e tirou valor de mercado de jogadores como DH12, DeAndre, dentre outros pivôs com baixo aproveitamento de lances livres), não dava para jogar com Splitter tendo o domínio da bola, não quando tinham por lá um Duncan com técnicas extremamente refinadas e em sintonia com o resto do elenco. Ainda acredito que poderia ter conseguido um contrato mais gordo, e reconheço que sair com um anel, jogando de titular e tendo participação ativa no título é um peso enorme para história do basquete brasileiro. Parabéns Splitter, guardo sua assinatura junto com a de outros companheiros da seleção na camisa canarinho com extremo carinho. Obrigado!!!

    • Vitor Martins

      Concordo com vc, mas faço apenas uma correção. A mecânica do Splitter nunca foi o calcanhar de aquiles dele na Europa. Tanto que os técnicos europeus dele não tinham essa preocupação. Ele tinha uma aproveitamento mediano, mas nada de alarmante para um pivô, nada que o fizesse sofrer hack na europa. Na carreira dele toda na europa o aproveitamento foi 62% (subiu pra 69% na NBA). Ele chegou a fazer temporada até com mais de 70%. O que o Spurs fez não foi melhorar, mas sim mudar o jeito dele bater lance livre. Eles acreditavam que dava para subir o aproveitamento dele assim, por isso, no ínicio desse período de adaptação de FT ele fedeu muito. Tinha um dos piores aproveitamentos da NBA, mas ainda na temporada de calouro melhorou e terminou mais de 50% de aproveitamento.

      O arremesso dele melhor, ponto pro Spurs. Mas não sei se melhorou tanto para valer o esforço dos primeiros momentos dele na NBA. Enfim, acho que os técnicos do Spurs entendem um pouco mais de basquete do que eu hehehe

    • Guilherme Petros

      Tem uma entrevista do Splitter pra algum youtuber (não lembro qual, se eu achar, posto aqui) em que ele fala bem isso, que chegou lá e o Pop já deixou claro que lá ele seria o jogador que o TIME precisa. O Tiago ainda dá um exemplo q o Pop fala algo tipo “eu sei que vc ta acostumado a receber bola e sabe finalizar ataques, mas quem faz isso aqui é o Duncan, eu preciso q vc faça x, y e z”

  • TRUETHIAGO

    Pena mesmo, realmente essas lesões no quadril são muito delicadas e demoradas em termos de recuperação, dificilmente reuniria condições físicas ideais para voltar a atuar no seu melhor nível por muito mais tempo.

    Mas teve uma bela carreira, um dos melhores brasileiros na Europa durante vários anos, jogou demais na Seleção em Mundiais, Olimpíadas, enfim, e ainda beliscou seu anel na NBA, embora com um papel menor e números reduzidos, foi uma peça importante nos Spurs.

    Boa sorte e sucesso para ele, independente da função que vier a exercer no futuro.