Magic Johnson explica saída do Lakers e acusa GM da franquia de traição

Pouco mais de um mês do repentino pedido de demissão do cargo de presidente do Los Angeles Lakers, a lenda Magic Johnson abriu o jogo sobre a sua saída da franquia angelina.

Nessa segunda-feira, ele participou do programa First Take, da ESPN, e revelou detalhes dos bastidores do Lakers sem a menor cerimônia. Em uma de suas falas mais contundentes, Magic reclamou da falta de transparência do gerente-geral Rob Pelinka, seu antigo colega.

“Se você vai falar sobre traição, isso é apenas com ele. As coisas pareciam no caminho certo e, então, comecei a ouvir que: ‘o Magic não está trabalhando duro o bastante, o Magic não está no escritório’. Pessoas da diretoria do Lakers me contaram que Rob estava dizendo essas coisas. E depois saiu na mídia. Eu não gosto de coisas sendo ditas pelas minhas costas”.

Após detonar Pelinka, Magic terminou de explicar os motivos que o levaram a deixar o Lakers.

“A gota d’água foi quando eu queria demitir Luke Walton e tivemos três reuniões. Mostrei a ela (Jeanie Buss, dona do Lakers) as coisas que fizemos bem e o que fizemos mal. Eu disse que precisávamos de um técnico melhor. Eu gosto do Luke, ele é ótimo, um ex-Laker, tudo isso. No primeiro dia de reuniões disseram: ‘bom, vamos pensar nisso’. No segundo dia, ‘Ok, você pode demiti-lo’. E no dia seguinte, ‘não, devemos tentar fazer dar certo’. Nessas idas e vindas, Jeannie trouxe Tim Harris (diretor de Operações de Negócios do Lakers) para a reunião. Tim queria manter o Luke no cargo, pois é amigo dele. Então, eu pensei: espera aí, eu só respondo a Jeanie. Agora, Tim está envolvido. E concluí que era a hora de sair. Tinham coisas sendo ditas pelas minhas costas e eu não tinha o poder esperado para tomar decisões”.

Magic falou ainda sobre a negociação frustrada com o New Orleans Pelicans por Anthony Davis. Ele disse que não se arrepende de ter tentado a contratação do ala-pivô.

“Não sou um cara que fica se lamentando. Ofereci vários caras. Você deve fazer isso por Anthony Davis. Ele é um jogador especial e os caras que iríamos trocar também são especiais. Pedi ao Dell Demps (GM do Pelicans na época) para fazer em segredo: o que for oferecido fica entre nós. Dell não fez isso e foi assim que vazou para a imprensa”.

A resposta de Pelinka 

Horas depois da entrevista bombástica, durante a apresentação do técnico Frank Vogel, Pelinka lamentou as acusações feitas por Magic Johnson.

“É triste e desanimador pensar que ele acredita naquelas coisas. Acho que todos nós, na vida, provavelmente passamos por coisas onde ouvimos fofocas de outros que não são verdades. E eu falei com o Magic diversas vezes desde que ele decidiu sair. Nós tivemos várias conversas divertidas, inclusive uma há dois dias, revivendo o Draft Combine, a quarta escolha. Falamos sobre o grande futuro que o Lakers tem. Então, essas coisas são surpreendentes e desanimadoras de se ouvir. Estou ansioso de ter a oportunidade de falar com ele e resolver isso, assim como em qualquer outro relacionamento, porque essas coisas não são verdades”.

Fora dos playoffs desde 2012/13, o time californiano amargou mais uma campanha negativa, mesmo com a presença do astro LeBron James no elenco. Em 2018/19, o Lakers venceu somente 37 dos 82 jogos disputados.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.