Magic Johnson promete demissão se Lakers não trouxer agentes livres de elite até 2019

O presidente de operações do Los Angeles Lakers, Magic Johnson, participou de entrevista coletiva nesta terça-feira para apresentar os novatos selecionados pelo time no draft. Mas, como esperado, Moritz Wagner e os outros calouros ficaram em segundo plano quando começaram os questionamentos sobre agência livre. O ex-armador, em síntese, mostrou toda sua confiança de que a franquia vai trazer jogadores de elite em breve com uma promessa taxativa e ousada.

“Não vai ser um fracasso se os atletas não quiserem vir para cá neste ano. Já disse que nosso plano engloba as próximas duas offseasons. Se não tivermos contratado reforços de peso lá por outubro de 2019, aí sim será um fracasso. Não podemos ser julgados por só um verão. É preciso dar-nos tempo. Se não trouxer ninguém até o fim da próxima offseason, eu me demito porque não consegui fazer meu trabalho”, cravou o executivo, sem dar chance para contra-argumentos.

Mas, apesar de trabalhar com um prazo “estendido”, Johnson quer acertar grandes agentes livres o mais rápido possível. O Lakers vai ser um fortíssimo candidato na concorrência pela contratação dos craques LeBron James e Paul George. Kawhi Leonard quer deixar o San Antonio Spurs e teria colocado o time angelino como seu destino preferencial. Os alvos são muitos, mas o dirigente não tem pressa.

“Não vou tentar ganhar elogios de vocês da imprensa ou dos torcedores tomando decisões estúpidas, só para mostrar que contratei alguém. É preciso ter calma, se não acertarmos neste ano. Então, vou continuar disciplinado, paciente e pensando de forma inteligente. Eu posso assegurar que sei quem pode ajudar-nos a ser um time melhor e quem não pode”, garantiu o presidente e ídolo da franquia.

Não há como negar, porém, que Johnson criou pressão para si próprio com uma promessa de demissão. O próprio ex-jogador admitiu que não pode controlar um processo de decisão que cabe, em última instância, unicamente aos atletas livres no mercado. Mas, para alguém com sua impressionante carreira, a noção de ser pressionado é muito diferente do que para um trabalhador comum diariamente.

“Eu sou Magic Johnson. Não vou mudar ou sentir pressão. Só farei o meu trabalho, pois é isso que sempre fiz. Você sabe quantas finais disputei como jogador? Foram nove decisões, várias delas contra Larry Bird. Estive em múltiplas finais do Torneio da NCAA. Então, você acha que estou preocupado com uma offseason? Não existe pressão em mim”, sentenciou um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.