Magic Johnson: “D’Angelo Russell tem talento, mas precisávamos de um líder”

A negociação de D’Angelo Russell para o Brooklyn Nets ditou os planos do Los Angeles Lakers na noite do draft: a franquia confirmou as expectativas e resolveu apostar em Lonzo Ball com a segunda escolha do recrutamento. O presidente de operações da equipe, Magic Johnson, acredita que a mudança adicionou necessário senso de liderança ao elenco – que não existia com o antigo titular da armação.

“D’Angelo é um excelente jogador. Ele tem talento para ser um all star e queremos agradecê-lo por tudo o que fez por nós. Mas o que nós precisávamos é de um líder em quadra. Precisávamos de alguém que possa fazer outros jogadores melhores e com quem atletas queiram jogar”, afirmou o integrante do Hall da Fama, deixando escapar críticas ao ex-Laker, na entrevista coletiva de apresentação do novato.

Mas a troca tratou-se de mais do que “retirar” Russell da equipe e abrir passagem para um novo armador. A transação permitirá que o Lakers tenha cerca de US$60 milhões em espaço na folha salarial na offseason do ano que vem, o que significa poder oferecer dois contratos máximos a agentes livres. Com Ball, Johnson agora vê o cenário ideal para poder atrair reforços importantes para Los Angeles.

“Eu fui até onde Lonzo fez ensino médio e conversei com várias pessoas. Todos são atraídos por esse garoto. Era o que precisava ouvir. Ele é um líder, trata as pessoas do modo correto. São tempos excitantes para nossa equipe. Não faria a negociação se não achasse que pudesse utilizar o dinheiro e os agentes livres vão querer jogar aqui novamente. Estamos de volta!”, avisou o empolgado executivo.

Assim como Ball, Russell também foi uma segunda escolha de draft do Lakers (em 2015). Ele participou de 143 partidas em suas duas primeiras temporadas na NBA, onde os angelinos terminaram com 38 vitórias e 105 derrotas – obviamente, sem classificação aos playoffs. O novo atleta do Nets registra médias de 14.3 pontos, 3.5 rebotes e 4.0 rebotes na curta carreira.