No artigo desta semana – eu serei bem sincero, não tinha nada em mente de forma específica. Pensei em falar sobre a queda do Indiana Pacers, mas sei que o Ricardo Stabolito está preparando algo. Então achei legal falar sobre as finais do basquete universitário, mas aí me lembrei que pouco assisti, e só vi cinco minutos do último jogo, pois nunca me interessou muito. Deixo isso para os especialistas aqui do Jumper. Raios! Qual será o assunto de hoje, afinal? Serão vários.

Resolvi que será em tópicos sobre várias coisas. Que seja assim.

Indiana Pacers x Milwaukee Bucks

Pacers Bucks

Na temporada passada, o San Antonio Spurs foi multado pela NBA por poupar Tim Duncan, Tony Parker, e Manu Ginobili, durante uma partida contra o Miami Heat. Nenhum dos três estava machucado e ainda assim, quase venceu. Só que na noite de quarta-feira, um episódio que não me recordo de ter visto em tantos anos que acompanho isso aqui, aconteceu. O Indiana Pacers sacou os seus cinco titulares contra o Milwaukee Bucks e saiu com a vitória por 104 a 102.

Tudo bacana, tudo legal, mas…

Como assim? Antes de qualquer coisa, é uma falta de respeito gigantesca com a franquia do Bucks (e sim, eu sei que outro dia eu falei que o Bucks fedia, mas eu não sou ninguém). Sim, o Bucks continua horrível, mas não por querer perder intencionalmente. É ruim porque não tem nada ali.

Vamos ao time titular do Bucks naquele embate:

Jeff Adrien, Kris Middleton, Zaza Pachulia, Brandon Knight, e Ramon Sessions. Sério. Esse quinteto não mete medo em ninguém. É o pior da temporada 2013-14 com apenas 14 vitórias. E sabe de uma coisa? Eles estão jogando sério. Não perdem de propósito.

Aí vem o senhor Frank Vogel, técnico do Pacers, e vendo que seus melhores jogadores estão em queda livre, opta por sacá-los. Não um ou outro. Todos! Vogel chegou a dizer que o momento psicológico do Pacers está muito ruim, que se perdesse para o Bucks com os titulares, a pressão seria gigantesca. Paul George não é mais o mesmo do início da temporada, assim como Roy Hibbert, que enfrenta talvez a pior fase de sua carreira.

E com um pequeno detalhe: o Pacers, até aquele momento, seguia no segundo lugar, atrás do Miami Heat. Queriam perder por querer para não enfrentar o Chicago Bulls em grande fase na semifinal de conferência? Não sei, de verdade. Também não estou afirmando que foi isso.

Uma multa seria o mínimo que espero da NBA. Não só por deixar seus titulares fora de jogo, mas por menosprezar um adversário a esse ponto. Desculpem, torcedores do Pacers, time pelo qual tenho enorme respeito desde os tempos de Reggie Miller e Mark Jackson na armação, mas eu torci para o Bucks vencer. Por sorte deles (?), o Pacers venceu e o Heat perdeu. Nesta sexta-feira, a gente terá mais um capítulo dessa história, já que Heat e Pacers se enfrentam. Apostando apenas no “se”, uma suposição que tenho aqui: se o Heat vence, dificilmente o Pacers passa pelo Oklahoma City Thunder no domingo, abrindo as portas para o time da Flórida ficar com a vantagem de decidir em casa. 

Larry Sanders faz apologia a maconha

[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=WeYsTmIzjkw]

É estranho, mas não incomum, ver jogadores profissionais com problemas com drogas. E o pivô Larry Sanders é uma “vítima” disso. Coloquei entre aspas porque não consigo encarar o fato de um atleta da NBA se relacionar com pessoas erradas a vida toda. É algo que supera a parte do social. Sei que a maioria viveu na miséria durante a infância, que não teve um berço de ouro e tudo mais. Mas é de uma irresponsabilidade tamanha o que ele fez.

Vamos entender os fatos:

Sanders é flagrado e suspenso por cinco partidas por uso de maconha. Então, o jogador, ao invés de ficar calado, resolve dizer: “É uma substância proibida na minha liga. Mas eu acredito na maconha e em seus benefícios medicinais. Eu estudei seus benefícios. De várias formas nós somos privados disso”.

Como assim, amigão? Olha o precedente que isso acabou de abrir e o efeito disso para crianças, que o consideram um ídolo na região. 

Sinceramente, a suspensão não deveria ser de apenas cinco jogos, mas sim, de uns outros 20 apenas pelos comentários.

A NBA lutou tanto, e luta até hoje, para deixar o esporte cada vez mais limpo. É só ver o que era a liga nos anos 70 e no início dos 80, quando toda a publicidade ruim foi deixada de lado para admirarmos as batalhas entre Magic Johnson, Larry Bird, e Michael Jordan. A liga deixou de ser um antro de drogados e multiplicou seus rendimentos por conta desses três caras e da imagem que David Stern impôs, até mesmo com o código de vestimenta, em meados dos anos 2000.

Recapitulando: acaba sendo normal um jogador ou outro ser suspenso por esse motivo, por conta de vários problemas sociais do mundo de hoje. Mas é desanimador quando você se vê em uma situação como essa, em que o cara em questão faz apologia. 

John Calipari no Lakers

John Calipari

Horas antes da bola subir para a final da NCAA, o ex-jogador Rex Chapman afirmou, citando fontes confiáveis, que o Los Angeles Lakers teria acertado com o técnico John Calipari para ser o seu novo treinador na temporada 2014-15.

Todo mundo negou, até a direção do time californiano. Calipari disse que o Lakers tem um técnico e que está muito feliz em Kentucky. 

Desde 2008, quando ainda estava em Memphis, Calipari teve 22 jogadores que saíram de seus times universitários para a NBA. Isso significa que sucesso em contratações, ele sempre teve. Existem alguns relatos que um atleta foi seduzido por conta de dinheiro oferecido a parentes. Marcus Camby, em 1996, recebeu U$ 40 mil de um agente. Calipari, apesar de citado, não foi multado. Mas em 2008, o técnico teve um problema com Derrick Rose, que teria fraudado suas provas. Assim, a universidade de Memphis perdeu o vice daquela temporada e o armador não quis saber de ser punido e se declarou para o draft do ano seguinte.

Bem, tirando esses fatos em que esteve diretamente ou indiretamente ligado, Calipari já tentou a vida na NBA, no New Jersey Nets. Não deu muito certo e virou assistente de Larry Brown no Philadelphia 76ers. 

É claro que Calipari quer provar o contrário e nada melhor do que pegar um time como o Lakers para comandar. Ele quer mostrar que pode ser um técnico vitorioso também na NBA. E sabe de uma coisa? É um típico treinador que essa equipe precisa agora.

Digo isso porque, sejamos francos, o Lakers não vai a lugar algum com Mike D’Antoni no banco de reservas, mesmo que por lá estejam Kobe Bryant, Kevin Love, Pau Gasol, algum grande prospecto do draft e outros nomes de peso. O Lakers necessita de alguém experiente, com currículo vencedor, e com muita vontade de dar a volta por cima na liga.

Se isso realmente acontecer, ponto para o time de Los Angeles.

San Antonio Spurs x Oklahoma City Thunder

Duncan x Durant

Essa é a grande aposta dos principais especialistas para a final da conferência Oeste deste ano. E não é para ser diferente. Tudo bem que o Thunder venceu as quatro partidas diante de seu adversário nesta temporada, mas como descartar o Spurs, finalista de 2012-13?

Claro que existem chances de nenhum dos dois chegarem lá, pois o Oeste é realmente muito forte, com elencos profundos e cheios de alternativas. Mas hoje, Thunder e Spurs são tecnicamente os melhores.

Kevin Durant, o virtual MVP de 2013-14, lidera o time de Oklahoma City e em diversos momentos, sozinho. Russell Westbrook esteve machucado em boa parte da campanha, o que não afetou o resultado final. O único problema é que nos playoffs, as marcações serão bem mais fortes e quase sempre em duplas, tirando a zona de conforto do camisa 35. E o banco não ajuda muito. Se Westbrook não estiver bem, a coisa pode complicar.

Agora, existe algum elenco na NBA tão versátil e capaz de mudar a história de um jogo como o do Spurs? Não creio. Especialmente os alas e os alas-armadores, são exímios arremessadores. E são muitos: Manu Ginobili, Danny Green, Marco Belinelli, Kawhi Leonard, Patty Mills, e até mesmo Austin Daye. Boa sorte para quem enfrentar, mas hoje, o Spurs é o meu favorito até ao título deste ano.

E o Hawks, hein?

Jeff Teague Paul Millsap

Sem Al Horford, eu não achava que o time chegaria aos playoffs. Ora, bolas. A cada ano, sai um grande jogador. Joe Johnson foi para o Brooklyn Nets há duas temporadas. Agora, Josh Smith defende o Detroit Pistons. O que fazer sem Horford?

Bem, a resposta está sendo dada. 

Claro que não é um time que assustará ninguém na hora H. Falta banco e seus titulares, exceto Jeff Teague e Paul Millsap, não são excepcionais. Tudo bem que Kyle Korver é mais que apenas um especialista nos tiros de três e que DeMarre Carroll, com certeza faz muito mais do que defender. Mas o resto não me inspira confiança.

Shelvin Mack é um bom reserva, Elton Brand contribui ocasionalmente, Lou Williams é uma incógnita, e é legal ver Mike Scott e sua evolução. Isso sem contar com a capacidade técnica de Pero Antic. Mas é só isso. Acredito, apenas acredito, que se fizer uma série contra qualquer outra equipe classificada no Leste, perderia. Isso, hoje, por conta dos desfalques.

O legal do Hawks é que o time não é para hoje. É para daqui um ano. Algumas peças precisam se encaixar, como o contundido John Jenkins e o próprio Horford. Com a adição de mais duas ou três opções, consigo ver o time de Atlanta brigando por melhores posições já no ano que vem. A base é boa e sólida. Só não pode ficar amassando barro durante muito tempo.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • Thiago Reis

    Só acho que o Gustavo viajou muuuuuuito no lance dos Pacers, achei absurda a multa pro Spurs e muito mais essa, quem define escalação de time é o técnico e não a NBA, Vogel já havia dito que o time estava desgastado, estafado e esse baque, sinceramente, creio que pode ter feito bem pro time, é uma decisão estratégica da equipe e a NBA não tem nada com isso, acho que desrespeitar o Bucks seria ir pra brincar, ficar de sacanagem no jogo, não foi isso que vimos, na verdade, nesse momento, quem desrespeitou alguém foi o Gustavo falando dos jogadores do Pacers que de fato jogaram rs. Também acho que os reservas estavam precisando de um pouco de ritmo de jogo, enfim, discordei de 100% dessa parte do texto rs.

    • Concordo contigo Thiago. Não acho nenhum desrespeito contra o adversário deixar de escalar um, dois, ou até todos os titulares. Também achei absurdo a multa pro Spurs ano passado. E, acrescentando: Todo mundo lembra desse jogo que o POP poupou os principais jogadores do Spurs; mas o que ninguém fala é que, no segundo jogo entre Spurs e Heat, quem poupou os titulares foi o time da Flórida. E a multa pro Heat? Tô esperando até hoje! A verdade é que a NBA têm seus queridinhos! Isso é fato!

      • tiago

        o Heat não levou multa pq os jogadores estavam no ginasio
        os dos spurs no 1º jogo ñ estavam por isso levaram a multa

    • Não achei viagem, pois o do spurs tem uma grande justificativa que é o fato do time ser um time veterano e tirar só o big 3 em si. O time do pacers é extremamente jovem e tinha como tirar algumas peças do time para preservar, mas não precisava tirar os 5 jogadores. Isso é sim uma falta de respeito com o adversário.

    • vveiga1

      E o problema nem foi não escalar em si que, apesar de eu achar desrespeito, ele tem a liberdade de escalar quem ele quiser. Só que a declaração falando do time depois: ” ah se perdemos para os bucks ficaremos muito abalados.” Pqp, poderia ter ficado é quieto.

    • Além do que, a liga não pode usar 2 pesos diferentes, se multou por poupar titulares outras equipes, que se faça o mesmo com o Pacers, não concordo com isso também, acho que o treinador tem o direito de poupar quando ele quiser, independente do time ser jovem ou não, o corpo tem seu limite e quem sabe avaliar isso é o treinador e sua comissão, e não um bando de engravatados que só ficam sentados em suas cadeiras macias e caras…porém, se utiliza dessa punição a uns, que o faça para todos!

    • De acordo. O certo seria não multar ninguém. E levando em conta sobre os titualres estarem no ginásio, eles estavam todos no banco em Milwaukee… A NBA tem que ser menso intervencionista em certos casos e ese é um deles. Torço pro Pacers e não vi desrespeito… Meu pai torce pro Bucks, inclusive. Foi bom pros titulares e especialmente pros reservas, que ganham uma chance de mostrar serviço e ter amis tempo de jogo…

      • vveiga1

        O desrespeito foi a declaração. Nem o fato de poupar. Falar que perder para um time como o bucks ia mexer com o psicológico. Pqp, isso é desrespeito.

  • Pacers

    Respeito a opinião de cada um, mas acho que não tem nada a ver isso, o time tem que ter a liberdade de escalar quem quiser…Se o Pacers poupou o time titular é porque tem seus motivos, além de ser bom para dar ritmo ao reservas…Agora não vejo como menosprezo ao adversário, apenas uma estratégia da equipe…Mas cada um tem seu ponto de vista, o meu é esse..

  • cada um tem a sua opinião, mas também não concordo com o lance do Pacers.
    O elenco não é formado apenas pelos 5 titulares e cada um coloca pra jogar quem ele acha que deve colocar.

    se os titulares, ok.
    se os reservas, ok também.
    não vejo nada demais nisso.

  • everton

    Hawksboy tendo orgasmo em 3…2..1…

  • Julio Zago

    Belo texto Gustavo, parabéns! Falando dos Spurs, além do elenco versátil e muito competente, eles ainda são comandados pelo melhor técnico da liga, um dos poucos com capacidade para mudar a história de um jogo, ou seja, se vão ser campeões ou não isso dependerá de diversos fatores, mas certamente o SA é o melhor conjunto da NBA atualmente.
    Por fim, eu sempre pensei que os Hawks fossem uma séria ameaça a Pacers e Heat na Leste, principalmente ao Miami considerando a dificuldade do time em marcar a área pintada e a força do garrafão do Atlanta com Horford e Millsap, uma pena a contusão do Horford. No mais, fico com a impressão de que este time completo fica apenas um passo atrás de Heat e Pacers, quem sabe um bom trabalho na free agency não faça a franquia ter esse avanço.

    • Renato Lgb

      Tbm fiquei feliz pelo Atlanta, mesmo perdendo sseu principal jogador vem conseguindo chegar aos offs… Time de guerreiro!!!

      E vou de Spurs esse ano Zago…
      E tbm torcendo pelo GSW, mas acho q o time clássico do Texas merece mais!!!

      Abraço

  • L.Avila

    Uma pena mesmo e Bulls e Nets se enfrentarem nos sabemos que Heat é o favorito da conferencia por isso todos queremos ver eles fazerem series duras e pra mim estes são os melhores para enfrenta-los além do Pacers é claro. Torço para Miami terminar em primeiro para já pegar um destes na semi mas caso termine em segundo terá um grande desafio somente na final, acho Wizard um ótimo time porem não é tão cascudo quanto Nets e Bulls.

  • rodrigohawks

    Nunca pensei que falaria isso mas … com a chegada de Lucas bebe o hawks vai melhorar bastante e aidna teremos a volta de Horford , Ayon Jenkins a loteira do draft deste ano e os reforços neh =) com certeza estaremos nos playoofs por mais um longoooooooo tempo LETSSS GO HAWKSSSSSSSSSS <3

    • MARCOS OKC

      E COM CERTEZA CONTINUARÃO ELIMINADOS MA PRIMEIRA RODADA POR UM LONGO TEMPO HAHAH’

      OUVI BOATOS QUE LUCAS BEBE NÃO PODE JOGAR NO HAWKS, POIS JA ESTÃO PENSANDO EM TROCAR ELE !

    • Quem é Ayon Jenkins?????????????
      Olha a vírgula mah!!!!!!!!!!!!!!!!

    • vveiga1

      Galera pega no pé do cara. Pqp kkkkk

  • Jogador Estrela!

    Spurs joga bem com todo o mundo e é fortíssimo o que é certo chega contra os Thunder perdem sempre. O Thunder se fizerem uns playoffs regulares e consistentes estarão em mais uma final.

    John Calipari, era um técnico interessante para o Lakers assim como Lionel Hollins. São técnicos que dão valor à defesa e o ataque tiram muito aproveitamento dos jogadores de garrafão e o perimetro também é muito bem utilisado. Desde que saia o MDA já é um enorme reforço para o Lakers porque qualquer técnico é melhor que ele.

  • Questão difícil essa de poupar jogadores.

    Anos atrás eu fui assistir a um jogo dos Pistons em Detroit e na boa, se o Larry Brown tivesse poupado os cinco titulares eu teria ficado muito decepcionado.

    No futebol brasileiro isso ocorre com mais frequência e talvez por isso estejamos mais acostumados.

    Agora esse Indiana Pacers, fala sério!
    Quando os caras formam um time pra ser campeão e fazer história do nada esmorecem, por que meu Deus?

  • Alysson

    É a sua opinião cara, e eu respeito muito. Mas nada a ver o que vc falou sobre o Pacers. Não concordei.
    O restante gostei bastante..

  • Esse negócio do Pacers se tornar intocável depois deles virarem contender ja encheu. Fizeram burradas durante a temporada e não tiveram cabeça o suficiente para passar por cima de algumas situações. Estão ‘pagando o pato’. Simples.
    Se não me engano, a NBA permite vc descansar um jogador ou outro. Tanto que quando o Heat descansou seu Big 3 temporada passada, colocaram como status: James (Back Spasms) Wade (Knee) Bosh (Rest) pra não serem multados ou alvos de críticas, ja que LeBron tem uma lesão nas costas desde seu tempo de cavs e Wade todos ja sabem. Não sei como funciona certinho.

  • Sacanagem essa de multa,se o Técnico quer poupar seus jogadores do seu time,o problema é dele,e não da liga,..pra mim o Vogel fez o certo em poupar todos jogadores,mesmo eu torcendo demais pra eles perderem,hehe…e é uma palhaçada se multarem eles.

  • DC

    Não sei o que foi pior, sobre o Pacers ser punido ou o texto repleto de preconceitos sobre o Sanders.

    • Michel Moral

      Preconceito? Cara eu sou uma das pessoas que defendem a descriminalização da maconha, porque eu acho que o problema se encara de frente e não por trás com gente ganhando propina. Até mesmo porque sendo legal ou ilegal quem usa vai continuar usando e quem não usa pode “arranjar” em qualquer lugar. Tem que ser encarado como uma questão de saúde pública, como é o cigarro, o álcool, etc.

      Agora, fazer apologia ao uso, acho nojento. Por que não vemos.mais propagandas de cigarro por aí? Por que o cigarro tem uma das taxas mais caras? São mecanismos para tentar frear o consumo.

      Um atleta dizer o que Sanders disse é algo extremamente contraditório com sua profissão.

      Preconceito? Não é por aí.

      • DC

        Não se resume a discriminalização ou não da maconha, e sim de atribuir seu uso por um atleta profissional ao círculo social em que tem contato (“miserável”), como o mesmo deveria abdicar dele quando consegue ascender socialmente, até a citação do código de vestimenta dos atletas como forma de “repaginação” da NBA “antro de drogados” para uma liga de “playboys” bons moços (melhor para a venda), ou seja, “já que não dá pra tirar os miseráveis incapazes de selecionar suas amizades da liga, que pelo menos eles se vistam como gente”.

        Quanto ao cara fazer “apologia” ou não ao consumo da droga, ou até que ponto seu uso pode ser prejudicial ao seu desempenho profissional, além de o quanto é necessário um atleta medir seus atos e consequentemente mudar sua conduta pública devido a sua imagem e “exemplo” já vai mais longe.

    • Sobre a punição do Pacers:

      Eu achei que houve um excesso por parte do técnico Frank Vogel. Quer poupar dois hoje e dois amanhã? Perfeito. Mas os cinco? Isso é desrespeito, na minha opinião. Pode não concordar, mas é o que penso.

      Agora, sobre Sanders? Cara, pensa só: ele fuma o quanto quiser que eu não estou nem aí. O problema é divulgar isso. O ala-pivô Arnett Moltrie, do Sixers, passou pelo mesmo problema esses dias e adivinha: ficou calado.

      Enquanto a maconha não for legalizada, a apologia por parte de atletas profissionais é bastante questionável. Ele está jogando em uma liga onde crianças o usam como espelho.

      Felizmente ou infelizmente, hoje a NBA mudou. Está mais “limpa” e mais elitizada, como queira. Isso vende mais e é politicamente correto.

      Acho o politicamente correto um saco de vez em quando, mas nesse caso, sou a favor.

    • Marcovaldo

      Como sabemos, a hipocrisia faz parte da vida em sociedade: quando atletas e técnicos da seleção brasileira de futebol fazem propagandas milionárias de uma droga (o álcool), que mata direta ou indiretamente (acidentes automobilísticos, violência) todos acham normal e ninguém questiona.

      • Michel Moral

        Lógico cara, essas substâncias que vc citou não são ilegais. Só o que faltava era querer ver patrocínio de maconha, substância proibida.

        Mas sim acho completamente imoral haver uma propaganda de cerveja ou cigarro em equipes e eventos esportivos.

        Não tem nada de hipocrisia nisso. A questão é que fazer apologia à maconha é falta de consciência social. Fins medicinais? Sim, com receita médica, não por modinha.

    • No caso Sanders, tem dois pontos. A questão da maconha é complicada. Em certo estados o consumo já é permitido. E aí? Ele poderia ser punido pela liga se ele não está desrespeitando a lei do estado (ainda que Milwaukee não seja um deles, vamos supôr que ele fez uso em Denver por exemplo). E como foi mencionado, álcool é uma droga legal que os atletas abusam com ctz nas suas festinhas particulares… Maaas… A declaração dele foi bem imbecil mesmo… Ele nã tem glaucoma nem nada pra fazer uso medicinal… nesse caso, o hipócrita é ele, não tem nada de medicinal no uso que ele fez… Enfim, acho que é isso…

  • Raphael Mascarenhas

    Punição pro Pacers? Tbm tem que dar pro Pelicans. Estão jogando sem os 5 titulares. Titulares hoje: Morrow, Rivers, Miller, Babbit e Ajinca. Onde estão Holiday, Gordon, Evans, Anderson e Davis?