“Manu Ginobili marcou época no basquete mundial”, exalta Pau Gasol

O anúncio da aposentadoria de Manu Ginobili causou reações emotivas entre os colegas de profissão e fãs de basquete. Pau Gasol, nesse sentido, foi impactado de forma dupla: não só atuava ao lado do ídolo no San Antonio Spurs, mas também era um incondicional admirador de seu jogo. O experiente ala-pivô sente que não só perdeu um parceiro de elenco, mas o esporte perdeu um de seus gênios.

“Manu foi um jogador fantástico, absolutamente excepcional. Eu tenho uma afeição especial por sua trajetória. Afinal, com a incrível carreira que trilhou em diferentes níveis, ele marcou época não só no esporte argentino ou na NBA, mas no basquete mundial”, exaltou uma das maiores referências da história do esporte da Espanha, em entrevista à agência France Press.

Gasol só espera que agora, o profissionalismo e QI de basquete de Ginobili sejam um objetivo para próximas gerações de jogadores. “Manu é merecedor de toda a admiração, por ter se doado completamente em quadra jogando até os 41 anos. Ele é um exemplo a ser seguido e espero que sua excelência no basquete inspire vários jovens na Argentina e ao redor do mundo”, concluiu.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Acho que é um dos caras que é impossível não admirar, como o próprio Gasol, Dirk, entre outros.

  • felipe fernando Oliveira

    Esse com toda certeza será HOF por merecimento.

    • Guilherme

      E digo mais, vai ser uma das nomeações mais legais da história, por tudo que ele representou e por tudo que construiu na carreira. Manu merece muito.

  • Vitor Martins

    Maior jogador sul americano da história. Isso não se deve só a NBA também, mas o que ele faz no mundo FIBA. Tem que se respeitar um cara como Nêne, que nunca quis jogar pelo Brasil, mas Ginobili e Scola estão em outro patamar também pelo que fizeram pela Argentina. Muita coisa precisa mudar por aqui pra gente achar o nosso Ginobili, até fundo de banco da NBA hoje menospreza jogar pela seleção (Raul e Felício). Estamos no fundo do poço, só nos resta bater palmas pros hermanos.