Markelle Fultz é diagnosticado com síndrome rara no ombro

Um dos maiores mistérios da NBA atual, o drama em torno da mecânica de arremesso do armador Markelle Fultz, do Philadelphia 76ers, pode estar perto de ser resolvido. De acordo com o agente e advogado do atleta, Raymond Brothers, Fultz foi diagnosticado com a Síndrome do Desfiladeiro Torácico (SDT), que afeta os nervos entre o pescoço e o ombro direito, prejudicando a amplitude dos movimentos e limitando severamente a capacidade do atleta de arremessar uma bola de basquete.

O tratamento, através de fisioterapia, começará imediatamente e pode durar várias semanas. A síndrome, que é considerada rara, tem esse nome porque atinge o espaço entre a clavícula e a primeira costela (desfiladeiro torácico). As causas comuns da SDT incluem traumas e lesões repetitivas, e os sintomas são, entre outros, dor nos ombros e no pescoço.

Segundo Adrian Wojnarowski, da ESPN, o jogador de 20 anos ficará afastado das quadras por tempo indeterminado. Entretanto, a franquia tem esperanças de que Fultz retorne às atividades em um período entre três e seis semanas. O tempo de recuperação dependerá do sucesso da reabilitação para aliviar os sintomas e a tolerância à dor.

“As pessoas diziam que era um problema mental e agora ficou demonstrado que não é. Não há como você ser a primeira escolha do draft, e, de forma repentina, não conseguir levantar os braços consistentemente para arremessar. Algo está fisicamente errado. Agora temos a resposta para esse problema”, disse Brothers, que acredita que o diagnóstico e a reabilitação possam encerrar de vez o problema na mecânica de arremesso do atleta.

De acordo com Shams Charania, do site The Athletic, o programa de reabilitação de Fultz será comandado pelo renomado fisioterapeuta Judy Seto, em Los Angeles. Ex-funcionário do Lakers, o profissional já trabalhou com o astro Kobe Bryant e com Elton Brand, atual gerente-geral do Sixers, durante a época em que eles jogavam na NBA.

Por causa do problema que o persegue desde que chegou à NBA, em 2017, Fultz afastou-se voluntariamente do elenco do Sixers para realizar avaliações físicas no ombro e pulso direitos. Nas últimas duas semanas, o jogador viajou exaustivamente e visitou cerca de dez especialistas da Filadélfia, de Nova York, de Saint Louis e de Los Angeles.

O Sixers, que aceitou que Fultz ficasse afastado das partidas até ser avaliado por médicos que não pertencem aos quadros da franquia, não havia reconhecido nenhum problema físico no atleta. Há duas semanas, o The Athletic divulgou que o armador estava insatisfeito com a equipe e teria, inclusive, feito um pedido para ser negociado. A informação foi negada de forma veemente pelo agente e advogado do atleta.

O veterano repórter Chris Sheridan informou que Orlando Magic e Phoenix Suns são dois times interessados em contar com os serviços de Fultz. Para liberar o jogador, o Sixers estaria pedindo uma escolha de primeira rodada do draft, além de um ou mais atletas para bater salários. Nesta temporada, o armador vai receber US$8.3 milhões.

Entenda a polêmica em torno do arremesso de Fultz

A alteração drástica na mecânica de chute de Fultz assustou a todos que acompanham a NBA e causou perplexidade nas redes sociais. Um dos melhores arremessadores do recrutamento de 2017, ele apresentou-se ao Sixers com uma sofrível forma de tiro – que, após rumores, foi creditada a uma lesão no ombro direito.

Em seu ano de estreia na liga, o jovem foi desfalque por 60 jogos da temporada regular e, embora recuperado, não conseguiu voltar a arremessar normalmente. Na época, o agente e advogado do jogador revelou que o cliente recebeu uma injeção de cortisona no ombro e mal conseguia erguer os braços. A lesão fez com que Fultz claramente mudasse sua forma de jogar nas primeiras partidas da temporada, focando nas infiltrações e bandejas, e evitando chutes mais longos para que não realizasse movimentos excessivamente agressivos e “forçasse” o ombro direito.

Vale lembrar que, na última offseason, o jogador fez um treino específico de dois meses comandado pelo técnico Drew Hanlen. Segundo Alex Kennedy, do site Hoopshype, há cerca de um mês, Fultz deixou de trabalhar e até de conversar com Hanlen. A relação entre eles teria se deteriorado quando um membro do staff  do armador confrontou Hanlen pessoalmente sobre a falta de resultados esperados quanto à reconstrução do arremesso de Fultz.

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • Thiago Pinto

    O mais esquisito dessa historia é se ele conseguir voltar num prazo de 3 a 6 semanas. Imagina só, um ano e meio de um problema louco com uma resolução tão “simples”. É papo de demitir todo o staff médico da franquia por justa causa.

  • Alex Alves

    Não sei porquê, mas não acredito muito nisso.

  • Playoffs Neném

    História pra boi dormir

  • Michel Moral

    Dentre todas as informações e especulações recentes sobre o caso, finalmente temos uma realmente plausível.

    Como disse o agente, seria cômico e irracional imaginar que um jogador com tamanho potencial tivesse um problema mental que afetasse, dentre tudo que ele faz na vida, só o arremesso. Tipo, posso comer, dirigir, fazer musculação, tocar violão, socar uma, fazer bandeja… Mas arremessar dá pane no sistema! Aí veio gente aqui me dizer que era uma parte do cérebro que não assimila… Desculpa… Não entra na minha cabeça! Tinha que ser algo físico…

    Se esse tratamento colocará um ponto final nessa história bizarra, só o tempo mesmo vai nos dar a resposta. Mas pelo menos dessa vez chega uma explicação mais sensata.

    • Vitor Martins

      “mesmo com a pouca idade, Fultz tem poucas lacunas em seu jogo. (…) Em alguns jogos, vimos que Fultz se perdeu na marcação justamente por
      deixar a desejar nos quesitos concentração e intensidade. Vale destacar,
      aqui, seus vacilos defensivos sem a bola. No basquete profissional,
      ele vai precisar estar mais ‘ligado’ em quadra (…) Fultz precisa trabalhar, especialmente, a questão da mentalidade em quadra”.

      Trechos do artigo analisando ele aqui no jumper no draft. Todos os pontos negativos (arremesso, defesa) giravam em torno de “concentração” e “melhorar a mentalidade”. Acho um pouco preocupante as pessoas sempre darem mais razão para aspectos físicos e não psicológico. Acho que os dois caminham juntos inclusive. No caso dele, acho BEM estranho esse diagnóstico justamente agora, mas não dá pra dizer que não há nada de psicológico ali.

      • Michel Moral

        Cara, ninguém está ignorando aspectos psicológicos.

        Com certeza vc já viu qualquer vídeo dele arremessando, né?! Olha aquilo!

        Esse trecho que vc transcreveu, se vc trocar o nome “Fultz” por “Harden”, se enquadra do mesmo jeito.

        A psicologia nunca esteve tão presente como nos dias de hoje. Existem estudos já de que no futuro próximo todo mundo terá algo psicológico a tratar. Então, não estou afirmando que Fultz não precisa de um tratamento psicológico. Pode ser que sim, assim como pode ser com LeBron, Kawhi… Alguns em menor ou maior intensidade, enfim.

        Agora, o arremesso tem que ter algo físico. Se aquilo for um distúrbio psicológico, então é algo próximo de uma deficiência (mas dentre todas as coisas que ele faz na vida, a única coisa bizarra é o arremesso?). Racionalmente falando, não dá!

        Prefiro acreditar que é uma lesão física rara difícil de ser diagnosticada, do que em algo psicológico.

        • Vitor Martins

          Sim. Estão negando aspectos psicológicos, como podemos ver pela fala do agente dele. Isso, aliás, é o pior desse diagnóstico, querem tirar totalmente a responsabilidade do Fultz nisso. Não estou falando que o arremesso é psicológico, mas não dá pra dizer que é irracional pensar que há grande poder emocional/mental ali. Pode até não ter começado assim, mas com certeza é mental desse cara tá afetando.

          https://twitter.com/wojespn/status/1070101993799073792

          • Michel Moral

            O trecho que você transcreveu acima, pode revelar muitos problemas psicológicos. Falta de concentração, intensidade, estar “ligado”…

            Agora, o arremesso é estranho demais. Por que não é estranho na hora de dar um passe, uma bandeja, bater bola?! Tá na cara que o problema é o movimento do arremesso, portanto, físico.

            Com certeza, depois de ficar exposto tanto tempo, a cabeça do garoto está mexida. Mas racionalmente falando, o problema é físico.

          • Vitor Martins

            O mental afetaria tudo e o físico não? Isso pra mim é um erro de concepção. Não é assim que um problema emocional/psicológico atua. Eu não sou médico e nem psicólogo, então acho leviano dizer e apontar que “com certeza é isso ou aquilo”. A única coisa que eu tô dizendo é que não podemos, de maneira alguma, ainda mais nesse caso, desconsiderar o psicológico.

          • João Víctor Matos

            Concordo com o Vitor. Eu como torcedor dos 76ers acompanho regularmente as redes sociais do Fultz. Com certeza tem problema fisico. O 76ers ja tinham detectado que seria algum problema nos nervos apesar de não ter chegado ao diagnóstico que apenas 1 dos 10 especialistas individuais que ele foi conseguiu. Independente disso as postagens dele pós jogos indicavam quem ele lidava muito mal com as críticas e o circo em volta dele pelo teor melancólico e vitimista. Claro que tudo isso aconteceu por que ele não estava em plenas condições físicas de mostrar o seu melhor. Bora esperar ele se recuperar definitivamente e mostrar o seu melhor jogo. Jogar bem é o melhor remedio pro psicologico dele. De qualquer forma, como o Michel mesmo disse, até para”nós”, pessoas mortais sem mídia, uma visita ao psicólogo iria bem, imagine para o Fultz que teve que ligar com toda essa crítica, pressão e mídia em cima.

        • Marcos Gordinho

          Gostei de suas colocações sobre Fultz, só acredito que definido uma abordagem terapêutica o que se faz necessário na abordagem multidisciplinar não é um “tratamento psicológico” que já deve dar no saco do garoto e sim um “suporte psicológico, caso em algum momento observem limitações nessa área. Tive uma inflamação crônica do túnel do carpo que só me limitava em dois movimentos específicos, segurar o celular enquanto digito e quicar a bola. Para o celular troquei de mão, para os dribles passei a evitar o uso da mão esquerda (embora destro, a que mais costumava usar no domínio da bola) simplesmente parei de realizar movimentos por anos que era comum em toda minha vida de prática esportiva no basquete. Algo pequeno que em minha realidade atrapalhou muito. Agora imagino na realidade de Fultz, que só faz isso, uma limitação até mais extrema.

        • Rogério Rodrigues

          Esse negocio do cerebro esquecer certas funções é um pouco estranho pois eu mesmo de vez em quando bugo na hora de fazer minha assinatura. E olha que trabalho em um escritorio e devo assinar sei la, mais de 100x por dia…

  • Vitor Martins

    Há algo de podre no reino da Filadélfia.

    Essa situação é de longe uma das mais estranhas que eu já acompanhei na NBA. De cara eu fico com pé atrás em relação as duas partes. Staff/Fultz e Sixers. Não acho que dê pra confiar em empresário/agente de jogador. O timing dessa lesão é muito estranho (pra dizer o mínimo). E o staff dele fica agora bradando que não é psicológico. Ainda que o diagnóstico esteja correto, acho bastante preocupante querer afirmar e desconsiderar completamente o caráter psicológico do mlk. Esse, aliás, era o único asterisco de um calouro que diziam “não ter falhas”, Fultz no draft era descrito como muito passivo, com pouca força mental. A raiz, ainda que eu duvide, pode realmente ser física, mas isso com certeza afetou a cabeça do garoto. Agora, se for verdade o Sixers, que é uma das franquias mais bagunçadas da NBA (vide o caso Colangelo e o inegável fato que todos seus calouros machucam) vai ficar em uma enrascada, mas não só eles, vários médicos analisaram o Fultz, todos estavam errados? Enfim, acho absolutamente estranho acontecer isso no momento em que ele perdeu espaço no time. Ocorreu a mesma coisa na temporada passada, ele começou a dar sinais que era (ou estava) muito ruim e logo foi sacado do time para “exames”. Pode até ser um caso raro e de dificílimo diagnóstico, mas há sim um caráter psicológico por trás, ainda que tentem negar, e o momento em que foi descoberto no mínimo suscita dúvidas.

    • João Víctor Matos

      Não poderia ter escrito melhor.

    • Vinícius Maia

      Eu discordo cara. Alguns problemas de saúde não são fáceis de diagnosticar. Vou dar um exemplo que aconteceu na minha família: meu pai sofreu com dores de cabeça durante o sono desde a adolescência até a fase adulta. Procurou médicos várias vezes, tentou medicina do sono e nada resolvi, até que um médico descobriu, por acaso, a razão do problema: meu pai tinha um lado do nariz mais fechado que o outro e isso comprometia a oxigenação no cérebro lhe causando as dores durante o sono. Mas como eu disse, meu pai sofreu com isso desde a adolescencia e só descobriu quando já estava na casa dos 40 anos.

      Nesse caso do Fultz, imagino que seja ainda mais difícil por se tratar de uma síndrome rara.

  • Mavscelo

    Tava na cara isso daí, será que era tão difícil assim diagnosticar? DM do Sixers parece médico Cubano.

  • LeBrOSMAN⚔️O Draft é logo ali

    Essa departamento médico do 76ers… PLMDDS. Fizeram um bom trabalho na recuperação do Embiid e só!
    Lembro q a situação do Andrew Bynum foi bem bizarra tbem. Foi pro Cavs depois e até conseguiu jogar em alto nível por um tempinho, só saiu da equipe e depois da NBA por problemas de vestiário, parece q tinha uma ética ruim de trabalho

  • Daniel Nogueira

    Me engana que eu gosto.

  • Rafael Barcelos

    Agora resta saber o que os outros 9 especialistas disseram ne. Não da pra julgar apenas com uma informação que convém.

  • Guilherme

    Tá cheirando bem essa história não hein…

  • Cavs&KingJamesaondeestiver

    76 SE MUITO MAL NESTA, POIS TORROU UMA PICK1 E OUTRA PICK ALTA EM UM BIXADO…QUE O GAROTO SE RECUPERE,

  • KlayMVP

    Eu só quero que ele recupere o arremesso ótimo do college e corresponda todas as expectativas criadas com ele no draft!

  • Gustavo – #LeBronGOAT

    Galera, o próprio staff do Sixers ja reconheceu o diagnostico que deram ao Fultz. Na reportagem do Woj revela que havia um membro do DM do Sixers em cada uma das consultas e que eles ja estão em posse dos diagnósticos.
    Espero que o Fultz volte a arremessar e recupere sua confiança, tava sedo chamado de Bust enquanto jogava lesionado, Sixers vacilou legal nessa.

    • Gustavo

      O Staff do Sixers já escondeu informações de outras franquias. Pelicans recebeu Jrue Holiday bichado. Não me surpreenderia se estivessem ajudando a fabricar um diagnóstico, ainda mais agora que se intensificaram os rumores de que a franquia considera trocar o rapaz.

      • Pedro

        Bem lembrado, cara! Acho que a liga deveria punir essas situações com mais rigor, como tirar uma escolha de primeira rodada, ou algo do tipo. Porque uma simples multa como foi aplicada naquele caso ainda é um preço muito baixo comparado com o prejuizo que é para a outra franquia.

        • Claudio R.

          Não dá pra punir, pq nas trocas os times que recebem podem realizar teste fisicos e clinicos e vetar as trocas…. o jogador precisar ser aprovado pelo DM do time pra a trocar valer. Não tem culpa a liga

          • Pedro

            Dá para punir sim, assim como a liga fez. Não existe essa história de que a troca só acontece quando o DM aprova. Na verdade ela é só efetiva depois que a liga revisa todas as condições e verifica se está de acordo com as normas (impacto nas folhas, se os jogadores estão aptos à serem trocados, etc). O que acontece é que as franquias liberam os exames médicos, principalmente quando existe desconfiança sobre a condição física do jogador. Mas como no caso dessa troca do Jrue pelo Noel, foi uma negociação feita na noite do draft, verificada pela liga e aprovada na mesma noite. Faltou a transparencia do 76ers que o Jrue tinha uma lesão grave, além do que o Pelicans já tinha feito as duas escolhas de primeira rodada (Noel e MCW) de acordo com a pedida de Philadelphia. A liga entendeu que cabia multa e aplicou acho que entre $3m e $5m, mas como disse acho que esse valor é baixo comparado com o estrago que essa situação pode causar.

      • Gustavo – #LeBronGOAT

        Ai ja é muita especulação, prefiro me basear nas informações. Na reportagem do Woj eles falam que o pessoal no Sixers tbm ta empolgado com a possível recuperação do Fultz.

  • Vinícius Maia

    Agora está explicado. Pelo menos já descobriram qual é o real problema e agora pode ser tratado com mais eficácia. Espero que o tratamento surta efeito e o garoto se recupere plenamente.

  • André Mendes

    E a maldição das escolhas de drafr do meu Philla continuam… Que fase!

    • Hurin #HeatNation

      Queria ter a maldição de draftar Embiid e Simmons

      • André Mendes

        Todos ótimos jogadores, a maldição se refere ao fato de todos terem sofrido lesões sérias após serem draftados.

  • Marcelo Desoxi

    Ainda bem que , ele e sua equipe, tiveram a pró atividade de procurar ajuda. Não dá pra confiar no DM do 76ers.

    Repito, Philadelphia é um cemitério.

    • Chimbinha “o banido”

      Parece que ninguém descobriu o que ele tinha, não só o DM do Sixers. Li em outro lugar que foi só um especialista que disse que o problema dele é esse reportado, todos os outros não acharam nada. Essa história deve render ainda

  • TRUETHIAGO

    Teoricamente é uma explicação mais plausível do que aquela dos “yips”, mas antes também já tinha sido diagnosticado o tal “desbalanço muscular” no ombro e blá blá blá. Então fica realmente difícil acreditar que agora encontraram o problema de verdade, que ele irá voltar 100% dessa vez, vai arremessar normalmente após o tratamento correto, etc. Enfim, se for apenas estratégia para tentar recuperar seu valor de mercado, me parece uma péssima ideia.

    Eu só espero que não tomem nenhuma decisão precipitada em termos de trocas. O Embiid também era dado como caso perdido antes mesmo de estrear (“novo Oden”) e, até depois que estreou e se machucou na sua primeira temporada, muitos acharam absurdo o contrato que deram para ele e cravavam que ele nunca teria condições de jogar com minutos ilimitados – hoje está aí com quase 35 MPG.

    P.S.: somente uma pequena correção, a Judy Seto é mulher, no texto descrevem com pronomes masculinos.

    • Brockbell

      Se isso for estratégia pra aumentar valor de mercado, eu acho pior, na verdade o valor abaixa. Agora ele deixa de ter apenas o status de descontente coma franquia, para lesionado e incógnita. Ninguém sabe como ele vai voltar, quanto tempo vai levar de reabilitação, como vai estar seu psicológico e sua relação com o 76ers.
      Uma troca agora o 76ers vão receber bem menos do que em um mês atrás.

  • Thiago YoungBull

    Puts q mlk azarado do kct

  • Pablo Leite

    Complicado quando o camarada tem uma doença rara. Até chegar a um diagnóstico, é uma verdadeira peregrinação. Tomara que o Fultz consiga se recuperar, porque talento ele tem.

  • Dannilo Roberto

    Como torcedor do Sixers prefiro que mantenham o garoto, o potencial dele é absurdamente alto. Alem disso acho que imediatismo na franquia não vale muito coisa agora, existem franquias muita mais bem organizadas.

  • #procura-selebronzetes

    o Kevon Looney tem isso ai tbm e não sabe.

  • Marcos Gordinho

    Dizem que lá no Suns têm uma pajélança forte. Mantiveram Nash inteiro, recuperaram Amare uma pá de vez e ainda houveram outros pequenos milagres.

    • Zazi10

      Suns tem um dos melhores centros médicos da NBA, já teve atleta de outras franquias fazendo avaliação la