Marvin Bagley confirma expectativas e vai para o draft da NBA

Como esperado, durou apenas uma temporada a passagem do ala-pivô Marvin Bagley pela Universidade de Duke. Nessa quarta-feira, ele confirmou as expectativas e anunciou que vai se inscrever para o draft deste ano.

“Não acredito que chegou a hora de dizer isto, mas gostaria de anunciar que estarei me declarando para o Draft da NBA. Em primeiro lugar, quero agradecer a Jesus por me colocar aqui e permitir que eu mostre os dons que Ele me deu. Quero agradecer à minha família e a todos que estiveram do meu lado desde o primeiro dia, o apoio significou muito para mim. Também quero agradecer a quem duvidou de mim e continua a duvidar, isso só me incentiva a melhorar a cada dia. Aprendi muito este ano dentro e fora da quadra e agradeço a oportunidade. Obrigado, Duke”, disse o jogador em sua conta oficial no Instagram.

Em 33 jogos disputados por Duke, o ala-pivô angariou médias de 21.0 pontos e 11.1 rebotes, além de um aproveitamento de 61.4% nos arremessos de quadra e 39.7% nas bolas de três pontos, em cerca de 34 minutos por partida.

Pelo grande desempenho na temporada, Bagley foi eleito o melhor novato e o jogador do ano da conferência ACC. Vale lembrar que o jovem se reclassificou e pulou o último ano no Ensino Médio para se juntar aos Blue Devils nesta temporada.

Após o anúncio de Bagley, o técnico Mike Krzyzewski, o Coach K, emitiu um comunicado à imprensa repleto de elogios ao seu pupilo.

“Nenhum calouro fez mais em seu primeiro ano do que Marvin. Ele quebrou todos os recordes e realmente nos representou no mais alto nível. Estou orgulhoso dele porque ele chegou atrasado (por causa da reclassificação) e se adaptou ao mais alto nível. Desejamos a ele tudo de melhor. Ele e sua família têm se preparado bem para essa mudança. Marvin está pronto. Eu só posso ver grandes coisas acontecendo com ele”, disse o lendário treinador de Duke.

Segundo as diversas projeções do recrutamento, Bagley deverá sair em alguma das sete primeiras escolhas. No último Mock Draft do Jumper Brasil, o jogador de 19 anos apareceu nas picks 4, 5, 6 e 7, sendo selecionado por Orlando Magic, Atlanta Hawks, Sacramento Kings e Dallas Mavericks, respectivamente.

 

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • João Rafael Barros

    Cadê os jogadores da UK se declarando a ida no Draft?

    Parece que o Kevin Knox vai ficar mais um ano na faculdade.

    Só os dois jogadores sairão: Hami Diallo e Shai Alexander.

    • Marcio

      Parece que o time de UK não era tão bom esse ano… Pelo menos as poucas vezes que cheguei acompanha era bem fraquinho!!

    • Igor

      Knox não estar sendo projetado no top 10 é um equívoco na minha opinião, escolheria ele antes do Sexton, Bridges e do Trae Young tranquilamente, ele tem muito futuro. Alas longos e atléticos como ele são cada vez mais necessários nos plantéis, problema maior dele é na defesa mas ele tem atributos físicos pra evoluir muito no quesito.

      Se ele ficar mais um ano é capaz de garantir uma pick 10 ou até uma top 5 no próximo draft, já que o time de Kentucky tende a melhorar e ele assumir o protagonismo.
      O problema é que Diallo era projetado pra pick 20-30 no draft 2017, voltou pra Kentucky e nem se ouve falar dele no draft desse ano.

      Knox cairia muito bem no Chicago, New York, Charlotte, Clippers…

  • thiago

    cada vez mais os jogadores estão pulando a fase da universidade. Tudo bem que o dinheiro na nba motiva, mas acredito que cursar uma faculdade traz uma boa experiencia

    • Igor

      Com certeza traz, thiago! A questão, no caso do Bagley e de muitos outros garotos que ficam apenas um ano na faculdade é a seguinte:

      Se um cara jogou bem na sua temporada de calouro, naturalmente vai ser projetado na primeira rodada do draft, e todas as 30 primeiras escolhas tem contrato garantido de 2 anos.

      Se o garoto resolve voltar pra universidade, ele corre risco de se lesionar, ou jogar mal a ponto de comprometer a visão que os scouts tem sobre ele, perder visibilidade e consequentemente não conseguir um contrato na NBA.

      Claro, existem exceções, onde o cara volta pra faculdade e consegue subir posições no draft do ano seguinte.

      Vale lembrar também que os calouros tem geralmente, no máximo 20 anos, então é compreensível que eles almejem e tenham pressa pra assinar um contrato milionário.

      O cara tem que ter muita personalidade pra recusar a NBA quando se está sendo projetado pra uma escolha de loteria.

      Fato é que, os rookies que só ficaram um ano no college, na NBA chegam crus, mas em médio prazo acabam comprovando que é melhor para a franquia apostar neles do que em jogadores que passaram mais tempo na ncaa.

      Sei que vc não perguntou nada disso que eu falei, mas quis esclarecer por que muitos tem essa dúvida

  • Evandro

    Top 5 no draft … chegou a ser favorito a top 1 até a metade da temporada, mas da metade para o final outros prospectos passaram como Ayton, JJJ, e Doncic na Europa passaram a chamar mais atencao dos jornalistas, mas manteve regularidade com gdes atuações na regular…
    1 Doncic
    2 Ayton
    3 Bagley
    4. JJJ
    5 Bamba