Memória – O início da dinastia do Chicago Bulls nos anos 90

Quarta-feira, 12 de junho de 1991. Quinta partida da decisão da temporada entre Chicago Bulls e Los Angeles Lakers. Pela primeira vez em sua história, o Bulls chegava a uma final da NBA. E logo contra o tradicional Lakers, que era liderado por Magic Johnson.

No primeiro jogo da série, disputado em Chicago, o time angelino levou a melhor. O Bulls venceu as quatro partidas seguintes, sendo três delas em Los Angeles. No jogo do título, disputado no Forum de Inglewood, Michael Jordan e Scottie Pippen foram decisivos para a vitória do Bulls por 108 a 101. Jordan marcou 30 pontos e distribuiu dez assistências, enquanto Pippen anotou 32 pontos e pegou 13 rebotes. O camisa 23 do Bulls, que teve médias de 31.2 pontos, 6.6 rebotes, 11.4 assistências, 2.8 roubos de bola e 1.4 tocos na série decisiva, foi eleito MVP da temporada e das finais.

Pelo Lakers, o veterano Magic Johnson conseguiu o triple-double: 16 pontos, 11 rebotes e 20 assistências. Aquela seria a última final da carreira do armador. No fim daquele mesmo ano, ele revelaria ao mundo que era portador do vírus HIV. 

Há 20 anos começava a dinastia do Bulls na década de 90. Michael Jordan e companhia ainda conquistariam mais cinco títulos, mas isso é uma outra história…

Os times

Chicago Bulls: John Paxson, Michael Jordan, Scottie Pippen, Horace Grant e Bill Cartwright. O time treinado por Phil Jackson tinha o armador B.J. Armstrong como melhor opção de banco.

Los Angeles Lakers: Magic Johnson, Terry Teagle, A.C. Green, Sam Perkins e Vlade Divac. A equipe era dirigida por Mike Dunleavy. Dois titulares durante a temporada – Byron Scott e James Worthy – se machucaram no quarto jogo da série final e não participaram da quinta e última partida.

Confira os melhores momentos do quinto jogo da final de 1991.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=7xx3gGMY8cE]

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.