• Carta traduzida por Matheus Prá, do Block Party. Sigam o blog no Twitter (@blockpartty ).
  • O link para a carta original no Players Tribune está aqui.
Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • danielzera

    No começo achei que o texto estava meio bagunçado e que dessa vez não seria tão emocionante quanto os outros… me enganei, Tony Allen foi mesmo uma peça de identidade para a equipe, muito bom esse texto!

    • Marcos Gordinho

      Também achei confuso o início, depois percebi que era emoção, falar de onde encontrou seu equilíbrio, de onde realmente foi visto. Quase como um encontro com aquela turma da quadra que se formou apesar de todas as diferenças, o seu matchup do bairro que passa a ser seu irmão contra o time do bairro vizinho, e depois de juntos suarem para conter o principal jogador adversário, olharem um para outro e sentir que a Vitória não vai sair barata mesmo que o adversário esteja em um patamar muito acima. E assim se orgulharem porquê serão lembrados, talvez por sua torcida, talvez pelo seu técnico, mas com certeza pelo seu adversário que ao lembrar do confronto irá expressar em alto e bom tom…”- Que time chato!”. É assim que eu definiria o G&G.

    • JoaoFJ

      Hahaha parecia Google tradutor. Mas o texto é realmente mto bom

  • Muito bom o texto! Ele falando dos ex-companheiros de Grizzlies é sensacional!

  • Alex Alves

    Queria muito que ele retornasse para Boston, mas infelizmente não ocorreu.

  • Com certeza o Durant lembra da série OKC vs Grizz hahahaha. Qual o sentido de grit grind?

  • João Simplicio

    É bonito o texto, mas esse nível de identificação é meio raro hj em dia! Acaba q o atleta tem q ser profissional e ter consciência q a franquia pode vê-lo como uma peça substituível a qualquer instante! Parabéns ao Tony que foi uma exceção à regra! Mas q os jogadores parem com esse sentimentalismo amador e entendam logo q nba é, acima de tudo, negócio! E o torcedor: antes de criticar, tente se colocar no lugar do atleta/franquia pra ver se vc faria diferente!