Michael Beasley culpa Spoelstra por insucessos com a camisa do Heat

Nenhum time apostou mais em Michael Beasley do que o Miami Heat. A franquia selecionou-o com a segunda escolha do draft de 2008 e, posteriormente, voltaria a contratá-lo em duas oportunidades. Ele não correspondeu às altas expectativas da época do recrutamento em nenhuma das três ocasiões, mas crê que tudo poderia ter sido diferente não fosse por uma pessoa: o técnico Erik Spoelstra.

“Eu sinto que poderia ter conseguido mais espaço na organização. E sinto que Erik poderia ter acreditado mais em mim. Bem mais do que acreditou, na verdade. No entanto, isso é passado e não guardo ressentimentos dele. Não tenho nada contra Erik agora”, desabafou o atleta de 28 anos, que hoje vive boa fase atuando pelo New York Knicks, em entrevista concedida ao jornal New York Post.

Beasley diz que Spoelstra limitava seu tempo de quadra injustamente por culpá-lo pelos problemas defensivos da equipe. “Há diversos jogadores que não defendem nessa liga. Quando a partida terminou e o time perdeu por dois pontos, você até pode culpar alguém por sua marcação em uma posse. Não é o caso quando esse time sofre 100 pontos todas as noites”, explicou.

O ala reencontrou seu primeiro treinador na NBA nesta sexta-feira, quando o Knicks viajou até a Flórida e acabou derrotado para o Heat por 107 a 103. O ala saiu do banco para brilhar novamente: foram 20 pontos e dez rebotes em 23 minutos de ação. Pouco antes do início do jogo, Spoelstra ficou sabendo dos comentários do ex-comandado e preferiu encarar a situação com bastante bom humor.

“Cara, Michael acabou comigo! Mas todos nós estamos torcendo por ele, pois é um desses caras que gostamos de ter na NBA. E eu provavelmente era meio louco em meus primeiros anos como treinador, então sem problemas”, brincou o treinador, que comandou Beasley por 238 partidas ao longo de quatro temporadas.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Melo#11

    O Beasley foi draftado em 2008.

  • Burnie … Wtf??

    Pelo menos na última passagem do Beasley pelo Miami ele teve várias chances…mas não aproveitou…

    • Bruno Macedo

      Falar a verdade na última vez é a que ele menos teve chance mas nas outras é inacreditável ele falar isso o cara era titular não jogava merda nenhuma e fala só bobagem perdeu a chance de ficar calado.

  • pedrokadf

    Perdeu a chance de ficar calado…
    Mas chance q essa rapaz recebeu, e duas vezes, seu problema é psicológico, problemas com drogas, um grande prospecto q não vingou…
    O heat poderia ter ganhando no minino mais um anel se tivesse dado certo !!
    Go heat

    • Rildo do basquete.

      Respeite o Beasley do povo, esse ano ele ta brabo, o MVP acordou.

      • pedrokadf

        Haha

  • Felipe Mendonça

    É o MVP do povo, respeitem o homem!!!

  • Motherfucker Shit Thunder

    Infelizmente,nesse comentário esse monstro não estava sob efeito

  • Pedro Cortez

    Resposta super elegante do Spoelstra, mesmo eu não gostando dele como tecnico

  • Como é? Ele chegou a ser titular no Heat e ter bons minutos. E nos Wolves qual foi o problema? Foi titular lá também jogando mais de 30 min por noite. Não estou dizendo que o Heat foi o ambiente perfeito para um rookie, mas culpar o técnico é fácil quando se ficou conhecido por ser displicente e ter pouca ética de trabalho.

    • Elias Ferreira

      Nicolas pq o Heat não foi o ambiente perfeito pra um rookie? Nessa época não estava muito ligado na NBA.

      • Bruno Macedo

        Ele não falou isso.

      • Não era bem isso que eu estava dizendo, mas pensando na época tinha o Dwyane Wade voando, ele sempre foi um cara muito competitivo e naturalmente queria vencer, mas depois do título de 2006 o Heat não deu nenhuma chance real de título para ele até a chegada do LeBron em 2010, Tanto que o Heat ficou até 2011 sem passar do primeiro round dos playoffs, Ou seja, a equipe queria ser boa o mais rápido possível para aproveitar o auge do Wade, então um rookie não poderia passar os 4 anos do seu contrato de novato tendo a liberdade de tentar e errar para aprender, existia uma certa pressa em ele mostrar serviço logo, mas não tanta pressa para não dar oportunidades para ele e queimá-lo como um ano de liga. O Heat pode não ter tido toda a paciência do mundo, mas também deu boas oportunidades para ele, a crítica estava na postura, mas ele era imaturo e displicente, na época as críticas era que ele errava e não se esforçava o bastante para corrigir os erros.

  • Spoelstra sabe que ele tem sérios problemas psicólogicos e não piorou a situação, extremamente elegante. Beasley é o talento certo no cérebro errado.

  • Eric Almeida

    MVP, sem mais.

  • Bruno Macedo

    Perdeu a chance de ficar calado Miami foi um dos poucos que acreditou nesse cara, gostava dele mas que cara mal agradecido.

    • Jeferson Jesus

      Uma coisa é Miami, outra é o técnico. Mas seria estranho o time apostar tanto nele se o técnico não apostava…

      • Bruno Macedo

        Tudo passa pelo técnico. Principalmente um que já está a mil anos lá.

        • Jeferson Jesus

          Tudo não cara. Às vezes o presidente aposta e dai o técnico tem que engolir. Ou você acha que tudo passa pelo Lue em Cleveland? Quem manda lá é o LeBron, por exemplo.

  • Hilton Silva

    O famoso “Bad Blood”!

  • João Simplicio

    Nada a ver esse lance de criticar publicamente um ex-colega de trabalho, super antiético!! Mesmo q alguém pergunte especificamente a respeito.

  • Joabe#GoSpurs

    É 🖕🙉

  • Marcos Gordinho

    Ufa!!! Ainda bem que o culpado era o Spoelstra, jurava que era os baguio que ele fumava. Voltar a enrolar aqui…