Jalen Rose: “Michael Jordan faria 47.5 pontos por jogo nas condições de hoje”

A NBA mudou muito nas últimas décadas, sem dúvidas. Diversas regras foram alteradas para beneficiar os ataques, equipes arremessam muito mais de longa distância e posses de bola duram menos tempo, aumentando estatísticas individuais e coletivas. Pensando nisso e influenciados pelo documentário “The Last Dance”, jornalistas e analistas vem fazendo projeções ousadas sobre a produção de Michael Jordan no basquete atual. 

“Antigamente, os jogadores e times eram mais fortes fisicamente. Hoje, joga-se muito no small ball e os alas de décadas anteriores viraram alas-pivôs. James Harden é um chutador de três pontos fantástico e excelente pontuador, com média de 30 pontos por jogo. Michael fazia isso nos anos 1980. Digo que, se ele tivesse uma cesta e um lance livre a mais por quarto, faria 47.5 pontos por partida e ainda seria mais dominante na defesa, com mais roubos de bola e bloqueios”, previu o ex-ala Jalen Rose. 

A nível de comparação, Harden anotou 36.1 pontos por jogo na temporada passada – a maior média desde que Jordan marcou 37.1 pontos em 1986-87. O astro do Houston Rockets acertou 4.8 arremessos de três pontos por noite naquela campanha, enquanto o maior jogador de todos os tempos converteu apenas 0.1 tiro, vivendo em uma época onde as tentativas de três pontos passavam longe de ser o foco de sistemas ofensivos. 

É preciso lembrar, porém, que o ex-jogador melhorou no recurso ao longo da carreira e chegou a converter quase 43% de suas 1.4 tentativas por jogo na temporada 1996-97. Com a proibição de contato nos braços imposta às defesas atuais, o agente David Falk vai além e diz que seu antigo cliente anotaria 50 pontos ou mais por jogo. Na carreira, o lendário camisa 23 registrou médias de 30.1 pontos, 6.2 rebotes, 5.1 assistências, 2.3 roubos de bola e quase 50% de acerto nos arremessos de quadra. 

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.