Mike Conley: “Enfrentar o Grizzlies será um dos momentos mais duros da minha carreira”

Mike Conley fez história com a camisa do Memphis Grizzlies. O armador de 31 anos disputou as primeiras 12 temporadas e quase 800 jogos da carreira na NBA com a franquia, tornando-se um verdadeiro ídolo local. Seu nome virou sinônimo do basquete da cidade e um ícone para a torcida. Por isso, após ter sido trocado com o Utah Jazz nessa offseason, ele ainda sente a “ficha cair” aos poucos.

“Eu estou tentando adaptar-me a tudo, sabe? Ainda não parece normal nem ouvir as pessoas falando em ‘Mike Conley, do Utah Jazz’. Estou aguardando o momento em que vou acostumar-me com tudo. É um recomeço, uma nova jornada e novos desafios. Eu amo isso. Sinto que sou afortunado por poder fazer algo especial em uma franquia desse nível”, contou o veterano, em entrevista ao site Hoopshype.

O Grizzlies selecionou Conley com a quarta escolha do draft de 2007 e sua chegada foi o marco inicial da cultura do grit and grind, sendo o armador titular das equipes que ganhariam a adoração do torcedor de Memphis pelo estilo esforçado, defensivo e físico. Aquele garoto de Ohio State ajudou a franquia a formar times “brigadores” e, em troca, recebeu um ambiente acolhedor que moldou seu caráter.

“Memphis me fez quem sou. As experiências que vivi naquela cidade e com aqueles torcedores moldaram minha vida. Eu era uma criança quando cheguei lá e aprendi muita coisa. Nada foi fácil, mas sempre senti que a torcida ao meu lado. Era como uma família e virei um homem de verdade. Amo todas as lembranças que criamos juntos. Foi simplesmente especial”, reverenciou o hoje experiente jogador.

Conley já tem uma data para relembrar esses momentos e reviver as emoções in loco: o Jazz visitará o Grizzlies em 15 de novembro, em uma partida que vai ser televisionada para os EUA pela ESPN. O maior pontuador da história da franquia, que receberá várias homenagens dos torcedores da casa, admite não ter sequer ideia de como vai reagir em seu emocionante retorno a Memphis.

“Cara, não importa que dia isso aconteça, eu realmente não sei como vou sentir-me. Nem sei onde fica o vestiário do visitante em Memphis. Nunca entrei lá. Vão ser muitas emoções, sem dúvidas, e sou um desses jogadores que deixam o que está sentindo transparecer em quadra – seja bom ou ruim. Será, provavelmente, um dos momentos mais duros da minha carreira”, desabafou o craque.

A aterrissagem em Memphis aconteceu quando ainda era um garoto, mas, agora, Conley chega ao segundo time da carreira em um momento bastante diferente da carreira. No Jazz, além de ser uma “peça” final para que o Jazz entre na briga pelo título, ele tende a tornar-se um mentor para o jovem Donovan Mitchell. Por sinal, uma função que o veterano está ansioso e animado para assumir.

“É empolgante jogar ao seu lado porque Donovan é um jogador realmente especial. Sua vontade de aprender e melhorar em vários aspectos é especial. Ele sabe o que tem a evoluir e não tem medo de atacar essas áreas, de treinar e pedir ajuda. Não age como se não existissem, sabe? É fácil sentir-se motivado para trabalhar com um jovem assim”, elogiou Conley, pronto para iniciar um novo capítulo na carreira.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Aposto que sim.
    Assistir aquele Memphis foi maravilhoso em todos os sentidos, jogavam duro e sem nenhuma frescura.

  • Joabe#VamoSpurs

    ( OFF TOPIC) : SporTV vai transmitir uma série de jogos históricos, um jogo por semana. Hj será mostrado às 21:00, o jogo 6 da final de 1998 entre Bulls e Jazz 😀

    • Jurandir Pedrosa

      Que paia!

    • Guilherme Petros

      vc viu ontem? eu achei a transmissão meio estranha. pra quem não viu na época pode ser legal, mas funciona mesmo pra quem viu relembrar

      • Joabe#VamoSpurs

        Vi sim! Realmente a transmissão fica comprometida, pois não dá pra colocar emoção em um jogo q é bastante antigo. Mas o q vale mesmo é relembrar. Como jogava o Jordan pelo Bulls e o Malone pelo Jazz, sem citar o Stockton, Hornacek, Kukoc, etc. Nessa série tava torcendo pelo Jazz, não aguentava mas o Bulls ganhar😂

        • Guilherme Petros

          ah, eu curti pq eu lembro comclareza desse jogo. mas, pra mim, foi mais pela lado emocional e afetivo (não lembrava que o Kukoc entrou de titular, mas lembrava q o Pippen jogou pouco pq tava com as costas zuadas hehehe)

  • Hugo Noronha

    Jogador de vidro

  • Alan Ribeiro

    Conley em utah pode começar ensinado a Donavan mitchell a defender e não sumir quando o time mãos precisa dele nos playoffs.

    • Luis Fernando Teles Sousa

      Começa a treinar os nomes corretos. É donovan

      • Alan Ribeiro

        Pode crer mas ainda assim ele sumiu na serie contra os rockets nos momentos finais e em dois anos seguidos. Parece que ele piora sua porcentagem de tiros bem nos playoffs.

        • Giovanni Araya

          Mitchell tem muito que crescer sim, mas dizer que ele sumiu nas duas séries nos momentos finais é uma completa besteira. Oq realmente aconteceu nesses 2 últimos anos foi uma falta de profundidade e de alguém para ajudar o Mitchell. O jogo defensivo inteiro se focava em um jogador, pq sabiam que era ele o único perigo real. E defensivamente o Mitchell não compromete tanto assim não. Mas como o próprio Conley disse, ele tem muito que crescer e mostra muita vontade disso.

  • Jurandir Pedrosa

    Vão longe!

  • João Víctor Matos

    Eu comecei a torcer pelo 76ers durante a época do Sam Hinkie. Acompanho a NBA desde a época da primeira final entre MAVS e HEAT. Nessa época sempre escolhia time durante a temporada para simpatizar e todas aa vezes eram o GSW ou o Grizzlies do Grint and grid. Conley é foda demais e eu espero e torço lara que leve esse utah jazz lara uma eventual final. Assim coml torci pro Marc Gasol depois que eliminaram meu 76ers.

    • Fred #TrueMagic ORL-MAGIC #1

      Kkkkkkkk nao viu nem o D12 no auge. Precisa comer farinha demais ainda.

  • Leonardo

    Eu tô empolgado pra ver esse time do Jazz, creio que brigam por mando de quadra e nos playoffs tendem a complicar a vida de muita gente.

  • Guy de Lombard

    Esse time para mim tem muita cara de Pistons 2004

    • Wilker Pereira

      Mas esse time não vai ser campeão.

      • Guilherme Petros

        aquele tbm não ia ser… rs

        • Wilker Pereira

          Vcs estão tentando comparar o incomparável esse time não tem nada a haver com o de 2004 … Além de aquele ser muito melhor existem muitos argumentos mas muitos mesmo para explicar o porquê q não têm nada haver… E por certo vcs estão substimando muito aquele time , não e exagero considerar q eles eram contender

          • Guilherme Petros

            claro q a comparação não faz sentido. aquele time não era o grande favorito, mas era outra realidade, outra epoca, e etc etc etc… muitas vezes o favorito não é campeão, se usarmos apenas isso como critério, vá ça. mas de novo, essas comparações são papo de bar, pra valer, nunca faz sentido comparar isso de fato.

          • Wilker Pereira

            Além disso vale lembrar q aquele time todos (e não estou exagerando ) sabiam defender pelo menos todos do quinteto Inicial eram muito bons defensores , fora q tinham um cara q ganhou o DPOY mais de uma vez (melbor gobert) , tinha o Hamilton q era especialista em bola de 3. E um dos melhoes sg na época, bilupps além de ser bom armador ers um excelente arremessador ,
            E vou mais longe o time embora não tinha nenhuma superestrela mais tinha 4 caras q jogavam ( e ja foram convocados) a nível all star (Bilups Hamilton rashed y Ben) aquele time também para também tinha a sorte de jogar num leste fraco (o q o jazz não pode se beneficiar este ano) e fez duas fibais de NBA. E 4 ECF.. Logo não eram tão fracos como querem fazer parecer, a grande surpresa não foibeles serem campeões , a surpresa foi ganhar (dominando e de maneira nítida) do time do momento q continha os 2 dos 3 melhores jogadores da liga naquele momento. E q ainda tinha 2 velhos q foram para la formar uma panela

  • Anderson Tomás

    O jogador mais Underrated da última década da NBA. Esse Jazz vai fazer estragos…

  • Alan Ribeiro

    Ele é parecidão com aquele Pistons de 2004 sim!