MVP das finais, Kawhi Leonard celebra fim de polêmicas com título: “É para isso que jogo”

Kawhi Leonard está de volta ao topo da NBA. O astro conduziu o Toronto Raptors, depois de anos de críticas e decepções, ao inédito título da liga em sua primeira campanha na equipe canadense e ganhou o segundo anel de campeão da carreira. Foi a coroação de uma temporada de redenção pessoal, iniciada com a conturbada saída do San Antonio Spurs e recuperação de insistente lesão no quadríceps.

“Eu trabalhei. Continuei trabalhando duro, sem parar. Minha mente esteve focada no objetivo que conquistei aqui. Vim para outra conferência e, por sorte, encontrei um time com essa mesma mentalidade: levantar o troféu. É para isso que eu jogo basquete, que treino as férias inteiras e ao longo da temporada. Estou feliz por ver que tudo valeu a pena”, comemorou o MVP das finais, após a vitória decisiva.

pedido de troca ao Spurs veio cercada por críticas e suspeitas, em meio a uma guerra pública com médicos e dirigentes da franquia sobre a sua condição de jogo. A torcida chegou a acusar Leonard de simular a contusão para não ter que voltar a atuar em San Antonio. As alegações foram um golpe doloroso para o outrora ídolo local, mas fizeram com que se “blindasse” ainda mais da opinião de terceiros.

“Muitas pessoas duvidaram dos meus problemas. Pensaram que eu estava fingindo uma lesão ou que simplesmente não queria jogar. Isso foi bastante decepcionante para mim, pois amo basquete. Para superar essa situação, precisei confiar mais do que nunca em mim mesmo. Eu sei o jogador que sou e como sinto-me. Não podia preocupar-me com o que qualquer outra pessoa pensasse”, desabafou o craque.

Sua chegada ao Raptors, para piorar, também foi envolta por um relativo clima de dramaticidade. Leonard foi adquirido em uma polêmica troca que incluiu o maior atleta da história da franquia canadense, DeMar DeRozan, o que causou revolta por parte do jogador e parcela dos torcedores. Por sorte, ele encontrou ambiente muito mais centrado dentro de um plantel “faminto” por vitórias.

“Desde a primeira reunião com o elenco, o meu foco esteve no momento. Em fazer história aqui. Foi isso que fiz. Sabia que existia um grupo talentoso aqui, por conta de suas campanhas anteriores, e cheguei com a mentalidade certa. Olhei para Kyle [Lowry] e disse: sei que seu melhor amigo foi embora, mas faremos algo especial. Ele concordou. O resto é história: aqui estamos hoje”, resumiu o ala de 27 anos.

Mas o título não apaga todas as perguntas e polêmicas arrastadas por Leonard nos últimos dois anos. Uma questão ainda permanece: agente livre irrestrito dentro de alguns dias, o craque vai seguir em Toronto ou mudar-se para outro time? “Agora, eu vou celebrar essa conquista com meus companheiros e treinadores. Isso é algo para pensarmos depois”, despistou, mantendo uma última dúvida no ar.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.