Myles Turner corta “excessos” da carreira e mira Jogo das Estrelas em 2019

O Indiana Pacers foi uma das grandes surpresas da última temporada, mas nem todos os atletas do elenco conseguiram destacar-se no ótimo momento da equipe. O jovem Myles Turner, por exemplo, desapontou os analistas e torcedores com a inesperada queda de suas médias em relação à animadora campanha anterior. Ele admitiu, porém, que a culpa do rendimento decepcionante foi unicamente pessoal.

“Eu dei uma olhada no espelho na última temporada e estava gordinho. Não podia negar. Estava ficando cansado bem mais rápido do que antes e tinha a ver com a minha alimentação. Todos já falavam sobre isso e comecei a sentir os reflexos no último ano. Eu acho que, ficando mais velho, o meu metabolismo já não está tão rápido e estava exaurido”, reconheceu o pivô, em longa entrevista à ESPN.

Consciente, Turner mudou seus hábitos na offseason para alcançar o que garante ser a melhor forma física da vida. O jogador de 22 anos cortou “excessos” de sua alimentação – como comer de sete a oito pedaços de pizza na véspera de jogos – e, sob tutoria do famoso preparador físico Joe Abunassar, “abraçou” a prática da yoga. Mas engana-se quem acha que essa é a yoga que vemos nas academias.

“Não são os exercícios e movimentos normais de yoga que estamos usando aqui. As pessoas veem as fotos no instagram de Myles pendurado no teto e é evidente que estranham. Mas ele precisa adquirir equilíbrio. Queremos que fique suspenso do chão como a leveza de um acrobata do Cirque du Soleil”, explicou Abunassar, que já trabalhou com craques como Kevin Garnett e DeMarcus Cousins.

Os resultados do treino específico e mudança de dieta saltam aos olhos. O próprio Turner comemora o fato de seus 14% de gordura corporal registrados ao longo da última temporada já terem caído pela metade nos últimos meses, garantindo já se sentir muito mais móvel e ágil correndo em quadra. Ele ainda causou furor entre a torcida do Pacers nas redes sociais com uma foto do seu “antes e depois”:

“Eu sei que já me sinto diferente. Estou mais fluido em meus movimentos, melhor e mais balanceado, não tão cambaleante. Sinto-me mais forte. Agora, quero ser o melhor defensor que posso. Nós sabemos que posso pontuar, mas quero ser mais assertivo defendendo pick-and-rolls e trocando marcação no perímetro. Uma meta pessoal e sonho é ser um all star já no ano que vem”, afirmou o jovem.

A evolução física de Turner não passou despercebida, inclusive, de outro pivô que vem cuidando do condicionamento físico nos treinos de férias da seleção norte-americana. “Myles está movimentando-se mais rápido e com maior confiança. Ele sempre foi bem habilidoso e perder peso só vai aflorar qualidades e adicionar mais facetas ao seu jogo”, avaliou Andre Drummond, do Detroit Pistons.

É verdade que a motivação do titular de Indiana para brilhar vai um tanto além das quatro linhas, pura e simplesmente: ele poderá ser agente livre restrito na próxima offseason, quando o mercado projeta ter equipes com alto poder de investimento. Ele não esconde que uma grande temporada possui um potencial impacto pessoal importante, mas está mais interessado em ser ótimo para o sucesso do Pacers.  

“É um grande ano para mim, mas acho que vai ser ainda maior para o Pacers. Nós não seremos mais surpresas para ninguém. A saída de LeBron James deixará o Leste mais aberto e estou cansado de perder na primeira rodada dos playoffs. Já são três anos. Tenho a presença para levar-nos ao próximo nível na conferência”, afirmou Turner, apostando ser a chave do crescimento do Pacers em 2019.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.