“Não me importo se estão subestimando elenco do Knicks”, minimiza Julius Randle

A primeira análise geral sobre o New York Knicks é que a ausência de astros e referências no elenco é o grande empecilho para o sucesso do time na temporada que vem. Julius Randle, porém, vê um obstáculo muito maior na completa falta de entrosamento do elenco. Por isso, o jovem ala-pivô assumiu o protagonismo e vem organizando treinos informais com os atletas da equipe durante as férias.

“Esses encontros têm sido incríveis. Jogamos em duplas e trios diferentes para que todos se conheçam, pois temos sete atletas recém-chegados e ainda dois calouros. É importante passarmos tempo juntos e ter um primeiro contato em quadra antes da pré-temporada. Temos chances de ser um bom time, mas precisamos ‘abraçar’ esse processo e ser proativos”, contou o jogador, em entrevista ao New York Post.

Muito entrosamento pode ser um dos (poucos) caminhos que o Knicks encontrará para superar as expectativas pessimistas ao redor da liga. As bolsas de aposta de Las Vegas, por exemplo, colocam os nova-iorquinos entre os últimos colocados da conferência Leste com uma previsão-base de apenas 28 vitórias. Para Randle, esse número é produto de uma avaliação superficial e puro desrespeito.

“É fácil subestimar essa franquia porque as últimas temporadas foram muito duras. Todos os jogadores que estão aqui são fáceis de serem subestimados. Mas o que as pessoas ignoram é que nós montamos um elenco profundo, repleto de alternativas, e acreditamos que nossos 15 atletas podem jogar. Eu não me importo se estão nos subestimando. Sabemos do que somos capazes”, sentenciou.

Sem conseguiu trazer craques como Kevin Durant e Kyrie Irving, o Knicks vai ter Randle como sua principal referência na próxima temporada: o atleta de 24 anos foi o único contratado pelos nova-iorquinos na atual offseason com vínculo superior a uma temporada e US$20 milhões anuais em salários. Na campanha passada, o ala-pivô anotou médias de 21.4 pontos, 8.7 rebotes e 3.1 assistências.