NBA 2K19 – Campeão joga bonito, mas comete turnovers

Por Diogo Santos

A edição 2K18 de NBA foi um verdadeiro marco: Trouxe novas mecânicas, física mais apurada, a recriação individual do estilo de jogo de praticamente todo jogador da liga – e de todas as estrelas – e, infelizmente, o massivo uso do VC.

VC é a famosa moeda do jogo necessária para evolução do seu personagem no modo MyCareer (provavelmente o modo mais famoso, querido e jogado), para compras de packs de cartas no modo MyTeam (que esse ano traz uma valorosa premiação de U$250.000,00) e para pequenos boosts no modo MyLeague/MyGM. Praticamente toda ação no jogo gera VC, o que deveria ser o suficiente para conseguir a evolução necessária no modo de jogo de sua preferência – bem, spoiler: não é. Se você quiser que seu personagem seja competitivo nas quadras online, ou ao menos se equipare as estrelas da liga, prepara-se para gastar um bom dinheiro.

Enquanto na edição 2K18 era praticamente impossível chegar ao overall 80 sem investir dinheiro real (e MUITO, na verdade), 2K19 é um pouco mais generoso: No modo MyCareer, principal foco dessa análise, é possível ganhar em média 1300VC por partida – bem diferente dos 800-1000VC da edição passada; ademais, agora há uma série de itens estéticos gratuitos, como o corte de cabelo e estilos de jogo (jump shot, movimentos no post, entre outros).

O ponto é: Esse valor nunca é suficiente. Para alcançar o nível 70, você precisará de cerca de 100.000VC – bem, faça as contas. Você precisará jogar cerca de 77 partidas completas para ter um jogador inferior ao Kosta Koufos, por exemplo. É bastante cansativo e inglório, além de injusto. Por que injusto? Porque você terá um personagem consideravelmente inferior ao de muitos jogadores online – e isso chega a ser engraçado, por motivos não tão divertidos, já que você terá grande dificuldade de conseguir jogar partidas nas quadras do neighborhood – o modo Pro-Am, já que os jogadores, ao verem seu nível, recusam-se a entrar em uma partida com você como parte da equipe. É a segregação e o preconceito contra os mais fracos chegando ao mundo virtual de NBA – mas hey, meritocracia existe, não é mesmo?

Resultado de imagem para nba 2k19

Uma das novidades da edição de 2018 foi o neighborhood, uma espécie de área de lazer e de atividades que reunia todos os jogadores do modo MyCareer online. Essa área fora mantida, mas a 2K ouviu os pedidos da comunidade e deixou todas os locais da vizinhança mais perto. Você não vai gastar mais 10 minutos só para chegar a uma loja ou as quadras. Mais importante, o famigerado e desnecessário (claramente um produto de marketing) Gatorade Training Center não é mais tão necessário. Ao invés de recuperar sua energia entre os jogos, ele apenas dá um boost nas suas habilidades. Aqui, assim como em outras partes do jogo (como os centros de treinamento e a loja da NBA) fica claro que a 2K decidiu reaproveitar os modelos da edição passada. É literalmente o mesmo modelo, sem tirar nem por. Faltou esmero e deixa uma incômoda sensação de que você está jogando um patch de NBA 2K18, e não um produto realmente novo.

De novidades, agora há desafios diários (que premiam com o ganho de VC, mas que são quase sempre muito difíceis de serem completados), um modo cages, que representa o basquete de rua (e traz um sopro bem vindo de novidades, com um estilo de jogo bastante descompromissado e com situações surreais, como uma quadra de trampolins) e o problemático cassino. Como o nome deixa a entender, refere-se a um local onde é possível realizar apostas em troca de premiações. Uma das melhores opções é apostar 500VC e ganhar o triplo disso, jogando partidas 3×3 – mas como, tendo um personagem de baixo nível que ninguém quer jogar junto? É dureza, e por isso problemático. A comunidade de NBA 2K é extremamente segregadora e nada convidativa para novos jogadores ou para casuais, que só querem se divertir em uma partida rápida. Outro problema do cassino (que era uma das apostas de melhoria dessa versão) refere-se a roleta de prêmios. A cada 24h é possível rodar a roleta e ganhar prêmios, como VC, itens de aparência, entre outros. O problema é que fica tão, mas tão cheio de jogadores que é praticamente impossível conseguir uma vaga para rodar a roleta. Pense no amor de SP por filas, agora multiplique isso por jogadores no mundo inteiro e entenderá o tamanho do problema.

O modo história apresenta melhorias, com o roteiro mais preciso e coeso da série e um protagonista que apresenta uma personalidade mais realista, trazendo maior interesse para sua trajetória. Iniciar como um talento não draftado, tendo que iniciar sua carreira na China e na G-League, é uma bem vinda mudança de visão, permitindo que os jogadores tenham maior visão sobre as dificuldades da vida de um jogador de basquete – e entender que nem tudo é o glamour da NBA. O uso de atores reais é bem explorado, com NPC’s que ajudam o protagonista a enxergar além do próprio umbigo – destaque para Ricky Whittle, protagonista de American Gods, como um ex-jogador da NBA que agora é seu parceiro de time na G-League. Como ponto negativo, mantém-se a péssima mania da 2K de ignorar toda a sua campanha da edição anterior – algo que parece claro, se repetirá na próxima edição. Enquanto em FIFA você tem a jornada de Alex até se tornar um craque de futebol, em NBA 2K você tem apenas uma boa história, que peca em trazer a grandiosidade de uma jornada. Após algumas poucas horas, torna-se apenas o modo de jogo MyCareer de sempre, sem conteúdo de história, o que é uma pena.

Enquanto fora das quadras a série percorre um perigoso caminho de tornar-se um produto elitista e pouquíssimo acessível, dentro das quadras ela nunca esteve tão bem. Graficamente, é perceptível a evolução das reações dos jogadores, da textura dos uniformes e de detalhes de iluminação, como suor e e o reflexo da bola e dos jogadores. Negativamente, há jogadores sem a fisionomia real (Nikola Mirotic, por exemplo, não é de maneira alguma parecido com o jogador) e alguns bugs de mecânica, como roubadas de bola invisíveis e quique da bola mais acelerado que o natural.

Se na parte gráfica houve evolução, são nas mecânicas que NBA 2K19 realmente mostra-se como o verdadeiro MVP que é. Inovando o sistema de táticas, nenhuma outra edição havia apresentado um balanço tão positivo entre defesa e ataque. Esqueça as infiltrações imparáveis e os arremessos impossíveis – NBA 2K19 trouxe as ferramentas necessárias para a defesa de qualquer jogada. As defesas agora trabalham por zona, o que cria uma série de novas preocupações para jogadores que carregam a bola – se você passar com a bola próximo a um marcador de elite, como Kawhi Leonard, a chance de vê-la roubada é imensa. Grandes defensores agora usam o corpo como barreira na infiltração de forma natural e acompanham o movimento do atacante, nunca cedendo espaço – e se você preferir, ainda é possível ajustar as táticas para que o jogador da sobra sempre feche o garrafão em uma infiltração. Ficou MUITO mais difícil atacar a cesta, o que exige uma grande troca de passes para conseguir a pontuação. Nenhuma outra edição privilegiou tanto defensores de elite quanto essa, a ponto de que vale mais a pena trocar um bom jogador ofensivo por um de mesmo nível defensivo – algo impensável em qualquer outra edição.

Enquanto atacar a cesta tornou-se mais difícil, os arremessos se tornaram um verdadeiro martírio. Nem pense em arremessar com qualquer um que não os arremessadores de elite sem conseguir o espaço necessário para isso. A marcação pesada em cima do arremessador diminui o equilíbrio e ocasiona em aros amassados como nunca antes. A estratégia de jogo e o uso de táticas e rotações nunca foi tão importante – por consequência, o jogo no garrafão ganhou novo brilho. O jogo do Post é uma ferramenta mortal de ataque, principalmente com os unicórnios atuais. Se a marcação dobra, é possível encontrar sempre um arremessador livre. Jogadas de pick and pop tornaram-se as mais fatais do jogo, pela capacidade do seu pivô em arremessar de 03 e a tendência das defesas em protegerem o garrafão – atitude louvável da 2K em corrigir isso, haja visto o que se tornou o jogo competitivo da edição 2018 (olhem a final do mundial e entenderão o que quero dizer: https://www.twitch.tv/videos/301798924). O melhor das mecânicas é que nunca antes houveram tantas opções de ajustes táticos dentro das partidas, sendo fácil mudar as estratégias com o toque de um botão – e acredite, será necessário. A IA dinâmica aprende seu modo de jogo e tende a defender com maior afinco suas principais jogadas, o que exige constante mudança de estilo de jogo.

Se você é fã de NBA, será extremamente satisfatório repetir com perfeição táticas do seu time. É fácil recriá-las dentro do jogo e os jogadores respondem de forma precisa a todas mudanças propostas. É lindo ver dobras de marcação acontecerem de forma natural e instantânea, algo impensável a poucas edições.

Uma novidade positiva da edição 2K19 é o Takeover, que pode ser traduzido como DOMINE A PORRA TODA! Cada jogador tem uma série de requisitos para ativar seu Takeover (como acertar cestas de três sendo marcados, aplicar um ankle breaker, entre outros) e, quando ativado, ele ganha uma série de melhorias momentâneas, além de animações exclusivas. É fácil reconhecer jogadas próprias dos melhores jogadores – ativar o Takeover do Harden, por exemplo, garante uma série de dribles rápidos, infiltrações quase imparáveis e arremessos certeiros. Um takeover de jogador defensivo torna-o uma verdadeira muralha. Jogadores 2way acabam com o jogo, por conseguirem penalizar o adversário tanto no ataque quanto na defesa.

A narração mantém o padrão de qualidade da série, com bem vindas adições de quotes e histórias dos jogadores – mas é um pouco preocupante a quantidade de áudio e frases reaproveitadas de outras edições, principalmente os comentários de Kenny “The Jet” Smith.

Enquanto dentro de quadras, em sua estrutura de jogabilidade e mecânicas, NBA 2K19 brilha como nunca, é na injustiça da curva de evolução e aprendizado que ele deixa de ser um jogo imperdível, tornando-se, no máximo, um jogo recomendável – a não ser para os verdadeiros apaixonados por basquete, como acredito ser o nosso caso. Para nós, NBA 2K19 é a melhor edição desde NBA 2K14.

  • AAAAAeeee espero que curtam a análise como eu tô curtindo o jogo. Simplesmente não consigo parar de jogar.

    • O Almirante

      texto show

      • Valeu cara 😀

        • O Almirante

          Diogo, sabe me informar como consigo retirar a premiação da roleta? ganhei Foot Locker e nike salvo engano e não tenho a menor ideia como tirar

          • Sim, fica no seu locker room.

          • O Almirante

            valeuu

    • KyrieMVP- caçador de clubista

      Off: dúvida entre comprar o nba, o fifa ou esperar o red dead redemption… Tá difícil de escolher

      • Compre os 3 como eu xD O FIFA tá caríssimo, pense bem antes

      • Shandyego

        Eu comprei os 3, na verdade, todo ano faço isso, compro 3 jogos, nba e fifa estão sempre na lista….o terceiro, vejo a previsão do que vai sair no ano…esse ano foi o red dead redemption….

      • Shandyego

        mas se fosse para escolher um, ia de red dead redemption….pq os demais, querendo ou não, é mais do mesmo…uma evolução das versões anteriores….. nada novo ou revolucionário…

    • Beto cargnin

      Parabéns denovo Diogo.

    • Aquino L.A.

      Diogo, na análise do Bola Presa, vc respondeu a um cara que se ele jogasse só offline, era para esquecer o nba 2k e jogasse apenas o NBA Live 19. Pq?

      • Porque nenhum modo do Live usa VC e a melhor maneira de conseguir VC é jogando Online.

  • Chimbinha “o banido”

    Quando tiver mais barato ou uma promoção, eu compro. Enquanto isso vou jogando o 18 mesmo

  • O Almirante

    Por enquanto estou somente no My Player, e concordo com texto quase todo aí. Mas me espantei pelo meu vicio porque ele disse que era quase impossível chegar a 80 sem gastar cash e eu cheguei 91 sem gastar 1 centavo , e nessa edição também não irei comprar VC algum. A parte mais chata como o Diogo mostrou é o iniciante não conseguir jogar na vizinhança, eles tinham que colocar alguma punição para os jogadores que entrarem e saírem antes de começar, sei lá.. uns 5min sem poder entrar em algum jogo, porque é impossível alguém abaixo de 85 jogar essas porra. Sobre o Cassino tentei 2 vezes mas não consegui rodar a roleta, ideia muito boa mas realmente eles tem que fazer algum mudança como aumento de roletas. No mais é isso, boa analise e excelente jogo, recomendo demais também.

    • Impossível era modo de dizer, famosa hipérbole. O ponto é que consumia muitas e muitas horas de jogo no 2K18 para evoluir sem gastar dinheiro. Nessa edição isso está muito melhor.

      • O Almirante

        É, mas tipo… eu gostei mesmo da demora na evolucao do jogador, sei que pode demorar mais(o q nao acho, acho q os patrocinios vao render mais VC), mas eu to no 10 jogo e ta dificil pra caramba, provavelmente nao ficarei nem no 1 time de novatos e isso eu acho otimo, po.. eu sou 65, tem mais e q ter TO pra burro, errar muita coisa mesmo. O que poderia ser feito é ele comecar um pouco melhor sei la, mas to curtindo pra caraio essa dificuldade. Agora tive meu pior jogo disparado no nba2k e olho que jogo varios e varios anos

        • Chimbinha “o banido”

          Concordo contigo,sempre achei que o meu jogador evolui rápido demais, até boicoto ele e não melhoro mesmo tendo VC pra isso. Se tá mais fácil ainda , pra mim é menos divertido

          • O Almirante

            mas não está mais fácil, eu acho que no futuro virá a ser mais fácil por conta dos patrocínios mais vantajosos e bonus diarios se vc conseguir cumprir as metas. Mas no inicio ta muito dificil, depois do 12º jogo minhas atuações estavam sofríveis, veio melhorar bem agora pq ganhei aqueles Garote de evolução na roleta. Na previsão dos rokkies eu to em 9º e dificilmente serei ROY, e como disse acho isso ótimo, eu to no nivel 66 agora e deveria jogar ainda pior do que to jogando na minha opinião.

          • Chimbinha “o banido”

            Eu também gosto assim, ” sofrido” que vai melhorando aos poucos . Me irrita demais também a evolução dos meus jogadores quando jogo no modo GM, pô o D Russel evoluiu 6 pontos em um ano, tá loco

          • O Almirante

            hahaha é foda mesmo

        • O ponto é que esse personagem é o que você utiliza para jogar online e é aí que entra o problema. A curva de evolução só é natural nas partidas “offline”.

    • Shandyego

      eu invejo vocês que tem essa paciência de evolução, eu sempre compro a versão gold no nba, para ter o vc inicial, então sempre parto do overall 77/80… a partir dai sim, a evolução deixo o mais natural….de fato no 2k18 não curti tanto, que na primeira temporada fui mvp…

    • Bruno Grotta

      Cara, posso também perguntar sua opinião?

      Como tá a IA dos companheiros de time no My Career? Acha que melhorou também?

      • O Almirante

        rpz no geral geral acho que melhorou bastante, a cobertura da defesa, aquela bola na defesa que vc roubava facilmente adivinhando a saída de bola no meio da quadra não existe, se vc tenta adivinhar ele muda a posição e recebe sozinho, etc… mas logico que ainda não está perfeito né, e quanto mais a gente joga mais a gente vê falhas, mas é normal. Porém aconteceu umas 2 coisas bizarras comigo, uma deles o coach assumiu o tank de vez e deixou lebron(estou no lal por questões profissionais apenas, os outros não quiseram o que eu pedi haha) fora por todo o último período em um jogo que estava competitivo, eu 69 joguei mais tempo que ele hehe e outra bizarrice(aconteceu 2x) o time adversário a frente 1 ponto, faltando 15 segundos e ninguém fica pro fundo bola pressionando. Mas são coisas “normais” que evoluem a cada ano né, daqui pro 2k26 ele vira perfeito haha

        • O Almirante

          ahhh lembrei da nossa saída de bola no meio da quadra, se a gente não pedir ele joga a bola 99% pro cara no garrafão, meio sem sentido. Mas como disse no geral acho que melhorou sim

  • Daniel Tavares

    Eu só não vi tanta evolução nos gráficos. Achei o do Live bem mais realista

  • Vinicius Ribeiro

    muito bom….

  • KyrieMVP- caçador de clubista

    Analise maneira demais.

  • O Almirante

    Me tirem uma duvida apenas por curiosidade, todo mundo joga com aquela camera atras das tabelas? Eu so jogo estilo tv.. mas todo video que vejo por acaso é essa outra camera

    • Pablo Oviedo

      Vc escolhe a câmera, geral prefere essa, eu prefiro a da tv (broadcast)

      • O Almirante

        eu sei que a gente escolho brow hehehe perguntei por curiosidade, todo mundo vejo jogando por tras da tabela e acho ruinzão hehe tb jogo nessa aí

        • Léo Barbosa

          Eu uso em todos os modos do jogo, tenho uma visão melhor da quadra e das jogadas nela. Pra mim, me ajuda bastante.

    • Paulo Henrique

      Eu tbm não entendia ver tanta gente jogar com aquela camera, mas resolvi tentar uma vez e achei muito melhor hahahahah

      • O Almirante

        to vendo que maior galera joga mesmo… eu até testei, mas bem pouco e gostei muito não… prefiro visão de tv

    • Shandyego

      Cara, no My Carrer (my player, minha carreira) eu jogo com essa câmera atrás das tabelas, pra mim facilita… em outros modos uso da tv….

    • Felipe Camargo

      Depende contra quem jogo e na modalidade que jogo, geralmente se jogo online prefiro, pois gosto de jogar com jogadores de garrafão na defesa.

    • Buia

      vc pode mudar a câmera eu mesmo jogo com a câmera lateral

  • Pablo Oviedo

    O takeover nada mais e que o onfire manual do 2k18, a diferença agora e que vc acompanha o progresso da barra pra poder ativar, enquanto no 2k18 ele ativava automático após uma sequência de bons lances. Não acho que as defesas melhoraram tanto como vc citou no texto, inclusive a crítica no fórum oficial e justamente ao contrário. Quando vc esbarra em um jogador (as vezes do seu próprio time) e o cara que vc tá marcando corre pra longe, sua nota despenca assustadoramente, isso precisa ser corrigido. É claro que ela tem que cair pois vc esta falhando na marcação, mas se vc ficar mais de 3s longe do seu matchup sua nota despenca de um A para um C. O jogo e bom, o the way back ficou muito top ( pau no cu do marcus, e ainda botatam ele no Spurs, time q tenho muito respeito…) O neiborhood melhorou muito, mas algumas coisas precisam de update pra melhorar

  • Ramon

    Sobre a questão dos defensores de elite é a mais real.

    Fui estuprado pelo Jrue H
    Holiday, ele me roubou a bola 3 vezes seguidas, até que eu cansei e comecei a correr por trás dos bloqueios pra pontuar.

    • Yan

      tu tava jogando com o lillard?

      • Daniel Nogueira

        shuahsaushaushaushaushaush

  • MVPayne

    Prefiro nba jam do Super Nintendo

  • Joabe#VamoSpurs

    Belo Review, Diogo, Parabéns amigo!

  • Felipe Camargo

    Ótimo texto, mas tire algumas dúvidas, Por favor. Como está a velocidade do jogo online? No modo MY Team exige a modalidade 3×3 para jogar online ? Já que foi retirada na versão anterior

    • Não jogo MyTeam, não faço ideia

    • Buia

      existe sim a modalidade 3×3 online no my team, e a velocidade do jogo online depende da sua internet né exemplo eu tenho 10 mg de internet e uma taxa de up de 10 mg também então nao sofro muito com lags

  • Bruno Grotta

    Como que tá a IA dos companheiros de time no My Career? Sempre achei esse um ponto fundamental e às vezes vejo os jogadores tendo escolhas bizarras.

    • Brutalmente melhor. O jogo está muito mais fluido e sem erros esdrúxulos

  • Buia

    ótimo texto exatamente isso vem acontecendo no jogo estou jogando no ps4 eesta bem melhor que o anterior 2k18 pois coom apenas 15 partidas ja estou no nivel 67 ja no 2k18 para chegar a este nivel foi uma temporada inteira e consigo rodar a roleta que sempre me da uns 100 cvs ou 200 por dia kkkk to gostando do jogo este ano

  • eduardo

    quando vou jogar o jogo simplesmente fecha sozinho e sai. não faço ideia oq pode ser, meu pc tem os requisitos recomendados, meu jogo é originial e tudo mais. ele entra no jogo, roda um pouco, mas nem consigo jogar e sai sozinho, procurei em varios ugares e nao acehi oq pode ser