NBA encerra investigações sem provas de assédio sexual contra Luke Walton

A NBA anunciou que as investigações sobre a acusação de assédio sexual contra o novo treinador do Sacramento Kings, Luke Walton, foram finalizadas na tarde dessa sexta-feira. A liga não encontrou provas substanciais de que, de fato, o ex-jogador tenha tido conduta imprópria com a jornalista Kelli Tennant, em um caso que teria acontecido há cerca de cinco anos.

Tennant entrou com um processo de assédio sexual contra o então técnico do Los Angeles Lakers em abril passado. Ambos eram amigos e colegas de trabalho na rede Times Warner Sportsnet, mas a relação foi deteriorada pela seguida postura inapropriada e uma tentativa de estupro por parte do jogador bicampeão da NBA. Ela recusou-se a participar das investigações conduzidas pela liga.

O Kings demonstrou apoio a Walton ao longo do processo e contratou-o já sabendo das acusações. “Eu estou totalmente focado em treinar o Kings agora e energizado para trabalhar com um incrível grupo de jogadores e técnicos quando iniciarmos a pré-temporada. Não farei mais comentários sobre esse assunto”, declarou Walton, por meio de nota oficial, dando fim à questão na esfera esportiva.

A investigação da NBA e do Kings foi realizada pelos escritórios da liga em conjunto com uma firma de advocacia de Sacramento. Duas mulheres, Elizabeth Maringer e Sue Ann Van Dermyden, conduziram o processo.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Mathias

    O assédio em si é algo terrível. Dito isso, vale ressaltar que hoje em dia basta você convidar alguém para jantar que esses(as) doentes de merda já vem falar que é assédio. O pior, é que muitas vezes eles(as) não tem prova nenhuma e uma simples denúncia, uma simples suspeita, pode acabar com uma carreira profissional e até com a vida de uma pessoa. Deveriam existir regras mais bem estabelecidas para qualificar uma denúncia do tipo e/ou uma punição para quem acusar alguém sem provas, nos EUA e aqui no Brasil logicamente.