NCAA – Notre Dame bate North Carolina e conquista título da ACC

Notre Dame 90 x 82 North Carolina

Notre Dame
Jerian Grant: 24 pontos e dez assistências
Pat Connaughton: 20 pontos, quatro rebotes e quatro bolas de três pontos convertidas
Zach Auguste: 16 pontos e 13 rebotes
Steve Vasturia: 14 pontos e quatro rebotes
Demetrius Jackson: 11 pontos, quatro assistências e três roubadas de bola

North Carolina
Marcus Paige: 24 pontos, cinco assistências e cinco bolas de três pontos convertidas
Brice Johnson: 20 pontos, quatro rebotes e 10-12 nos arremessos de quadra


Villanova 69 x 52 Xavier

https://www.youtube.com/watch?v=tbdgaHIoKxs

Villanova
Dylan Ennis: 16 pontos e seis rebotes
Josh Hart: 15 pontos, sete rebotes e 7-9 nos arremessos de quadra
Darrun Hilliard II: 12 pontos e quatro rebotes

Xavier
Dee Davis: 13 pontos e seis assistências
Jalen Reynolds: 13 pontos e quatro rebotes


Iowa State 70 x 66 Kansas

Iowa State
Georges Niang: 19 pontos e cinco rebotes
Abdel Nader: 13 pontos e quatro rebotes
Jameel McKay: 11 pontos e oito rebotes
Monte Norris: 11 pontos e seis rebotes

Kansas
Wayne Selden Jr.: 25 pontos e cinco rebotes
Frank Mason III: 13 pontos, quatro rebotes e quatro assistências


Arizona 80 x 52 Oregon

Arizona
Brandon Ashley: 20 pontos e cinco rebotes
Stanley Johnson: 14 pontos e três roubadas de bola
T.J. McConnell: 12 pontos e seis assistências

Oregon
Joseph Young: 19 pontos e quatro assistências
Dillon Brooks: 13 pontos e quatro rebotes


Kentucky 91 x 67 Auburn

Kentucky
Willie Cauley-Stein: 18 pontos, sete rebotes, três tocos e 7-9 nos arremessos de quadra
Andrew Harrison: 15 pontos e quatro assistências
Devin Booker: 12 pontos e seis rebotes
Trey Lyles: 12 pontos e quatro rebotes
Aaron Harrison: 12 pontos

Auburn
Antoine Mason: 23 pontos e quatro rebotes
Malcolm Canada: 16 pontos
KT Harrell: 13 pontos


Arkansas 60 x 49 Georgia

Arkansas
Michael Qualls: 15 pontos e seis rebotes
Anthlon Bell: dez pontos
Bobby Portis: quatro pontos, 12 rebotes e 1-14 nos arremessos de quadra

Georgia
Marcus Thornton: 13 pontos e 12 rebotes
Cameron Forte: 13 pontos, quatro rebotes e dois tocos


Wisconsin 71 x 51 Purdue

Wisconsin
Bronson Koenig: 19 pontos
Sam Dekker: 15 pontos e oito rebotes
Nigel Hayes: 15 pontos, seis rebotes e cinco assistências
Frank Kaminsky: 12 pontos, cinco rebotes, cinco assistências, três roubadas de bola e três tocos

Purdue
A.J. Hammons: dez pontos, sete rebotes e três tocos


Michigan State 62 x 58 Maryland

Michigan State
Travis Trice: 20 pontos e quatro assistências
Branden Dawson: 17 pontos e oito rebotes
Matt Costello: dez pontos

Maryland
Melo Trimble: 22 pontos e quatro bolas de três pontos convertidas
Dez Wells: dez pontos e sete rebotes


SMU 69 x 56 Temple

SMU
Markus Kennedy: 17 pontos e nove rebotes
Yanick Moreira: 11 pontos e oito rebotes
Cannen Cunningham: 11 pontos e quatro rebotes


Connecticut 47 x 42 Tulsa

Connecticut
Ryan Boatright: 21 pontos, seis rebotes e cinco bolas de três pontos convertidas
Rodney Purvis: 11 pontos


Jogos que serão disputados neste domingo

Final da SEC: Kentucky x Arkansas
Final da Big Ten: Wisconsin x Michigan State
Final da American Athletic: SMU x Connecticut 

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • Uncle Drew

    Alá o Jerian Grant e o Boatwright. Podem fazer o mesmo q fez o Napier e o Kemba Walker há uns anos atrás. Derrotar equipes de calibre, Notre Dame com North Carolina, e ter jogadores on fire no final, UnConn com o Boatwright, irão fazer diferença no March Madness. Agra vive dizendo uma frase e provavelmente irá dizer de novo “Equipes talentosas tem seu valor no MM mas o momento da equipe, derrotando times difíceis e de calibre dão mais moral e moral mts vezes vale mais do q só talento” Kentucky x UConn na temporada passada ta aí pra comprovar.

    • TRUETHIAGO

      ND só teve campanha inferior dentro da ACC que Duke and Virginia; e mesmo assim venceu Duke em um dos jogos da campanha regular. Não era/são favoritos nem tampouco surpresa ao meu ver. Podem chegar longe, dependendo da chave que pegarem.

      UConn se alcançar um Elite Eight dessa vez já ficarei surpreso. Por mais que o Boatright tenha assumido o protagonismo sem o Napier, em relação ao time campeão perderam DeAndre Daniels e Niels Giffey. O garrafão continua bem fraco, ainda com o Nolan e, agora, Brimah de titular (confirmando não ser nada além de um shot-blocker); apesar que os freshman que completam a equipe até não fazem feio no primeiro ano — Rodney Purvis, armador, e o ala Daniel Hamilton. Enfim, se repetirem um Final Four que seja, seria um feito enorme, que mereceria mandar o Kevin Ollie direto logo pra NBA

      • André Fagundes

        A concorrência na AAC esse ano não é parâmetro muito forte em termos de competitividade Thiago. Saída de Louisville e a chega de Tulsa (grata surpresa) desequilibrou a balança da conferência tecnicamente (veja o exemplo de Memphis).

  • TRUETHIAGO

    Temporada fantástica do Jerian Grant, sendo gigante nos principais jogos. Independente de onde Notre Dame chegue no March Madness, teria meu voto pro Wooden

    A do Ryan Boatright também é boa, hein? Por mais que Connecticut não chegue forte esse ano, os números dele estão consistentes, 17 PPG, mais de 42% 3-PT… Opção interessante para quem tem picks altas e quer reforçar o backcourt, tem perfil de “Sixth Man”

  • Uncle Drew

    Tava lendo um tweeet de um cara… Ele dizia q Kentucky poderia ter nesse ano MKG-Terrence Jones-Anthony Davis (Todos Seniors)- Nerlens Noel( Junior)- Julius Randle ( Sophomore) e Cauley-Stein/Anthony Towns( Freshman ) NO MESMO TIME! ESSE ANO!!! Hmmmmmmmm… Acho q ñ seria justo….

    • André Fagundes

      Uncle Drew. Mas o que aconteceu em Kentucky nessa temporada foi uma exceção, foi a primeira vez que o Calipari pode ter acumulo de talento entre até três classes.

      Depois da geração Wall e geração Davis tivemos uma entressafra muito pobre tecnicamente em 2012/2013 (Willie Cauley-Stein, Darius Miles, Archie Goodwin e Nerlens Noel) só que essa geração acumulou na do Randle (com 5 all americans) que acumulou na do Towns (com 4 all americans) e formou essa máquina. É muito difícil com a vitrine que Kentucky tem manter os freshmans.

  • Uncle Drew
    • TRUETHIAGO

      Pelo número de jogos que acompanhei e pela maneira que vem jogando (não apenas vencem, na maioria dos jogos sobram!), eu colocaria uma boa grana no título de Kentucky. Vejo poucos times com chances de vencê-los, e ainda assim dependeriam de uma jornada quase perfeita combinada com uma ruim deles.

      Mas acertar os 64 confrontos é inviavel, muito difícil. Além de algumas surpresas que sempre dão as caras, tem alguns jogos que são praticamente 50% vs 50%, sem grande favoritismo. Combinações “quase infinitas” de possibilidades, como está aí na matéria. Bom, pra quem tem dinheiro sobrando, vale tudo para gastar/perder um pouco hauhahua

      • Uncle Drew

        A galera vai e coloca Duke, Arizona, Kentucky, Villanova e Virginia entre o Sweet 16. Ae vai Arizona e perde logo na primeira rodada e fode o bracket de todo mundo. Como foi com Duke x Mercer no ano passado hueheuehuehuer….

        • TRUETHIAGO

          Pois é, Copa do Mundo que tem bem mais restrito, menos equipes seleções, já é um inferno pra acertar. A Espanha derrubou geral (e aqui vale pro Mundial de basquete também, onde todo mundo esperava que fizessem a final contra EUA, rs) na 1ª fase. Uma coisa é acertar o vencedor isolado (cravei Alemanha, heheeh) outra é detalhar cada um por um.

  • André Fagundes

    – Tom Izzo é fantástico !!! Por que você não aceitou ir treinar o Wolves!? O que já está preparando o D. Green 2.0 – Branden Dawson.

    – Kentucky muito perto de bater a sequência de Wichita na temporada passada(35 vitórias seguidas);

  • Uncle Drew

    Formação do Bracket passando ao vivo agora, 20:00, na ESPN +